quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

M. Dias Branco e os Empreendimentos de Meu Avô

Desde que descobri a existência da M. Dias Branco (MDIA3), passei a admirar o jeito que a empresa é administrada, gosto muito do conservadorismo da gestão e da maneira como a empresa desenvolve seus negócios. Parte dessa admiração, não nego, é porque identifico alguns pontos da trajetória empreendedora de meu avô na M. Dias Branco, porém algumas diferenças cruciais no pensamento de cada um dos empreendedores fizeram com que a M. Dias Branco se tornasse uma gigante e que os negócios desenvolvidos por meu avô sumissem com o tempo.

Começarei com as semelhanças. Tanto meu avô quanto Manuel Dias Branco, o fundador da empresa, imigraram de Portugal para o Brasil na juventude e os dois, depois de alguns anos, conseguiram juntar dinheiro para começar seus empreendimentos. Existe uma diferença de mentalidade bastante grande entre os imigrantes portugueses do século XX e os brasileiros que já habitavam aqui, tanto meu avô como o Manuel e vários outros portugueses chegaram ao Brasil com quase nada de dinheiro, sem instrução, saíram da pobreza e tornaram-se empreendedores. Deve ser algum resquício da herança dos mercadores lusitanos, porque poucos brasileiros conseguiram trilhar o mesmo caminho.

O Manuel Dias Branco começou a trabalhar como corretor de algodão no Ceará, um trabalho autônomo, e logo após já abriu um armazém de Secos e Molhados, já meu avô foi meio desleixado até chegar aos 30 anos, teve vários empregos: operário, garçom e cozinheiro, e, como ele mesmo dizia, cansava-se de trabalhar após alguns meses, pedia demissão e ficava um tempo sem trabalhar até o dinheiro acabar! Isso atrasou bastante o começo da fase empreendedora do meu avô, parece que só depois que ele se casou que resolveu começar a trabalhar com seriedade.

Em 1936, Manuel funda a Padaria Imperial e começa a expandir sua produção, até que, na década de 1950, a produção de massas e biscoitos ganha escala industrial com o ingresso do filho, Francisco Ivens, na sociedade. Já meu avô, teve a grande sorte de começar a empreender no governo do Castelo Branco (1964-1967), no começo do milagre econômico brasileiro, e conseguiu abrir um bar no centro de São Paulo. Explorar o vício das pessoas sempre foi algo que deu bastante dinheiro, mas um bar é um negócio bastante rudimentar, não dá para expandi-lo como uma indústria.
Melhor época para empreender no Brasil
Entre a década de 1960 e 1990 a M. Dias Branco expande muito a sua capacidade e começa a verticalizar a produção, além disso o Ivens é preparado para assumir a empresa, realiza várias capacitações e começa a assumir as funções de seu pai. Já meu avô, entre 1970 e 1990 comprou e vendeu alguns bares, foi proprietário de um restaurante e sócio de um mercadinho por algum tempo e alugava um apartamento para complementar a renda, nenhum de seus filhos teve pendor para continuar empreendendo nesses segmentos, apesar de se tornarem profissionais bem sucedidos em outras áreas.
Verticalização com a produção de farinha
Em 1995, Manuel falece com 91 anos de idade e o filho continua os negócios. Meu avô vendeu todos seus negócios no final da década de 1990 e aplicou o dinheiro para ter uma aposentadoria boa, de fato nunca faltou dinheiro para meu avô até que ele falecesse, mas ele não conseguiu criar uma cultura familiar que desse continuidade aos seus negócios.
Francisco Ivens e Ivens Júnior
A década de 2000 foi o turning point para a M. Dias Branco, ela passou a ser uma grande empresa alimentícia nessa década, comprou a Adria em 2003, abriu capital em 2006 e comprou a Vitarella em 2008. Na década de 2010, a M. Dias Branco continuou adquirindo concorrentes menores e, mais uma vez, conseguiu realizar, em 2014, uma bem sucedida sucessão empresarial, dessa vez para o neto do Manuel.

Nesse ano que termina agora, além das outras inúmeras ilustres personalidades que nos deixaram, faleceu Francisco Ivens Dias Branco aos 81 anos. Para mim, ele é um exemplo de empreendedor, agregava equipes, investia com conservadorismo e mantinha uma vida pessoal discreta e simples. Ele é exatamente o oposto do Fake Batista.

