terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Volatilidade não é Risco

Há alguns anos atrás eu ainda cometia o erro de tentar introduzir o assunto de investimentos para leigos. Se você ainda comete esse erro desista, você não é o São João Evangelista Financeiro que vai salvar todos os seus amigos da Matrix Financeira e colocá-los no caminho da Independência Financeira. Não faça isso, lembre que a maioria das pessoas vive tão agarrada na Matrix que defende com a própria vida a ilusão em que vive.

Em tempos longínquos eu tentei introduzir o assunto de investimento com leigos. O que eu mais ouvia era: "sou um investidor conservador e não invisto em ações, porque é muito arriscado". A maioria das pessoas desenvolve um raciocínio errado de percepção de risco, porque volatilidade não é risco, risco é a probabilidade de você ter que assumir um prejuízo em um investimento realizado.

Existem mais de 400 ações na Bovespa e existem ações muito arriscadas, como a Gol Linhas Aéreas e ações de risco muito baixo como a Taesa. Só existem três tipos de companhias aéreas, as que já quebraram, as que vão quebrar e as que são sustentadas pelo governo, já uma companhia transmissora de eletricidade no Brasil, como a Taesa, está inserida em um mercado crescente e é remunerada de forma fixa e reajustada pela inflação pela manutenção das linhas. Já deu para perceber que é um absurdo colocar todas as companhias em uma mesmo balaio, não é?

Geralmente, quem diz: "sou um investidor conservador" investe no máximo em Tesouro Direto e fica exposto a dois riscos: o risco dos juros líquidos ficarem próximos ou abaixo da inflação e o risco dos juros prefixados caírem caso os juros futuros subam, além disso, como estão totalmente expostos em renda fixa sempre perdem as grandes altas da renda variável que acontecem de tempos em tempos.
A imagem acima corresponde aos retornos deflacionados do mercado de ações contra os títulos públicos de longo prazo (bonds), os títulos públicos de curto prazo (bills), o ouro e o dólar guardado em baixo do colchão. Incrivelmente, quando é observado um prazo muito longo, as ações, além de renderem mais, foram as menos voláteis, permaneceram quase todo o tempo respeitando uma tendência de alta definida. Enquanto isso, a inflação destruiu os retornos dos investidores de títulos do governo a partir da década de 1930.

Dizer que volatilidade é sinônimo de risco é uma falácia, para investir em ações deve-se ignorar as movimentações de curto prazo e focar nos resultados e fundamentos de cada empresa de forma individual. A menos que você tenha um grave problema de ansiedade (nesse caso você precisa de tratamento) não acho prudente não ter nada de renda variável em uma carteira de investimentos.

Abraços!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Ex-Peruka na Cadeia

A Justiça de Deus sempre chega quando menos se espera e a justiça dos homens, finalmente, chegou ao ex-bilionário Eike Batista.

Os mais exaltados dirão que é muito pouco, que ele deveria ser condenado à morte e devolver todo o dinheiro que conseguiu ludibriando os investidores. Claro que nada disso ocorrerá, mas ele apenas ficará preso alguns meses, foi humilhado publicamente, delatará os outros corruptos e devolverá parte do dinheiro conseguido de maneira ilícita. Isso é o máximo que a justiça brasileira pode conseguir.
Eike sempre foi um excelente vendedor de sonhos, uma Bel Pesce em grande escala. Nenhuma de suas empresas deu certo, porque ele é um péssimo administrador, mas ele sempre conseguia encontrar mais trouxas investidores dispostos a financiar sua próxima visão que dessa vez daria certo.

O Mainstream Media já produziu várias retrospectivas do Peruka, então eu só vou relembrar dois fatos importantíssimos, mas que são "esquecidos" pela mídia:

Em 1992 o Peruka criou a JPX, uma fábrica de jipes. O modelo de jipe era um lixo, feito de fibra de vidro e mecânica mal dimensionada com motor que sobreaquecia. Quem sustentou a fábrica até que ela finalmente fechasse em 2001? Exatamente nós, os trouxas pagadores de impostos, porque, graças às estúpidas leis de favorecimento ao conteúdo nacional e alguns contatos políticos, Eike conseguiu vender seu jipe ridículo para o Exército.
A única qualidade do Eike é ser um excelente vendedor. Ele conseguiu arrecadar muito dinheiro abrindo o capital de suas empresas de commodities bem no pico histórico da bolsa e das cotações das commodities, o sucesso dos IPOs foi tanto que ele não colocou quase nada de dinheiro próprio nas empresas e ainda assim conseguiu muito sucesso em todos os IPOs.

