sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

No Dinheiro ou no Cartão - O Lobby da Cielo

Sempre que fazemos compras em um comércio somos abordados pela questão "vai pagar no dinheiro ou no cartão?" e, pela comodidade, é comum acabarmos por pagar com cartão. Como sou pão-duro, sempre que compro em um comércio pequeno tento pedir um desconto de 5% se pago no dinheiro, na maioria das vezes consigo, porque a taxa das operadoras de meios de pagamento chega a quase 5% do valor do produto e o comerciante ainda tem que esperar até 30 dias para ver o dinheiro da minha compra.

Há alguns dias atrás fui pagar em um restaurante que sempre fazia o desconto de 5% no dinheiro e até tinha uma placa que indicava o desconto no caixa, chegada a infame hora do acerto de contas, o proprietário informou-me que não fazia mais o desconto de 5% no dinheiro, porque o proprietário de outro restaurante viu a placa e ameaçou denunciá-lo. Carajo! É um comerciante apunhalando o outro para fortalecer um lobby de corporações junto ao governo!

Eu não desisto facilmente de pedir descontos, disse para o proprietário que já era cliente dele há tempos e pedi, mesmo assim, um desconto individual e paguei com dinheiro em nome de nossa amizade comercial. Negócio fechado, bom para mim e bom para o proprietário, "de grão em grão a galinha enche o papo."
Como me senti fechando o negócio

Minha negociação foi correta do ponto de vista moral? Bela & Moral.
Minha negociação foi correta do ponto de vista legal? Sim, porque nada impede que o comerciante conceda desconto a um cliente específico.

Lobbys e Metacapitalismo

O metacapitalismo é uma disfunção do capitalismo, uma degeneração totalmente oposta à ideia de livre concorrência que defendo. Os metacapitalistas são o grupo de empresários poderosos que não gostam da livre concorrência e se juntam para pressionar o governo na criação de regulações que os beneficiem e criem barreiras de entrada para outros empresários que tentem entrar no segmento, além disso, em uma fase posterior, passam a defender um governo de viés socialista para ganhar ainda mais controle sobre o mercado e a sociedade.
Soros - A personificação do metacapitalismo
A Cielo é controlada pelo Bradesco e Banco do Brasil e a sua principal concorrente, a Rede, é controlada pelo Itaú, ou seja, dois dos maiores grupos financeiros do Brasil e uma empresa estatal controlam as duas maiores empresas do segmento e têm força para empurrar suas agendas na pauta do governo. O resultado disso foi essa imoral regulação que proíbe que o comerciante estabeleça valores diferentes para os produtos dependendo dos meios de pagamento.

A proibição da distinção de preços por meios de pagamento também ajudava o governo, porque ela inibia a sonegação, para quem vende serviços fica bem mais difícil sonegar quando seus clientes preferem o cartão às cédulas de dinheiro. Todos sabemos que com menos sonegação o governo pode investir em coisas "úteis" como um porto em Cuba, uma linha de metrô em Caracas ou pode patrocinar o famigerado filme da Kéfera.

A Festa Poderá Acabar!

Mais um anúncio de Temer e sua trupe
Ontem, dia 15 de dezembro de 2016, foi apresentado o mini pacote econômico do Governo Federal. A parte que mais me agradou foi quanto às regras de cartões de crédito, se a Medida Provisória anunciada vingar será permitido a discriminação de preços conforme o meio de pagamento.

No mundo inteiro a discriminação de preços é permitida. Por causa dessa infeliz regulação e das barreiras de entrada, as empresas de meios de pagamento conseguem cobrar muito caro no Brasil, às vezes deixamos quase 5% do preço de um produto para as processadoras de pagamento, porque esse preço é incorporado ao valor dos produtos.

Até atirando a esmo dá para acertar às vezes, pelo menos dessa vez, o Governo Federal acertou em cheio em propor que essa estúpida regulação seja jogada na lata do lixo. O impacto positivo sobre o comércio inicialmente será pequeno, mas Roma não foi construída em um só dia.

Como fica a Cielo?

Não será o fim da Cielo e da Redecard, mas se esta MP vingar, elas certamente perderão parte da rentabilidade, esse setor só se tornou extremamente rentável por causa da ação dos Lobbys no governo, com o fim das regulamentações ele passaria a ter uma rentabilidade normal, que é alcançada nos outros países do mundo.

Não tenho a pretensão de discorrer sobre as ações da Cielo e os efeitos da nova norma nesse post, mas já digo que sempre tomo muito cuidado para não adquirir ações sobrevalorizadas, e ainda considero a Cielo uma ação sobrevalorizada. Quando as expectativas estão muito elevadas o preço embute todas as premissas positivas, mas quando acontece um único fato negativo o preço cai rapidamente, porque o preço não embutia nenhuma premissa negativa.

2 comentários:

  1. Os taxistas são outros que fazem lobby pra ferrar concorrentes, como o uber. Claro, eles pagam taxas ridículas, mas agora querem forçar só quem paga de poder transportar gente. Ridículo.
    É como um escravo que denuncia que outro não levou chicotadas quanto ele.
    Soros é a personificação do diabo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, CF! É isso mesmo, um escravo que denuncia o outro que levou menos chibatadas. Parece que lentamente, uma parte da sociedade brasileira, acordou para esses lobbys.

      O Soros é mesmo a personificação do diabo, um especulador de enorme sucesso no mercado financeiro que usa seus recursos para destruir a humanidade.

      Abraços!

      Excluir