A capacidade de organizar negócios e equipes produtivas do Ivens foi evidenciada quando ele respondeu a pergunta do antigo dono da Vitarella, que queria saber quem seriam os gestores que comandariam a empresa:
Que gestores, meu filho? Você acha que eu vou mexer numa equipe que lidera o mercado e ganha de meus produtos? Você vai continuar comandando a Vitarella com a mesma equipe para ganhar mercado.

Eu prefiro a administração familiar à administração corporation, ou seja, sem proprietários, dou o exemplo que as empresas familiares são uma monarquia e as corporations são repúblicas. Como nas corporations os administradores não são os proprietários do negócio é comum que eles criem remunerações absurdas para eles mesmos e multiplicam-se na empresa como uma burocracia governamental. Claro que, assim como existem monarquias decadentes, também existem empresas familiares corruptas, mas como nessas empresas os administradores são os maiores proprietários do negócio é bem menos vantajoso criar alguma artimanha para desviar o dinheiro da empresa. A família Dias Branco possui 71% da empresa, isso diminui muito as chances de que algum administrador tente criar alguma artimanha para desviar dinheiro e, até agora, a M. Dias Branco representa a honra familiar e desde 1936 não há suspeitas de nenhum caso de corrupção. (suspeita de formação de cartel informada nos comentários pelo confrade ADP).

Lamentavelmente, ainda não sou sócio da M. Dias Branco, mas buscarei corrigir este erro em breve.

Para finalizar, deixarei uma homenagem ao meu avô, um exemplo para mim e um dos heroicos empreendedores que contribuíram para gerar riqueza na inóspita Terra Brasilis.
AVE LUSITANIA

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Discussão de Resultados: M. Dias Branco 3T16

M. Dias Branco - MDIA
A M. Dias Branco alcançou o melhor resultado trimestral de sua história, batendo recordes de lucro líquido, EBITDA e margem EBITDA. A empresa foi beneficiada pela desvalorização cambial, que diminuiu o preço líquido do trigo, sua principal matéria-prima, mas o excepcional trabalho da administração também foi evidenciado, visto que a empresa ganhou Market Share, expandiu as vendas e controlou custos.
O setor de produtos alimentícios tem uma certa estabilidade porque é uma necessidade básica das pessoas, mas quando a crise aperta as pessoas tendem a comprar produtos cada vez mais baratos para apenas suprir as necessidades básicas. Lamentavelmente, a sugestão do funcionário do governo da Gilma estava certa “se não podem comprar carne, comprem ovo”.

A M. Dias Branco possui uma excelente administração que dirige a companhia de forma muito conservadora, a empresa conseguiu expandir-se sem criar muitas dívidas e agora opera com caixa líquido positivo. O foco da empresa é a região nordeste e a empresa consegue atrair seu mercado consumidor de forma muito boa.
Outra grande vantagem competitiva da M. Dias Branco é o seu alto grau de verticalização, ou seja, a empresa produz grande parte dos insumos que utiliza para produzir seus produtos finais, entre eles está a farinha de trigo e os óleos utilizados. 
A M. Dias Branco é uma excelente companhia, mas considero seu preço atual um pouco salgado, o P/L atual está em 18,9, mas, se a empresa conseguir manter os resultados do último trimestre, o P/L seria cerca de 12. Mesmo assim, em minha opinião, é possível começar a montar uma posição em MDIA3 ao preço de 112 reais. Não está mais tão atrativo quanto no primeiro semestre, quando a MDIA3 chegou a custar menos de 60 reais, mas ainda é uma compra possível tendo em vista a excelente qualidade do ativo.
 Empresas excelentes entregam excelentes rentabilidades aos acionistas

NOTA: E

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Fim de 2016 e Projetos para 2017

Chegamos ao final do ano de 2016 e neste momento é comum aproveitarmos para realizar uma reflexão do ano que se termina e organizar as tarefas e projetos para o próximo ano.

Eu e o Gregório colocamos o blog no ar há pouco mais de 4 meses atrás. Uma de minhas maiores motivações é poder escrever livremente sobre investimentos e discutir assuntos que eu não consigo falar com o meu círculo de amizades mais próximo, pois tratam-se de brasileiros convencionais, que passam os dias discutindo seus assuntos triviais. Como já disse aqui, não se deve levar o assunto de investimentos a qualquer um, a maioria das pessoas não está preparada para esse assunto e vai lhe menosprezar, porque elas vivem em um eterno conflito sobre investimentos: de um lado queriam ter a disciplina e saber o básico sobre investimentos para conseguir um padrão de vida melhor no futuro, mas o lado que vence é o do imediatismo, então elas gastam tudo o que recebem e não sobra nada para investir.
O mercado financeiro abriu boas oportunidades para o acúmulo de patrimônio em ações e em FIIs, durante boa parte do ano os preços estiveram bem baixos. Tive uma boa rentabilidade da carteira esse ano, projeto algo próximo a 20%, mas não tenho como levantar um dado preciso porque, lamentavelmente, não fiz um acompanhamento de rentabilidade.