O IPO da OGX teve um enorme sucesso, o mercado estava muito otimista e acreditou no "excêntrico" empresário que prometia o céu e o mundo com sua empresa de petróleo que não produzia uma gota de petróleo.

Gráfico de cotações da OGXP3
O que eu considero ter sido a maior picaretagem do Eike foi a proposta de PUT própria na OGX. Segundo ele, caso houvesse necessidade de capital na OGX ele iria subscrever 1 bilhão de dólares em ações OGXP3 ao preço do 6,30 por ação.


Quando os credores viram a cilada em que se meteram e pararam de emprestar dinheiro a OGXP3 ficou em uma séria crise financeira e a Put de 1 bilhão de dólares seria um grande alívio. Seria, pois o mestre picareta inventou que tinha escrito o contrato da Put em um guardanapo, que não passou de uma brincadeira, etc.


Esse picareta enganou o mercado com essa Put ao divulgar informações falsas, se fosse nos EUA estaria fazendo companhia ao Madoff faz tempo, mas aqui ele só foi preso por causa de propinas aos políticos.

Tira-se duas lições da trajetória do Eike, as duas um tanto óbvias. A primeira é nunca confie em vendedores de sonhos e a segunda é a CVM só serve para gastar o dinheiro dos impostos.

Caso alguém fique preocupado com a vida financeira do Eike, não há o que temer. Obviamente ele teria sido extremamente burro se não tivesse aberto algumas contas com alguns milhões em paraísos fiscais, além disso, ele recebe uma gorda mesada dos árabes do Mudala que ficou acordada em mais uma de suas famosas negociatas.

sábado, 28 de janeiro de 2017

Tail Hedge - Hedgear cisnes negros

Há alguns dias atrás o Aportador Financeiro comentou sobre o Tail Hedge Portfólio no post Mévio - Operação de Risco Ilimitado e citou um post do Investidor de Risco que eu não encontrei. Basicamente, Tail Hedge é uma proteção contra eventos muito improváveis, mas que podem dilapidar rapidamente o patrimônio do investidor.

Da mesma forma que o Mévio acreditava que seria muito improvável capotar o carro dirigindo embriagado, também é possível que o investidor perca muito dinheiro com a ocorrência de eventos muito improváveis, também conhecidos como Cisnes Negros.

O primeiro Hedge contra eventos improváveis é a diversificação. Darei dois exemplos hipotéticos:

Exemplo 1: O investidor Fulano analisou os FIIs listados em bolsa e concluiu que o PQDP11 é o melhor FII da Bovespa, então o investidor Fulano resolveu alocar todo o seu patrimônio em PQDP11. Fulano estava muito contente com os rendimentos mensais e valorização das cotas, até que em uma noite de domingo um meteoro caiu no Shopping e destruiu quase tudo. As cotas abriram na segunda-feira em queda de 90% e Fulano perdeu 90% do seu patrimônio.

Exemplo 2: O trader Zé analisou o gráfico da GOLL4 e achou que a tendência estava muito forte e resolveu entrar comprado em um trade alavancado pela conta margem da corretora. Infelizmente, enquanto o pregão estava fechado um avião caiu e foi constatada falha no plano de manutenção. A ação abriu caindo 50% e Zé perdeu tudo e ainda ficou devendo para a corretora.

Os dois exemplos foram bizarros, mas esse tipo de evento acontece. Quando a Petrobras achou o pré-sal muitos vendidos na ação perderam muito, quando o avião da Gol caiu na Amazônia a ação despencou no dia seguinte. Esse tipo de evento ocorreu no passado e continuará a ocorrer.

O segundo Hedge contra eventos improváveis é o financeiro. Ele pode ser feito pela aquisição ou venda de derivativos ou pela aquisição ou venda de ativos opostos.

