quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Reforma do INSS - Faça Sua Aposentadoria!

Fui "obrigado" a entrar em alguns grupos de Whatsapp do meu trabalho. É uma chateação dos tempos modernos, porque tem gente que acha que devo estar disponível 24 horas por dia,7 dias por semana e 365 dias ao ano (pelo menos tenho um dia de folga nos anos bissextos). Além de assuntos relacionados ao trabalho, sou obrigado a ver memes de 3ª categoria e correntes imbecis. Pois bem, há alguns dias atrás um mui respeitado colega postou essa notícia no grupo:


Inicialmente, fiquei surpreso e pensei "como pode isso? Deve ser fruto de alguma manipulação de dados". Dito e feito, quando abri o link logo já vi que essa matéria se baseava em um estudo da odiosa Associação Nacional dos Auditores da Receita Federal do Brasil, a mesma associação que defende aumento de impostos e bitributação sobre dividendos.

Desvendei o truque quando li esse trecho:
A arrecadação da Seguridade Social inclui o Cofins, o CSLL, o Pis-Pasep, impostos sobre exportações, impostos sobre as loterias, entre outros. "O governo usa a DRU (Desvinculação de Receitas da União) para transferir o superávit da Seguridade Social, proveniente dos tributos, e cobrir outras despesas. O déficit no INSS é fictício e fruto de uma manipulação de dados", disse Portanova.

O Papel aceita Tudo


O suposto especialista simplesmente considerou que todos esses impostos existem unicamente para financiar a previdência! Se isso fosse utilizado por algum governo a carga tributária passaria de quase 40% para mais de 50% do PIB! Ainda bem que ninguém ainda teve a brilhante ideia de seguir o que esse "especialista" sugere, porque seria o fim do Brasil.

O INSS tem rombo e é um sistema de pirâmide, porque as contribuições são insuficientes para pagar as aposentadorias e além disso quem contribui agora está pagando parte da aposentadoria de quem não trabalha mais, como a população brasileira está com expectativa de vida maior, o sistema torna-se insustentável.

Nenhum país que tem carga tributária de quase 40% do PIB, como o Brasil, tem alguma chance de dar certo. A iniciativa privada é quem produz tudo no país e com o estado Leviatã sufocando seus cidadãos fica impossível gerar riqueza suficiente. Enquanto o Brasil não conseguir diminuir o tamanho do estado ficará nessa situação de decadência, um exemplo forte de um estágio avançado de decadência é a Grécia, um país em que ninguém quer trabalhar e todos querem viver de benefícios sociais.

Faça sua Própria Aposentadoria

 
Quando alguém me diz: "imagina como será daqui a 50 anos"

Se quiser ter uma aposentadoria boa e tranquila siga este mantra: "nunca confie no INSS, contribua com o mínimo e faça sua própria aposentadoria". 

O fator previdenciário do INSS é uma ferramenta do governo para diminuir os valores da aposentadoria, que sempre aumenta menos que o salário mínimo, por isso o INSS só serve para quem ganha algum valor próximo de um salário mínimo. Um sujeito se aposenta ganhando um valor razoável e depois de alguns anos só ganha o salário mínimo.

Monte uma carteira de investimentos diversificada, eu prefiro ações, FIIs e títulos de renda fixa privados, mas a escolha vai de acordo com as preferências e habilidades de cada um. Imóveis e participações em empresas de capital fechado também podem ser excelentes como fonte de renda para quem tem o pendor de investir nessas áreas.

Planos de previdência privada só são opções boas para donos de banco e seguradoras, é puro engodo para tirar dinheiro de quem tem preguiça de fazer uma pesquisa mínima sobre investimentos, as taxas de administração e carregamento tornam o produto muito ruim em termos de rentabilidade. A previdência privada só serve no caso em que a empresa complementa o que o empregado investe no plano, só se você se enquadrar nesse caso será vantajoso.

18 comentários:

  1. Pior é que a pessoa comum também justifica que há dinheiro pra aquilo que quer (seja saude, educação, etc) baseada na quantia absurda de impostos que se paga, como se não tivesse que dividir entre todas as inutilidades governamentais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, CF! Pois é, esse pessoal do "vamos atrás dos nossos direitos" que defendem o estado assistencialista não se indignam com os impostos que pagam e acham que algum dia o estado vai oferecer serviços de qualidade, como consequencia são os que menos poupam e possuem a esperança de ter qualidade de vida garantida pela assistência governamental. O que mais me incomoda é quando usam o exemplo da Suécia em alguma discussão, que é um país em vias de extinção por causa da imigração desenfreada.

      Abraços!

      Excluir
  2. Apoiado! E Whatsapp de trabalho é um tiro no pé..eu prefiro manter certa distância do pessoal do trabalho. Trabalho não se mistura com vida privada, salvo em alguns casos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, engenheiro! No meu trabalho é difícil escapar do whatsapp, tento fazer o que posso, mas meu chefe criou um grupo de "visualização obrigatória."

      Abraços!

      Excluir
  3. Quanto a previdência bom lembrar que não é só aposentadoria , tem invalidez , auxilio doença entre outros benefícios inclusive sociais como idosos em situação de abandono e deficientes físicos e mentais.
    O trabalhador registrado não tem opção de parar de pagar , mais autônomos deviriam continuar pagando o minimo para governo , e montar sua própria carteira para aposentadoria .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Soldado! Correto, meu avô era autonômo e cometeu o erro de contribuir o máximo para ganhar a aposentadoria do teto do INSS. Depois de alguns anos ele já ganhava um valor muito menor que o teto, felizmente ele manteve alguns investimentos que complementaram a renda dele.