Para o ano de 2017 continuarei com as séries de posts já existentes no blog: discussões de resultados de empresas, defesa pessoal, finanças pessoais e às vezes algum assunto econômico ou político que valha a pena ser abordado ou o review de algum livro.

Os projetos que vamos desenvolver serão: acompanhamento mensal de rentabilidade das carteiras de investimento e, caso tenhamos adesão de outros blogueiros, um ranking mensal de rentabilidade de carteiras, sem que seja necessário divulgar as quantias em dinheiro, somente os percentuais. Para quem já acompanhava a blogosfera há alguns anos atrás, lembraria do ranking de rentabilidades do ex-blogueiro Victor Fox Sierra e também do ranking do (Abacus Liquid) que foi descontinuado. A ideia aqui será a mesma, faremos um ranking com regras parecidas.

As regras serão as seguintes:

1) Calcular a rentabilidade somente de investimentos líquidos (ações, FII, RF em geral, derivativos, bitcoin, ouro, etc.).
2) Não colocar investimentos sem liquidez no cálculo da rentabilidade (imóveis, carros, lancha, filhote de cachorro, quadro do Picasso, etc.).
3) Atualizar a rentabilidade mensal até o dia 10 de cada mês.
4) Utilizar uma planilha padronizada para o cálculo da rentabilidade, sugiro o uso da planilha disponibilizada pelo blogueiro ADP neste link e pedirei a ele a permissão para torná-la padrão do ranking.

Peço que os blogueiros que desejarem fazer parte do ranking manifestem sua intenção nos comentários.

Ademais, desejo a todos um feliz 2017!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Discussão de Resultados: Duratex 3T16

DURATEX - DTEX
*Nem tanta solidez financeira como dizem
A Duratex foi salva no terceiro trimestre pelo resultado da Tablemac, sua subsidiária na Colômbia e por uma venda de terras de plantio de eucalipto, caso contrário ficaria perto do zero. O lucro reportado no trimestre foi de 29,7M, pouco comparado ao valor de mercado da empresa e representa uma margem líquida ainda muito baixa. A crise no setor de construção civil ainda não deu sinais concretos de retomada e a venda de material de construção continua caindo no Brasil, como resultado, as fábricas da Duratex no Brasil operam muito aquém da capacidade.
A Duratex tem grandes vantagens competitivas no setor, as principais são os ganhos de sinergia com os diferentes produtos fabricados, o reconhecimento de suas marcas que são consideradas de 1ª linha e a administração da Itaúsa, que é a maior acionista da empresa. O maior problema é a dívida líquida que gera desembolsos muito grandes para a empresa, parte dessa dívida foi gerada em consequência de um plano de expansão na hora errada, bem antes da economia do Brasil entrar em recessão.
Segmentação da dívida
No post do resultado do 2T16 disse que acreditava que a empresa poderia voltar a reportar lucros anuais da ordem de 600M com a retomada do crescimento brasileiro. O grande problema é saber quando essa retomada acontecerá, porque os segmentos de mercado em que a Duratex atua são altamente dependentes da atividade econômica.

Não estou mais tão otimista com a Duratex, porque, há três meses atrás, acreditava em uma retomada econômica mais rápida no Brasil, como já está bem mais claro que a retomada será trabalhosa e dependente de reformas estruturais, a Duratex seria um investimento com (bem) longo prazo de maturação. De qualquer jeito, não acho prudente assumir posições grandes nesse tipo de setor e mesmo achando que a Duratex dará bons retornos quando a retomada vier, prefiro a EZTEC quando comparo as empresas cíclicas de construção civil.

NOTA: R



quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Discussão de Resultados: Grazziotin 3T16

GRAZZIOTIN - CGRA

Antes de começar a discorrer sobre o último resultado da Grazziotin, faz-se necessário sanar uma dúvida extremamente importante que atormenta as noites dos investidores do mercado bursátil:
Não, a Grazziotin S.A. não tem nenhuma ligação com a Vanessa Grazziotin. Sim, a Renata Grazziotin é a CEO mais bonita da Bovespa.