Um exemplo de Hedge financeiro com ativos é o seguinte:

Um determinado investidor acha que a moeda brasileira irá desvalorizar e quer proteger parte de seus investimentos dessa desvalorização, por isso monta uma posição no ETF IVVB11 que replica o índice S&P500. Como o IVVB11 é um ativo dolarizado, esse investidor terá um ganho em reais caso a sua projeção se confirme.

 O  Hedge com ativos é bem mais simples e também mais seguro caso a sua projeção não se confirme, mas, geralmente ele não cobre totalmente a possível perda. No exemplo acima, por exemplo, provavelmente o patrimônio desse investidor em dólares ainda estaria menor, porque ele só protegeu uma parte por meio do IVVB11, e como o IVVB11 replica o S&P500, esse investidor também poderia ter um perda caso o S&P500 desvalorizasse.

O número de possibilidades de Hedges com ativos é quase infinito. Mais um exemplo:

João é proprietário de uma empresa de transporte de cargas. Sempre que a Petrobras aumenta o preço do Diesel ele diminui sua margem de lucro. Sabendo que, pela nova política de preços, a Petrobras pretende aumentar os preços dos combustíveis sempre que os preços do petróleo subirem, João decide comprar ações da Exxon Mobil nos EUA, porque os lucros da Exxon aumentam exponencialmente com a alta dos preços do petróleo.

O outro tipo de Hedge financeiro é o com derivativos. Deve-se tomar muito cuidado com esse Hedge, porque os ganhos e perdas com derivativos ocorrem muito rapidamente, portanto deve-se sempre operar na quantidade certa.

O Hedge com derivativos sempre vai custar caro quando ele não é utilizado. As duas formas principais de proteger a carteira usando derivativos são comprando PUTs (opções de venda) bem Out The Money (opções de centavos) e utilizando o mercado futuro.

Nos Estados Unidos é bem mais comum o Hedge utilizando-se de PUTs, como aqui o mercado é menos líquido e menos ações têm opções de vendas líquidas, só dá para desenvolver essa estratégia nas ações mais negociadas. A ideia seria sempre estar comprado em uma PUT de centavos e, caso o mercado caísse, seria possível vender suas ações pelo preço contratado na PUT.

Exemplo: VALE5 está cotada em 30 reais e Luís cobriu toda a sua posição nessa ação com PUTs com preço de Strike em 24 reais e pagou 15 centavos por cada opção. Antes do vencimento das opções ocorre uma grande crise na China e a VALE5 cai para 15 reais, então Luís resolve exercer sua posição e vende todas as suas VALE5 por 24 reais.

Deu para perceber que essa proteção também tem riscos, se a cotação da ação nunca caísse, Luís perderia dinheiro sempre que as opções vencessem e ele tivesse que comprar uma nova série para manter a proteção de pé.

No outro tipo de Hedge com derivativos a ideia é ficar comprado em ações e vender uma certa quantidade de contratos futuros de índice que equivaleriam a sua posição em ações.

Exemplo: José tem uma carteira de ações de 68 mil reais e acha que o mercado irá cair nas próximas semanas. Por isso ele vende 5 mini-contratos futuros, que equivalem a 68 mil reais e "protege" sua posição.

O problema dessa operação é que se o mercado de ações subir ele vai perder todo o lucro que teria com a valorização das ações, a menos que as ações dele subam mais que o índice. Por isso, não dá certo ficar sempre hedgeado, além da possibilidade de prejuízo caso o mercado suba o investidor também tem que pagar corretagem e impostos caso tenha lucro.

Eu operei vendido no mercado futuro nesse mês de janeiro e agora estou 0,3% mais pobre por causa disso. O saldo mensal ainda está bem positivo, porque vendi uma quantidade de mini-contratos muito menor do que o que equivaleria à minha carteira, mas mesmo assim é um prejuízo.

Eu recomendo só utilizar os Hedges de diversificação e os Hedges com ativos, porque os Hedges com derivativos se tornam muito caros a não ser que você acerte o movimento do mercado. Só utilize os derivativos para Hedge se não tiver dúvidas sobre o funcionamento deles e se tiver como cobrir as possíveis perdas.