      Abraços!

      Excluir
  4. Depender do INSS, com nossa classe de políticos é roleta-russa. Mas nossa população não tem a cultura de se preparar, para nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Rendimentos! O brasileiro convencional não consegue mesmo se preparar para nada, o ideal seria que não houvesse aposentadoria governamental nenhuma e a previdência governamental fosse apenas para inválidos, deficientes etc. Isso é utópico pelo menos para as próximas décadas, mas acho que o brasileiro assalariado deveria ter, pelo menos, a opção de trocar a contribuição para o INSS por contribuições para planos de aposentadoria privados.

      Abraços!

      Excluir
  5. Bom dia,

    realmente não dá para esperar assistência do governo, é muita ingenuidade (para não dizer burrice mesmo) da população ficar aguardando essa ajuda, temos mais é que nos capacitar e aprender a cuidar do dinheiro e garantir nossa aposentadoria.

    Quanto a Suécia que você comentou acima, é uma opinião sua ou já é algo declarado?

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, IE! Por enquanto é apenas uma opinião minha baseada nas tendências demográficas, toda previsão futura leva em conta dados presentes e ela pode se confirmar caso não ocorram eventos inesperados.

      Caso a tendência demográfica atual se mantenha na Suécia, em torno de 15 anos existirão mais islâmicos do que nórdicos no país, as famílias islâmicas tem muitos filhos e não se assimilam, continuam falando sua língua e reinvindicam a adoção da lei islâmica - Shariah. Infelizmente, o politicamente correto e a falta de coragem dos europeus está colocando em risco a cultura e a sociedade europeia.

      Abraços!

      Excluir
  6. Bom saber que isso é história. Vi um vídeo de um cara falando sobre não existir défict e achei aquilo mt estranho... Valeu por esclarecer esse golpe Marcelo rsrs

    Aqui o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=6jYKSxNaFHY

    Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ae, Brother! Esse Stephen Hawking brasileiro está usando os mesmos argumentos falaciosos dos auditores fiscais, para quem não tem conhecimento em contabilidade e finanças públicas fica difícil encontrar o truque. Uma coisa é cortar os gastos totalmente desnecessários da administração pública, a reforma da previdência é outra coisa e ambas são necessárias para que a economia do Brasil tenha alguma chance de salvação.

      Abraços!

      Excluir
  7. Olá!

    Solicito parceria. Já adicionei o link do seu blog ao meu.

    Abç!

    http://blogosferafinanceira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações, Tales! Já está no blogroll.

      Abraços!

      Excluir
  8. Confesso que quando comecei a ler me identifiquei com a história dos grupo de whats do trabalho...rs.
    Quanto ao tema, espero do fundo do coração que as pessoas não caiam nesse engodo chamado INSS. Quem quiser se aposentar não pode depender da previdência pública. Mais uma vez, um ótimo post.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço os cumprimentos, Donna. Muita gente é atormentada por esse tipo de grupo e o pior é que são os colegas e não os chefes quem mais chateia.

      Abraços!

      Excluir
  9. Quanto ao fato de existir ou não um déficit, o Soulsurfer escreveu muito bem sobre isso (http://pensamentosfinanceiros.blogspot.com.br/2016/02/brasil-nao-previdencia-publica-nao.html) em fevereiro deste ano.

    Basicamente, a conclusão do texto dele é o próprio título: "NÃO, A PREVIDÊNCIA PÚBLICA NÃO POSSUI DÉFICIT. SIM, A PREVIDÊNCIA É UM IMENSO PROBLEMA". O argumento dele, acredito, que seja o mesmo dos auditores fiscais: o orçamento da Seguridade Social (cuja receita são os impostos) é superavitário. Se considerar só a Previdência, há sim o déficit (as receitas da previdência são menores que as despesas). Mas da forma que a Constituição está escrita, não faz sentido considerar a Previdência como uma coisa separada.

    A questão principal é que, mesmo não havendo déficit, o Brasil se encontra numa posição extremamente frágil e futuramente a coisa vai estourar feio se nada for feito. A carga tributária já é elevada e a população ainda é jovem mas com os gastos previdenciários já bastante elevados (se já está assim, imagina o que vai ocorrer qdo a população envelhecer). Uma hora a bomba estoura se nada for feito.

    A questão é que, na minha opinião, o foco do debate está errado. O foco não deveria ser "tem déficit VS não tem déficit" (já que realmente não tem), mas em "um dia isso vai dar merda, o que vamos fazer para impedir?".

    Eu, como não confio no governo, estou pouco me fudendo.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Anon! Não sabia que o Soul Surfer já tinha discorrido sobre esse assunto, ao que parece, ele chegou a uma conclusão bem parecida com a minha. Apesar de não existir déficit "de jure", o déficit "de facto" já é enorme e não há como ignorá-lo. Esse monte de impostos que "de jure" pagariam a previdência não podem ser utilizados unicamente para pagá-la, porque seria um desastre econômico.

      O maior problema dos sucessivos aumentos de despesas com a previdência seria a inevitável criação de novos impostos caso as regras não sejam modificadas. Como já estamos em um país que tem o estado gigante e que sufoca a economia, mais impostos significariam um desastre econômico e isso, com certeza, me afetaria, por isso sempre mantenho uma certa atenção a estes dados.

      Abraços!

      Excluir