Comerei a discussão de resultados propriamente dita:

Avalio o último resultado da Grazziotin como muito bom. A empresa conseguiu manter o lucro mesmo em um ambiente econômico bastante recessivo, continua congelando investimentos e, em virtude disso, aumentou bastante o caixa líquido, que está positivo em 142,9M. A empresa conseguiu chegar a um lucro de 10,6M, mas parte desse lucro foi impulsionado pelo recebimento de uma indenização referente ao Plano Verão. Cabe ressaltar que ocorreu um incêndio na sua subsidiária de florestas e um prejuízo de até 3M deve ser reportado no próximo balanço por causa desse incidente.

A empresa tem força regional no varejo de vestuário na região Sul, oferece produtos baratos e é extremamente competitiva. A empresa possui três marcas de varejo de vestuário: Grazziotin, Pormenos e Franco Giorgi, e uma marca de varejo de material de construção, a Tottal Casa & Conforto, loja especializada em utensílios e utilidades domésticas. Além disso, possui as seguintes empresas e participações: Centro Shopping em Porto Alegre, 50% da Grato Agropecuária na Bahia, Floresta Grazziotin no Rio Grande do Sul e a Grazziotin Financiadora, que financia os clientes das operações de varejo.
(A Grazziotin usou o revolucionário Excel para fazer essa pizza)
O modelo de negócios regional da companhia é um grande sucesso e permite que ela continue reportando lucros mesmo quando as suas concorrentes estão com grandes dificuldades. A empresa consegue boas margens brutas, mas seu maior trunfo é o fato de operar totalmente sem dívidas e com um enorme caixa investido em aplicações financeiras. Eu sempre prefiro empresas que são conservadoras em relação à dívida, grande parte das falências ocorrem porque as empresas acabam assumindo dívidas para se expandir e nunca conseguem alcançar uma margem de lucro que permita pagar o serviço dessa dívida.
Gráfico de lucros históricos da Grazziotin
As ações da empresa estão muito mais baratas quando comparadas em relação aos múltiplos das outras varejistas, essa é a típica ação esquecida pelo mercado e fora do radar dos grandes investidores que pode vir a ser um bom investimento. Por enquanto, os resultados devem continuar vindo no mesmo nível, mas eles podem melhorar muito caso a recuperação econômica aconteça.

NOTA:MB

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Discussão de Resultados: EZTEC 3T16

EZTEC - EZTC3:

O resultado do terceiro trimestre da EZTEC reportou lucro líquido de 48,8M. A empresa teve vendas líquidas negativas no trimestre, ou seja os distratos (devoluções) superaram as novas vendas, mesmo assim a empresa registrou lucro por causa do resultado financeiro, que sempre é positivo na empresa, por causa dos recebíveis de empreendimentos imobiliários performados e pelo rendimento do caixa líquido da empresa, e por causa das receitas de vendas de trimestres anteriores que continuam sendo pagas.
Vendas líquidas negativas no trimestre, mas ainda positivas em 2016
A administração conservadora e a excelente rentabilidade alcançada com a venda de imóveis permitem que a empresa consiga passar sem grandes problemas por recessões econômicas, situação que vivemos agora. A situação do setor de construção civil é péssima, enquanto muitas empresas estão pedindo recuperação judicial, a EZTEC ainda possui um financeiro muito forte para suportar crises, possuindo 218,9M em caixa no final de setembro.
Diminuição dos lançamentos por causa da menor demanda
A EZTEC poderá alcançar uma rentabilidade excelente caso as condições econômicas mínimas sejam restauradas no Brasil. Continuo com a mesma opinião sobre as ações da empresa desde o último resultado: "Considero a EZTEC uma empresa muito boa para se ter em carteira neste momento, porém não recomendo que uma empresa de um setor cíclico, como o de incorporadoras, ocupe uma grande parcela do patrimônio do investidor."

O resultado do 3T16 não trouxe grandes mudanças quando comparado ao 2T16, a principal surpresa (negativa) foi o fato das vendas líquidas terem sido negativas.

NOTA: B

EZTEC RI

domingo, 18 de dezembro de 2016

Discussão de Resultados: Porto Seguro 3T16

PORTO SEGURO - PSSA3

A Porto Seguro divulgou um resultado bom, atingindo 205M de lucro líquido. A sinistralidade dos seguros saúde e auto aumentou muito, embora tenha diminuído um pouco em relação ao 2T16. O que salvou o lucro líquido da empresa foi o rendimento das aplicações financeiras.
As empresas seguradoras têm duas formas de lucro: elas ganham quando a receita de prêmios de seguros é maior do que o pagamento de sinistros e também com o rendimento de aplicações financeiras. O estoque de uma seguradora é a disponibilidade de dinheiro, as seguradoras sempre mantêm volumosas quantias de aplicações financeiras para que possam ter capacidade de manobra para pagar sinistros inesperados.