Abraços!  

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Discussão de Resultados: Cosan 3T16

Essa discussão de resultados refere-se ao terceiro trimestre de 2016, os resultados do quarto trimestre de 2016 ainda não começaram a ser divulgados.

COSAN: CSAN3

A Cosan conseguiu reportar um resultado muito bom, mesmo com vários fatores adversos que impactaram sua lucratividade. A diminuição do preço do petróleo e a valorização do real sobre o dólar diminuem a competitividade do etanol combustível, um de seus principais produtos, mas, mesmo assim, a administração e os outros negócios da Cosan garantiram 327,5M de lucro.

A Cosan melhorou muito desde a cisão entre Cosan Logística (RLOG3) e Cosan Energia (CSAN3) ocorrida em 2015, a Cosan Logística até agora ainda é deficitária, enquanto a CSAN3 alcança resultados cada vez melhores.

A Cosan é uma Holding de empresas de energia, atualmente possui 50% da Raízen Combustíveis, 50% da Raízen Energia, 62,6% da Comgás e 100% da Moove Lubrificantes.
A Raízen Combustíveis é uma Joint Venture entre a Cosan e a Shell, cada uma com 50% de participação, ela é proprietária da rede de postos de combustíveis Shell no Brasil. Esta empresa registrou lucro de 534,9M no trimestre.

A Raízen Energia também é uma Joint Venture entre a Cosan e a Shell, cada uma com 50% de participação, para produção de etanol, açúcar e cogeração de energia elétrica com biomassa. Esta empresa registrou lucro de 275M no trimestre.

A Comgás (CGAS3/CGAS5) é uma empresa concessionária de distribuição de gás natural no estado de São Paulo listada na Bovespa. Esta empresa registrou lucro de 195,9M no trimestre.

A Moove Lubrificantes é uma empresa distribuidora de óleos lubrificantes e registrou prejuízo de 3,2M no trimestre. A Moove é a menor empresa do grupo e ainda está em fase de ramp up, o prejuízo dela é quase irrelevante para a Cosan.

A Cosan, ainda, possuía 37,7% da empresa de desenvolvimento de terras Radar, que foi vendida no quarto trimestre de 2016 e cujo lucro da venda só irá aparecer no próximo resultado. Durante o ano de 2016 também foi vendida a participação da empresa na STP, a empresa de pagamentos eletrônicos em estacionamentos e estradas da marca Sem-Parar, o que representou uma boa parte do lucro de 2016.

É importante ressaltar que o lucro das participações somados é maior que o lucro da Cosan, porque a Cosan ainda paga as despesas administrativas da Holding e os juros sobre as dívidas da Holding.

A Cosan possui grandes vantagens competitivas em suas áreas de atuação por causa dos ganhos de escala e sinergias entre suas empresas, além disso a administração da empresa conseguiu fazer aquisições e acordos muito lucrativos que impulsionaram a Cosan e a tornaram uma das maiores empresas do Brasil.
Fundador e Presidente do Conselho de Administração da Cosan
A CZLT33, controladora da Cosan, também é listada em bolsa, mas não é a mesma coisa que comprar CSAN3, porque comprando CZLT33 o investidor levaria CSAN3 + RLOG3 + dívidas da Holding CZLT33.

A cotação da grande maioria das empresas listadas na Bovespa subiu muito nas últimas semanas e agora está bem mais difícil peneirar as empresas que ainda estão vantajosas para compra. Ainda considero a Cosan uma empresa vantajosa para compra, embora bem menos vantajosa do que há algumas semanas atrás.
 
Nota: MB
 

domingo, 22 de janeiro de 2017

Prévia do Ranking de Rentabilidade

Salve, confrades investidores! Segue a lista de competidores confirmados para o ranking de rentabilidade de blogueiros do anno de 2017:

1- Marcelo Barbarossa
2- Gregório Carnegie
3- O Aportador
4- Investidor Livr3
5- Longe do Limite
6- Zé Ninguém Investidor
7- Investidor Convicto
8- Pretenso Milionário
9- Investidor Águia
10- Investidor Defensivo
11- Noob Investidor
12- O Idiota
13- Surfista Calhorda
14- Pobre Japa

15- Meu 1º Milhão
16- Investidor das Exatas

As inscrições ainda estão abertas, a ideia é chegar a cerca de 20 competidores.