A Porto Seguro também possui uma divisão de negócios financeiros e serviços e busca utilizar sua base de clientes para oferecer os produtos de consórcio, cartão de crédito e financiamento, serviços médicos e monitoramento. O negócio de previdência privada tem uma grande possibilidade de crescimento nos próximos anos, principalmente com a inevitável mudança de regras do INSS, que já foi abordada em um outro post.
Evolução dos negócios de previdência privada
As vantagens competitivas da Porto Seguro são a expertise, alta credibilidade da empresa e excelente canal de vendas, que a tornam referência de qualidade no mercado de seguros. O Itaú Unibanco possui 30,4% das ações da empresa e considera a Porto Seguro como a seguradora do grupo, comercializando os produtos da seguradora por meio de sua rede bancária. A Porto Seguro é proprietária das marcas Porto Seguro, Azul e Itaú Seguros.

A recessão econômica prejudica as atividades da Porto Seguro, o principal produto da empresa é o Seguro Auto e como as vendas de automóveis diminuíram, as receitas com seguros também são menores. A recuperação econômica do Brasil poderá aumentar a rentabilidade da empresa, bem como reduzir marginalmente o índice de sinistralidade.
A empresa sempre deu lucro e pagou dividendos desde que abriu capital em 2015. No preço atual de 26,92 reais, considero que as ações da empresa estão relativamente baratas (P/L 9,6) e a aquisição pode se mostrar favorável.


NOTA: B

Porto Seguro RI

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

No Dinheiro ou no Cartão - O Lobby da Cielo

Sempre que fazemos compras em um comércio somos abordados pela questão "vai pagar no dinheiro ou no cartão?" e, pela comodidade, é comum acabarmos por pagar com cartão. Como sou pão-duro, sempre que compro em um comércio pequeno tento pedir um desconto de 5% se pago no dinheiro, na maioria das vezes consigo, porque a taxa das operadoras de meios de pagamento chega a quase 5% do valor do produto e o comerciante ainda tem que esperar até 30 dias para ver o dinheiro da minha compra.

Há alguns dias atrás fui pagar em um restaurante que sempre fazia o desconto de 5% no dinheiro e até tinha uma placa que indicava o desconto no caixa, chegada a infame hora do acerto de contas, o proprietário informou-me que não fazia mais o desconto de 5% no dinheiro, porque o proprietário de outro restaurante viu a placa e ameaçou denunciá-lo. Carajo! É um comerciante apunhalando o outro para fortalecer um lobby de corporações junto ao governo!

Eu não desisto facilmente de pedir descontos, disse para o proprietário que já era cliente dele há tempos e pedi, mesmo assim, um desconto individual e paguei com dinheiro em nome de nossa amizade comercial. Negócio fechado, bom para mim e bom para o proprietário, "de grão em grão a galinha enche o papo."
Como me senti fechando o negócio

Minha negociação foi correta do ponto de vista moral? Bela & Moral.
Minha negociação foi correta do ponto de vista legal? Sim, porque nada impede que o comerciante conceda desconto a um cliente específico.

Lobbys e Metacapitalismo

O metacapitalismo é uma disfunção do capitalismo, uma degeneração totalmente oposta à ideia de livre concorrência que defendo. Os metacapitalistas são o grupo de empresários poderosos que não gostam da livre concorrência e se juntam para pressionar o governo na criação de regulações que os beneficiem e criem barreiras de entrada para outros empresários que tentem entrar no segmento, além disso, em uma fase posterior, passam a defender um governo de viés socialista para ganhar ainda mais controle sobre o mercado e a sociedade.
Soros - A personificação do metacapitalismo
A Cielo é controlada pelo Bradesco e Banco do Brasil e a sua principal concorrente, a Rede, é controlada pelo Itaú, ou seja, dois dos maiores grupos financeiros do Brasil e uma empresa estatal controlam as duas maiores empresas do segmento e têm força para empurrar suas agendas na pauta do governo. O resultado disso foi essa imoral regulação que proíbe que o comerciante estabeleça valores diferentes para os produtos dependendo dos meios de pagamento.

A proibição da distinção de preços por meios de pagamento também ajudava o governo, porque ela inibia a sonegação, para quem vende serviços fica bem mais difícil sonegar quando seus clientes preferem o cartão às cédulas de dinheiro. Todos sabemos que com menos sonegação o governo pode investir em coisas "úteis" como um porto em Cuba, uma linha de metrô em Caracas ou pode patrocinar o famigerado filme da Kéfera.

A Festa Poderá Acabar!

Mais um anúncio de Temer e sua trupe
Ontem, dia 15 de dezembro de 2016, foi apresentado o mini pacote econômico do Governo Federal. A parte que mais me agradou foi quanto às regras de cartões de crédito, se a Medida Provisória anunciada vingar será permitido a discriminação de preços conforme o meio de pagamento.

No mundo inteiro a discriminação de preços é permitida. Por causa dessa infeliz regulação e das barreiras de entrada, as empresas de meios de pagamento conseguem cobrar muito caro no Brasil, às vezes deixamos quase 5% do preço de um produto para as processadoras de pagamento, porque esse preço é incorporado ao valor dos produtos.

Até atirando a esmo dá para acertar às vezes, pelo menos dessa vez, o Governo Federal acertou em cheio em propor que essa estúpida regulação seja jogada na lata do lixo. O impacto positivo sobre o comércio inicialmente será pequeno, mas Roma não foi construída em um só dia.

Como fica a Cielo?

Não será o fim da Cielo e da Redecard, mas se esta MP vingar, elas certamente perderão parte da rentabilidade, esse setor só se tornou extremamente rentável por causa da ação dos Lobbys no governo, com o fim das regulamentações ele passaria a ter uma rentabilidade normal, que é alcançada nos outros países do mundo.

Não tenho a pretensão de discorrer sobre as ações da Cielo e os efeitos da nova norma nesse post, mas já digo que sempre tomo muito cuidado para não adquirir ações sobrevalorizadas, e ainda considero a Cielo uma ação sobrevalorizada. Quando as expectativas estão muito elevadas o preço embute todas as premissas positivas, mas quando acontece um único fato negativo o preço cai rapidamente, porque o preço não embutia nenhuma premissa negativa.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Reforma do INSS - Faça Sua Aposentadoria!

Fui "obrigado" a entrar em alguns grupos de Whatsapp do meu trabalho. É uma chateação dos tempos modernos, porque tem gente que acha que devo estar disponível 24 horas por dia,7 dias por semana e 365 dias ao ano (pelo menos tenho um dia de folga nos anos bissextos). Além de assuntos relacionados ao trabalho, sou obrigado a ver memes de 3ª categoria e correntes imbecis. Pois bem, há alguns dias atrás um mui respeitado colega postou essa notícia no grupo:


Inicialmente, fiquei surpreso e pensei "como pode isso? Deve ser fruto de alguma manipulação de dados". Dito e feito, quando abri o link logo já vi que essa matéria se baseava em um estudo da odiosa Associação Nacional dos Auditores da Receita Federal do Brasil, a mesma associação que defende aumento de impostos e bitributação sobre dividendos.

Desvendei o truque quando li esse trecho:
A arrecadação da Seguridade Social inclui o Cofins, o CSLL, o Pis-Pasep, impostos sobre exportações, impostos sobre as loterias, entre outros. "O governo usa a DRU (Desvinculação de Receitas da União) para transferir o superávit da Seguridade Social, proveniente dos tributos, e cobrir outras despesas. O déficit no INSS é fictício e fruto de uma manipulação de dados", disse Portanova.

O Papel aceita Tudo


O suposto especialista simplesmente considerou que todos esses impostos existem unicamente para financiar a previdência! Se isso fosse utilizado por algum governo a carga tributária passaria de quase 40% para mais de 50% do PIB! Ainda bem que ninguém ainda teve a brilhante ideia de seguir o que esse "especialista" sugere, porque seria o fim do Brasil.

O INSS tem rombo e é um sistema de pirâmide, porque as contribuições são insuficientes para pagar as aposentadorias e além disso quem contribui agora está pagando parte da aposentadoria de quem não trabalha mais, como a população brasileira está com expectativa de vida maior, o sistema torna-se insustentável.

Nenhum país que tem carga tributária de quase 40% do PIB, como o Brasil, tem alguma chance de dar certo. A iniciativa privada é quem produz tudo no país e com o estado Leviatã sufocando seus cidadãos fica impossível gerar riqueza suficiente. Enquanto o Brasil não conseguir diminuir o tamanho do estado ficará nessa situação de decadência, um exemplo forte de um estágio avançado de decadência é a Grécia, um país em que ninguém quer trabalhar e todos querem viver de benefícios sociais.