Deixei as regras no post "projetos para 2017" e vou reproduzi-las abaixo:

1) Calcular a rentabilidade somente de investimentos líquidos (ações, FII, RF em geral, derivativos, bitcoin, ouro, etc.).
2) Não colocar investimentos sem liquidez no cálculo da rentabilidade (imóveis, carros, lancha, filhote de cachorro, quadro do Picasso, etc.).
3) Atualizar a rentabilidade mensal até o dia 10 de cada mês.
4) Utilizar a planilha padronizada para o cálculo da rentabilidade, a planilha disponibilizada pelo blogueiro ADP que pode ser baixada neste link.

Abraços!

*este post será atualizado com novas inscrições no ranking

sábado, 21 de janeiro de 2017

Review: Conta Digital Intermedium

Recentemente abri a Conta Digital no Banco Intermedium e estou bastante satisfeito com as funcionalidades da conta. Alguns blogueiros já explicaram as funcionalidades da conta e suas vantagens, este review será um relato pessoal das minha experiência com a abertura de conta e sobre as minhas opiniões sobre os recursos da conta.

A abertura da conta deixou muito a desejar, diferentemente dos cadastros de outros serviços financeiros, para a abertura da conta só é possível enviar fotos dos documentos e acabei me dando mal porque não sabia disso. Tinha todos os meus documentos e comprovantes escaneados salvos no meu computador e tive que ficar tirando foto com o tablet, mas o maior problema dessa etapa é que tinha cadastrado o endereço dos meus pais e não estava com o comprovante de residência deles em mãos e resolvi mandar o da minha residência mesmo. Infelizmente, não existe a opção voltar no cadastro e não consegui corrigir os dados que já tinha colocado.

Esperei dez dias para que fosse feita a análise de minha conta, para só aí poder corrigir os erros. Além do óbvio erro do comprovante de residência o email também dizia: "ausência de assinatura no cartão de assinaturas". Pois bem, tentei escrever minha assinatura várias vezes e não sabia o que estava errado, cada vez que eu upava o cartão de assinaturas demorava mais dez dias para me dizerem que estava errado. Tentei usar o chat e os operadores de chat do banco estavam totalmente desorientados para me responder porque não conseguia a análise com sucesso do cartão de assinaturas. Até que um operador mais astuto me disse que tinha um bug nos aplicativos para tablet da Apple que upava o cartão de assinaturas em branco. PQP! Fiquei dois meses esperando para abrir a conta por causa de um bug! Se está com bug por que o aplicativo continua no ar?
Foi uma Odisseia conseguir abrir a conta
Depois que descobri o bug do tablet upei o cartão de assinaturas com o celular e pedi prioridade para a abertura de conta, então abriram a conta no dia seguinte mas o processo todo demorou 2 meses.

Consegui eliminar todas as tarifas bancárias que eu pagava com a abertura da Conta Digital. Já tinha mudado minha conta salário para o pacote serviços essenciais que é gratuito e agora mando o dinheiro para a Conta Digital por meio de boleto, também não se paga nenhuma tarifa nisso, e consigo fazer infinitas TEDs gratuitas.

Além disso transferi grande parte de minha reserva de emergência que ficava na poupança do bancão para o CDB liquidez diária do Intermedium que rende 100% do CDI. É, ainda, possível investir em LCI e CDBs com mais rentabilidade caso o dinheiro seja aplicado em um produto sem liquidez diária, mas, como quero uma reserva de emergência que renda um pouco mais que a poupança, resolvi aplicar no CDB liquidez diária.

A Conta Digital ainda oferece um cartão de débito, também é possível habilitar a função de crédito, mas aí seria cobrada anuidade. Também são oferecidos empréstimos e financiamento imobiliário, mas como eu não uso esses produtos não vou comentá-los por agora.

Abertura de conta - NOTA: L
Funcionalidades da conta - NOTA: E








Abraços!

Você é um campeão!


Olá pessoal, estou lendo o livro de Roberto Shiyashiki - A Revolução dos Campeões - e nele há um conto que achei interessante e gostaria de compartilhar com todos.

É um conto simples, porém podemos fazer uma reflexão de como estamos encarando nossa vida e nossas dificuldades.


O ECO

Um pequeno garoto e seu pai caminhavam pelas montanhas.

De repente o garoto cai, se machuca e grita :

– Aai !!!

Para sua surpresa escuta a voz se repetir, em algum lugar da montanha :

– Aai !!!

Curioso, pergunta: – Quem é você?

Recebe como resposta: – Quem é você?

Contrariado, grita: – Seu covarde!!!

Escuta como resposta: – Seu covarde!!!

Olha para o pai e pergunta aflito: – O que é isso?

O Pai sorri e fala: – Meu filho, preste atenção!!!

Então o pai grita em direção a montanha: – Eu admiro você!

A voz responde: – Eu admiro você!

De novo o homem grita: – Você é um campeão!

A voz responde: – Você é um campeão!

O garoto fica espantado sem entender nada.

Então o pai explica:

As pessoas chamam isso de ECO, mas na verdade isso é a VIDA.

Ela lhe dá de volta tudo o que você diz ou faz.

Nossa vida é simplesmente o reflexo das nossas ações.


Se você quer mais amor no mundo, crie mais amor no seu coração.

Se você quer mais responsabilidade da sua equipe, desenvolva a sua responsabilidade.

Se você quer mais tolerância das pessoas, seja mais tolerante.

Se você quer mais alegria no mundo, seja mais alegre.

Tanto no plano pessoal quanto no profissional, a vida vai lhe dar de volta o que você deu a ela.



Esse conto é filosófico e pode ter inúmeros pontos de vista. O conto, como observado em cima trata basicamente que "a VIDA lhe dá de volta tudo o que você diz ou faz", ou seja, se você quer ser uma pessoa de sucesso, não adianta você se olhar no espelho toda manhã e falar para si mesmo que é um derrotado, não adianta você querer ficar rico daqui a alguns anos se você mesmo não tomar as rédeas da situação. Deve falar para si mesmo que consegue e está no CONTROLE DA SITUAÇÃO.

Este conto, como o próprio nome diz é o ECO, ou seja, irá refletir na nossa vida, tudo aquilo que plantamos ou acreditamos.

Para finalizar, as palavras "mundo, equipe, pessoas" no final do conto poderá ter outras interpretações. Olhando para nós mesmos:

Se você quer mais amor na SUA VIDA, crie mais amor no seu coração.
Se você quer mais alegria na SUA VIDA, seja mais alegre.
Se você quer mais tolerância das pessoas, seja VOCÊ MESMO mais tolerante

Em suma, não devemos ser passivos, se queremos a mudança, devemos mudar nós mesmos.
Esse conto é bastante reflexivo, é bom para trocarmos diferentes pontos de vista.

Grande abraço

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Mévio - Operação de Risco Ilimitado

Eu gosto de utilizar alguns conceitos do mercado financeiro para me orientar nas decisões de minha vida pessoal. O conjunto de técnicas para operar o mercado financeiro poderiam ser resumidas a apenas Administração de Riscos e é exatamente esse o principal conceito que eu levo do mercado financeiro para minha vida.
No mercado financeiro, assim como nos outros aspectos de nossas vidas, nunca se deve montar uma Operação de Risco Ilimitado. Um exemplo desse tipo de operação é a venda a descoberto (sem a ação) de pó de opções (opções que valem poucos centavos), esse é o tipo de operação que o operador pode ganhar 100 vezes seguidas, mas na vez que ele perde o prejuízo é tão grande que ele quebra. Quando a Petrobras descobriu o pré-sal as ações valorizaram muito e alguns pó de opções foram exercidos, alguns operadores que montavam esse tipo de operação perderam quase todo o patrimônio que demoraram anos para juntar.

Onde fica o Mévio nessa história?


Pois bem, o Mévio dessa história era um de meus superiores na empresa em que trabalhava há alguns anos atrás, era o típico cara que gostava de contar vantagem: pegava muita mulher, tinha um Hyundai i30 zero quilômetros e ainda era um excelente investidor (comprou um apartamento financiado na planta* no auge da especulação imobiliária).

Mais uma vez, o Mévio dessa história não tinha um controle etílico muito bom e resolveu ir para a balada para demonstrar sua impressionante capacidade de atrair a atenção do mulherio (nesse caso são merdalheres e diabolheres que frequentam esses locais).

O final é clássico: Mévio montou uma Operação de Risco Ilimitado para voltar para casa, elevou tanto a quantidade de etanol no corpo ao ponto de capotar o seu belo Hyundai i30 novo em uma rotatória.
O ponto principal é que o Mévio já tinha feito essa Operação de Risco Ilimitado várias vezes, mas a única vez que deu errado ele tomou um prejuízo imenso: perdeu o valor inteiro do carro que não tinha seguro e, por sorte, escapou sem nenhum ferimento nele próprio, destruição de propriedade de terceiros e também não foi autuado pela polícia.

Conclusões


Alguns podem perguntar: "mas não seria bem melhor se o Mévio tivesse seguro?" Pode até ser mais fácil, mas não seria muito mais prudente se ele não ficasse alucinado com álcool e ainda resolvesse dirigir para casa e repetir essa operação inúmeras vezes até dar errado?

Também já fiz algumas operações de risco ilimitado em minha vida, claro que com prejuízos muito menores do que o assumido pelo Mévio. Já bati o carro por dirigir de forma imprudente, embora não estivesse alcoolizado, é outra típica Operação de Risco Ilimitado:
Possível ganho: chegar 5 minutos antes do previsto no destino.
Possível prejuízo: bater o veículo e pagar danos no seu carro e a terceiros e ainda correr o risco de morrer ou ferir-se gravemente.

Isso pode dar certo mais de 100 vezes, mas uma vez que dá errado você toma um prejuízo tão grande que acaba com todo seu ganho acumulado e você ainda perde muito. Dessa vez, mesmo assim, o custo dos reparos ainda ficou menos que o prêmio anual do seguro.

É importantíssimo sempre analisar as nossas ações e verificar se estamos incorrendo no erro de montar uma Operação de Risco Ilimitado, ás vezes só damos conta do risco que assumimos após tomarmos um prejuízo.

*Imóvel na planta = Imóvel pra anta.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Discussão de Resultados: Ferbasa 3T16

Cia de Ferros da Bahia - FERBASA - FESA4

A Ferbasa conseguiu um resultado apenas razoável, a empresa foi prejudicada no terceiro trimestre de 2016 pela queda do preço de seus produtos no mercado internacional e menor demanda interna, além disso o aumento do preço da energia elétrica e a valorização cambial contribuíram para o resultado fraco. A Ferbasa registrou um lucro trimestral de apenas 6,4M.

A Ferbasa possui a maior reserva de ferro cromo das Américas, contabilizando mais de 90% do ferro cromo americano em sua reserva, porém, em termos mundiais, sua reserva equivale a cerca de somente 1% das reservas de ferro cromo conhecidas, porque a maioria das reservas se localizam no velho mundo. A Ferbasa minera e produz ligas de ferro cromo, utilizado na produção de aços inoxidáveis, e ferro silício, que é mais comum e também utilizado na fabricação de aços.
As outras vantagens competitivas da Ferbasa são a produção verticalizada das ligas de FeCr e FeSI e a administração altamente conservadora da empresa, que só conseguiu salvar esse resultado porque possui quase 200 milhões de reais de caixa líquido, caso possuísse dívidas, com certeza, o resultado seria um prejuízo. A Ferbasa é, diferentemente das outras empresas de capital aberto, controlada por uma fundação beneficente, isso é traduzido no conservadorismo da gestão e pela preferência em manter um caixa líquido grande e realizar poucos investimentos. 

A Ferbasa é uma empresa bem administrada e com vantagens competitivas, mas ela ainda precisa resolver o problema dos altos custos energéticos para que se torne um investimento favorável, ou o preço dos seus produtos precisa subir para que compense os altos gastos em energia elétrica.

NOTA: B