Faça sua Própria Aposentadoria

 
Quando alguém me diz: "imagina como será daqui a 50 anos"

Se quiser ter uma aposentadoria boa e tranquila siga este mantra: "nunca confie no INSS, contribua com o mínimo e faça sua própria aposentadoria". 

O fator previdenciário do INSS é uma ferramenta do governo para diminuir os valores da aposentadoria, que sempre aumenta menos que o salário mínimo, por isso o INSS só serve para quem ganha algum valor próximo de um salário mínimo. Um sujeito se aposenta ganhando um valor razoável e depois de alguns anos só ganha o salário mínimo.

Monte uma carteira de investimentos diversificada, eu prefiro ações, FIIs e títulos de renda fixa privados, mas a escolha vai de acordo com as preferências e habilidades de cada um. Imóveis e participações em empresas de capital fechado também podem ser excelentes como fonte de renda para quem tem o pendor de investir nessas áreas.

Planos de previdência privada só são opções boas para donos de banco e seguradoras, é puro engodo para tirar dinheiro de quem tem preguiça de fazer uma pesquisa mínima sobre investimentos, as taxas de administração e carregamento tornam o produto muito ruim em termos de rentabilidade. A previdência privada só serve no caso em que a empresa complementa o que o empregado investe no plano, só se você se enquadrar nesse caso será vantajoso.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

A Decadência do Governo Temer

Sempre que você entra em uma negociação espúria com alguém, você sai perdendo. Perde porque sempre há a possibilidade de que essa negociação seja descoberta no futuro e o preço disso será muito caro. Quando alguém entra em uma negociação ilegal, esse alguém não adentra somente uma única negociação, mas acaba fazendo parte de uma rede criminosa e a detecção de uma terceira pessoa, desconhecida para a primeira, pode desencadear a detecção de toda rede criminosa.
Um colega de trabalho arranjou um "esquema" com uma funcionária corrupta da alfandega para passar livremente produtos contrabandeados pela fronteira. Ele ganhou uma quantia considerável de dinheiro e não conseguiu conter o entusiasmo, contou suas atividades ilegais e elas espalharam-se com o vento. Até que um belo dia ele recebeu uma amigável visita da Polícia Federal, perdeu o emprego e agora responde a um processinho criminal junto de sua comparsa.
Não era você o malandrão do pedaço?
Algo parecido aconteceu com Michel Temer, ele se envolveu em negociações com pessoas trambiqueiras e o preço disso apareceu com a delação da Odebrecht. Agora seu governo corre risco de não chegar até o final do mandato. A tese que ele sustentava no TSE contra a cassação da chapa eleitoral, que a campanha dele foi realizada à parte, está perdendo sustentação, visto que os indícios que ele recebeu ou pediu dinheiro ilegal são cada vez maiores. Lembro que em caso de cassação da chapa, a partir do terceiro ano do mandato (2017), é realizada uma eleição indireta e o próximo presidente seria uma incógnita.

Esqueçamos, por um momento, os erros e delitos cometidos anteriormente à presidência. Em minha opinião, o primeiro erro gravíssimo do Temer foi voltar atrás e desistir de acabar com o Ministério da Cultura. O segundo erro foi não acabar com as infames ocupações em escolas. Esses dois erros deram uma forte pista que ele é um presidente fraco, volta atrás e desiste de suas convicções quando pressionado. Em um dos primeiros posts do Capitalismus deixei minha opinião que o Brasil só renasceria caso fosse vencida a guerra cultural, mas Temer saiu desonrosamente desse campo de batalha e demonstrou fraqueza.

A área econômica sempre sai prejudicada com isso. Além de abalar a confiança dos empresários e receber menos investimentos, a crise na presidência também dificultará a aprovação da PEC da previdência social e também a do teto de gastos, embora já esteja quase aprovada. A aprovação dessas duas PECs é o mínimo para que o país possa voltar a crescer e entrar no caminho certo. Como sempre digo: é impossível que um país que arrecada quase 40% do PIB em impostos dê certo.

O futuro político do Brasil nos próximos anos permanece nebuloso e a permanência do Temer até o final do mandato já é bastante incerta. O julgamento no TSE demora, mas não precisa de aprovação da Câmara ou do Senado.

Façamos o Brasil Grande Novamente!

domingo, 11 de dezembro de 2016

Discussão de Resultados: Excelsior 3T16

EXCELSIOR - BAUH4
Atualmente, 124 anos de história
A salsicharia Excelsior conseguiu um excelente resultado, mesmo com a continuidade da recessão econômica, a receita aumentou, bem como o lucro líquido. A empresa é altamente conservadora nos seus negócios e expande-se com muita precaução, por causa disso, trabalha sem dívidas e com um grande caixa líquido. O lucro líquido do terceiro trimestre foi de 1,9M e a empresa trabalha com margens bem melhores que as outras empresas de alimentos frios de capital aberto.

A Excelsior é uma subsidiária de capital aberto da Seara, que, por sua vez, é uma subsidiária de capital fechado da JBS. A compra da Seara pela JBS não trouxe mudanças muito significativas na empresa, a administração continua praticamente a mesma e a linha de produtos continuou. Como fator positivo, a Excelsior conseguiu sinergia de fornecedores com a JBS.

A empresa recentemente investiu na modernização de sua linha de produção, os resultados disso serão sentidos nos próximos resultados.

A Excelsior é uma empresa de baixa liquidez, seu valor de mercado é de apenas 42 milhões e tem atuação somente na Região Sul, mas isso não me preocupa, prefiro investir em empresas desconhecidas e esquecidas pelo mercado, pois consigo comprar fatias da empresa a preços muito vantajosos. Graham, Buffet e Peter Lynch também faziam isso, mas é importantíssimo analisar e escolher as empresas certas.

NOTA: E

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Não Deixe que Bandidos Abram sua Fechadura - Lock Picking

No ano passado algumas casas de meu bairro começaram a ter as fechaduras "misteriosamente" abertas enquanto os donos não se encontravam. Uma quadrilha especializou-se em Lock Picking e passou a, silenciosamente, abrir as fechaduras durante a noite e fazer a limpa na casa das vítimas. Esse post ensinará como funciona esta técnica e quais recursos devem ser utilizados para se defender de Lock Pickers.

O que é Lock Picking?

A técnica de Lock Picking consiste em usar uma ferramenta de torque para girar a fechadura e um toca pino (também conhecido como chave micha) para colocar os pinos da fechadura no local certo, enquanto a fechadura sofre força de rotação, para que ela gire a volta completa. Essa técnica não é difícil de aprender, mas requer prática para que o Lock Picker fique rápido. Abridores de fechaduras com prática conseguem abrir uma fechadura comum de 4 pinos em menos de 30 segundos.
O Lock Picking é uma técnica de invasão "inteligente", necessita de bastante treino para ser executada de forma rápida, mas é muito silenciosa. É o oposto dos bandidos marmotas que saem quebrando janelas e abrindo portas com pés de cabra, fazendo muito barulho e denunciando a invasão.

Existem vários tipos de ferramentas de Lock Picking para os diferentes tipos de fechadura existentes e kits de chaves michas são vendidos na internet. Eu mesmo, no intuito de aprender mais sobre a técnica (e abrir alguma porta de minha casa no caso de perder a chave), comprei um kit básico que possui chaves para abrir fechaduras de uma ou duas lâminas e vem com diferentes ferramentas de torque e toca pinos. Ele é parecido com esse:

Como Impedi-los?

Assim como já foi dito no post sobre defesa residencial, o objetivo de qualquer defesa não é criar uma fortaleza totalmente intransponível, mas, sim, dificultar tanto os ataques que qualquer tentativa não compensaria por causa dos custos, tempo dispendido e probabilidade de captura.

As fechaduras de uma ou duas lâminas são designs que possuem mais de 200 anos, elas não são adequadas para serem utilizadas em portas externas, porque são muito simples de abrir. A simples adoção de fechaduras tetra já dificultaria muito a ação de bandidos, porque elas necessitam de uma ferramenta especial e demoram muito mais tempo para serem abertas. Para aumentar ainda mais a segurança você deve ser criativo: pode colocar duas fechaduras tetra em cada porta externa, colocar um cadeado tetra na parte interna da grade de forma que seja necessário torcer a mão para encaixar a chave e quase impossibilitando o uso de chaves michas.
Chave micha tetra
Eu não sou um entusiasta de fechaduras eletrônicas e fechaduras com digitais, prefiro muito mais as seguranças mecânicas. As fechaduras eletrônicas necessitam de eletricidade para funcionar e além disso deixam sua casa menos discreta, contrariando o princípio da discrição explicado no primeiro post da série. A melhor forma de complementar a segurança das fechaduras é com algum dispositivo de alarme de invasão, mas deixarei esse assunto para um outro post.

Para finalizar, um dos vídeos tutoriais que assisti para aprender a técnica: