sábado, 14 de outubro de 2017

Ranking de Rentabilidade - Setembro 2017

O mês de setembro foi marcado pela continuidade da alta dos mercados de capitais, por isso, mais uma vez, nenhum integrante ficou com rentabilidade negativa. Pelo menos este mês estou conseguindo publicar o Ranking perto da data planejada, vou tentar publicá-lo sempre até o décimo segundo dia de cada mês, permanecendo o décimo dia do mês como a data máxima para a atualização da rentabilidade dos participantes. Sem mais delongas, está no ar a edição Setembro Anno 2017 do Ranking:

Série A: Masters of the World


Consegui manter a liderança no Ranking a partir das seguintes rentabilidades acumuladas: 47,48% na carteira Brasil; 6,13% na carteira USA, e 311,24% na carteira de criptomoedas. As criptomoedas realmente estão ajudando muito, quisera eu ter investido mais durante o ano passado, porque minha alocação total nelas pouco passa de 10% da minha carteira consolidada.

Eu sempre gostei das manobras do Surfista Calhorda, mas nesse mês elas foram deveras "suspeitas". A rentabilidade foi sinalizada com a cor laranja e com asterisco porque a seção de Malha Fina da CAPITALISMUS S/A encontrou indícios de contabilidade criativa no cálculo da rentabilidade, em desacordo com as regras do Ranking:
Foi identificado que a Regra 2 não foi observada por ocasião do cálculo da rentabilidade. Não tinha entendido que desde junho o Surfista contabilizou a rentabilidade imobiliária. Nesse caso, o jeito de contabilizar o imóvel, de acordo com as regras, seria contabilizar a retirada de recursos do cálculo para comprar o imóvel e depois contabilizar um novo aporte após a venda do imóvel.
Especialista em contabilidade e grande amiga do Surfista
O Pretenso Milionário permaneceu em terceiro lugar, não teve tempo de fazer seu post e informou sua rentabilidade por meio de um comentário no blog. O Economicamente Incorreto, para variar, atrasou o fechamento mensal e permaneceu com a rentabilidade repetida de agosto, recebendo uma NOTA CENSORIA.

Série B: Not Bad


O Noob Investidor repetiu o atraso na publicação da rentabilidade por mais de dois meses seguidos e foi retirado do Ranking, o lugar dele foi assumido pelo Investidor Wannabe. Suspeita-se que o Noob tenha caído em um golpe de uma das Thots que cresceram o olho nele após a compra do seu imóvel.
É uma bilada Cino!
O Investidor Defensivo permaneceu na quinta posição e sua carteira de ações performou 2,04% no mês. O Zé Ninguém realizou duas ultrapassagens e ocupa a sexta posição, sua carteira de ações rendeu 3,48% em setembro. Bastou o Longe do Limite ficar com a rentabilidade próxima de zero em um mês para que ele sofresse três ultrapassagens e caísse da Série A. Enquanto isso, o foguete do Ranking, o Investidor Convicto, continua ganhando alturas e conseguiu subir para a série B.

Série C: Pé-de-chinelo


Carnegie conseguiu sua maior rentabilidade mensal até agora, fruto da maior alocação em RV, em detrimento da RF, ganhou uma posição e ficou em nono. O Pobre Japa conseguiu realizar três ultrapassagens com sua rentabilidade mensal de 2,75% e assumiu a liderança do pelotão com rentabilidades de 11% a 13% que vai da décima até a décima terceira posição. O Aportador terminou na décima segunda posição, conseguindo uma boa rentabilidade mensal de 2,38%. O novato, Investidor Wannabe, ingressou o Ranking na décima segunda posição e com uma carteira com cerca de 74% em TD e 26% em ações.
Japa ultrapassando o Idiota e o Aportador
A fila de espera para a entrada no Ranking ficou: 1) Maromba; 2) Bna; 3) Tio Patinhas; 4) Viver de Trade. O Wannabe estava em terceiro e entrou no Ranking antes dos dois primeiros porque era o único que fazia acompanhamento de rentabilidade desde janeiro.

Série D: Jênios das Finanças


A rentabilidade mensal de apenas 0,88% do Idiota não foi suficiente para impedi-lo de cair para a Série D e ele ficou na décima terceira colocação. Seguem na corrida dos jabutis o M1M, seguido pelo Heavy Metal e pelo Investidor das Exatas. Sem ultrapassagens nas últimas colocações, mas o jabuti do M1M começou a esticar as passadas.
Link para o Ranking de agosto

Abraços!

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Comentários: SLC Agrícola 2T17

Há quase um ano atrás eu escrevi pela primeira vez sobre a SLC, naquela época, a SLC tinha registrado um prejuízo de 58M por causa da seca no Brasil. Agora, com condições climáticas normais e recuperação dos preços das commodities agrícolas, a SLC conseguiu lucrar 76,5M no trimestre.
A SLC mudou da fase expansionista para a fase de consolidação, o foco da empresa agora é aumentar a rentabilidade e o retorno para os acionistas, enquanto que no período de 2007 até 2015, o foco foi adquirir mais terras e aumentar a área plantada. Considero que a SLC está tendo sucesso nesse plano, porque está conseguindo trabalhar com boas rentabilidades e manter a dívida líquida em valores totalmente controlados.
Há alguns anos atrás eu percebi que o setor agrícola tinha grandes chances de se expandir, mas não tinha certeza se essa expansão seria lucrativa ou não. Como exemplo temos o mercado de aviação civil, que apesar de ter expandido de forma exponencial nos últimos 100 anos, acabou gerando mais prejuízo do que lucro aos investidores. Avaliei se seria melhor adotar a estratégia das "pás e picaretas", ou seja, comprar ações de fornecedores do setor, mas no Brasil só temos a Metisa, que está bem meia boca. Internacionalmente há bons fornecedores como a John Deere, mas na época eu ainda não tinha acesso ao mercado americano. Resolvi comprar SLCE3 por 13,XX e tem se mostrado uma compra muito acertada até agora.
Localização das fazendas da SLC
Como disse há um ano atrás, o setor agrícola é extremamente volátil, ou usando um bordão: "agricultura não é para amadores". Há inúmeros fatores climáticos e biológicos que podem destruir uma safra e a disputa para a produção com menos custos nunca para. A SLC está se saindo bem nessa disputa e está mostrando que o modelo de negócios dela é acertado. A outra empresa do setor na bolsa, a Terra Santa, está há anos sem sair do lugar e amargando prejuízos.
As cotações da SLCE3 subiram muito nos últimos meses, chegando até 23,XX reais, mas eu acredito que a empresa tenha mesmo conseguido gerar valor que correspondeu à subida de preços, dessa forma, apesar da SLCE3 não ser mais uma barbada, ainda acredito ser uma empresa vantajosa ao investimento.



O próximo post será o Ranking de Rentabilidade

sábado, 7 de outubro de 2017

Criptomoeda Dash: O que é?

A Dash é uma criptomoeda que tem a proposta de ser um Bitcoin melhorado, ela possui transações mais rápidas e quase instantâneas, taxa muito mais baixa e transações anônimas. A ideia foi criar uma criptomoeda que permitisse funcionalidades do dinheiro físico (anonimato e instantaneidade) a nível global, mantendo um número fixo de criptomoedas emitidas, dessa forma não existe o imposto da inflação sobre a Dash.
A Dash foi criada em 2014 com o nome de XCoin e pouco depois de um mês passou a se chamar Darkcoin, depois de um ano foi adotado o nome atual, mais comercial e menos underground, Dash é a junção de "digital cash" em uma só palavra.

A Dash ficou conhecida no Brasil por causa do canal de Youtube de conteúdo libertário Ideias Radicais, do Raphaël Lima, que recebeu patrocínio da organização Dash e abordou a criptomoeda Dash em alguns vídeos.

Resolvi adquirir Dash em maio desse ano, na época o valor unitário estava em 96 dólares. Enquanto escrevo este post, o valor unitário da Dash está em 308 dólares e ainda vejo bastante espaço para crescimento por causa das funcionalidades que superam as do Bitcoin e também porque o limite máximo de emissão da Dash é de apenas 18,9M, enquanto o limite máximo de emissão do Bitcoin é de 21M unidades.

Infelizmente, o melhor método de comprar Dash ainda é seguir os passos que eu expliquei no Guia de Compra de Altcoins, o jeito mais barato é comprar Bitcoin na Foxbit e trocar por Dash na Poloniex ou na Bittrex. Existe a opção de comprar direto pela CoinBR, mas verifiquei que eles estão cobrando 20% mais caro do que nos EUA. Fazendo a operação pela Foxbit-Poloniex, eu comprei Dash na semana passada pagando, no total, menos de 7% mais caro do que nos EUA.

Como Funciona a Dash?


Patrocínio da Dash, utilizando verba de propaganda
A rede Dash funciona de forma diferente da rede Bitcoin, uma das maiores diferenças é a existência de Masternodes, que têm a função de realizar a anonimidade e instantaneidade da rede. A recompensa de mineração e de taxas de transação é dividida em 45% para os mineradores (que suprem o processamento da rede), 45% para os masternodes e 10% de orçamento para a organização Dash para desenvolvimento e propaganda.

O Masternode é um servidor específico que necessita de 1000 Dash para operar, portanto o número de Masternodes possíveis é limitado pela escassez da moeda, além de prover a instantaneidade e anonimidade, os Masternodes também são os eleitores da organização Dash e votam propostas de como gastar o orçamento da organização.
Atualmente, com o valor da Dash em de cerca de 1000 reias, custaria 1 milhão para criar um novo Masternode, que renderia cerca de 7 Dash por mês, ou cerca de 7 mil reais. Se eu fosse esperto o suficiente para conhecer a Dash em 2015, poderia ter comprado um Masternode com apenas 10 mil reais e ter uma renda de 7 Dash mensais.

A Dash tem três tipos de transações, as transações normais, que funcionam como as transações de bitcoin, mas são muito mais rápidas; as transações InstantSend, que demoram cerca de 1,5 segundos para a confirmação, e as transações PrivateSend, que mixa os endereços de envio e recebimento, tornando quase impossível o rastreio dos endereços que participaram da transação.

O que comprar com Dash?


Ainda existem muito poucos comércios que aceitam a Dash, mas já é possível pagar contas e boletos com Dash através do Dasher Pay e é possível ter um cartão pré-pago Adv Cash que pode ser carregado com Dash.
A Dash tem grandes vantagens em relação ao Bitcoin na utilização como dinheiro. O Bitcoin tem uma marca muito mais conhecida e tem vantagem para a manutenção de reservas de capital, mas como a Dash possui taxa de transação atual de cerca de dois cents (a taxa atual do bitcoin é de cerca de dois dólares) e transações instantâneas, seria muito mais vantajoso utilizar a Dash como dinheiro propriamente dito.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Comentários: Taesa 2T17

A Taesa (TAEE11) é uma empresa com resultados bastante previsíveis, porque a atividade dela é extremamente simples e tediosa: a manutenção de linhas de transmissão de energia. O lucro líquido da Taesa foi menor que nos últimos trimestres, somente 72M, porque o IGP-M recuou no último trimestre, como o valor das concessões é atualizado na demonstração de resultados, um IGP-M negativo significa depreciação de ativo financeiro de concessões. Nada para se preocupar quanto a isso, o efeito é apenas contábil.
Como expliquei no meu último post sobre a Taesa, há quase um ano atrás, o setor de energia elétrica é dividido em três segmentos e o segmento de transmissão, por sua vez, é dividido no Brasil em três tipos de concessão. A Taesa possui, ainda, a maior parte de suas concessões na Categoria II, mas ganhou vários leilões de transmissão Categoria III no período entre hoje e meu último post.
Como é bom investir em empresas tediosas
As concessões de Categoria II terão a RAP (receita anual permitida) reajustadas em menos 50% entre 2017 e 2021, quando acaba o período inicial de 15 anos previsto na concessão. Esse reajuste só terá impacto na geração de caixa da Taesa, porque os resultados já são ajustados segundo uma contabilidade que deixa "linear" a RAP da categoria II.

A Taesa não é uma empresa que poderá ter um crescimento vertiginoso, mas ela tem potencial de continuar gerando muito caixa e pagando bons dividendos. As linhas que estão em construção, vencidas nos últimos leilões, poderão manter a geração de caixa da Taesa, mesmo com a redução da RAP na Categoria II. A empresa também opera com um nível saudável de endividamento e a redução dos juros também diminuirá sensivelmente os juros pagos pela Taesa.
A Cemig é a maior acionista da Taesa, mas a Taesa não é uma empresa estatal, porque a Cemig não tem o controle da Taesa. Nos próximos meses pode acontecer a venda da participação da Cemig na Taesa para outra empresa, apesar de achar que tal fato não mudará muita coisa na Taesa, poderá ser um "driver" para que o mercado possa ver mais valor na Taesa.
Considero que a Taesa esteja favorável ao investimento nesse momento, ainda mais por ser uma empresa muito estável em um período em que o mercado está bastante valorizado de uma maneira geral. As empresas com receitas fixas, como a Taesa, tendem a subir menos em períodos de topo de mercado e cair bem menos nos fundos. Além disso, acredito que as novas concessões vão possibilitar a continuidade de pagamentos de dividendos maiores que 700M anuais nos próximos anos.

Taesa RI

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Fechamento Carnegie - Setembro 2017

Fechamento do mês de setembro no ar. Vivemos um boom da bolsa brasileira, com o índice alcançando níveis históricos... é de se surpreender. Como estava realizando a troca parcial de renda fixa por ações, e, para o longo prazo, vou continuar assim, obtive uma boa rentabilidade nesse mês.
Minhas compras basearam-se, basicamente, na troca de BBAS3 por outras que julguei mais interessantes, tal como KNRI11 (Fundo Imobiliário), ITSA3 (não comprei a ITSA4, pois estava mais barata) e CGRA3 (mesmo motivo por não ter comprado a CGRA4)

Estou me habituando com a compra de criptomoedas, tenho que estudar mais a fundo sobre o assunto. No momento, estou sem tempo por causa do trabalho, porém a ideia em ter uma posição em BITCOIN já me é favorável.


IBOV últimos 30 dias: +6,84%
IFIX últimos 30 dias: + 5,77%
Poupança: 0,50% a.m

Rentabilidade mensal: +2,89%
Rentabilidade da carteira: 15,94%

Livros lidos: A Renda Fixa não é Fixa


FRASE DA SEMANA:

"EDUQUE AS CRIANÇAS E NÃO SERÁ PRECISO PUNIR OS HOMENS"



segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Referendo de Independência da Catalunha

Contrariando o senso comum libertário, sou totalmente contrário à independência da Catalunha nos termos atuais, justamente por não se tratar de uma independência de facto. Em uma secessão, um território com pouca soberania separa-se de um estado maior para conseguir uma maior soberania e autonomia. É exatamente esse o problema da proposta de independência da Catalunha, a proposta é a secessão da Espanha, um país sem soberania, para criar um novo país com menos soberania ainda e totalmente vassalo à União Europeia e à OTAN.
Foi realizado um referendo pela secessão ontem, no dia 1º de Outubro. O "sim" ganhou com mais de 90% dos votos, o que já era de se esperar, porque quem era contrário não votou para boicotar o referendo e, além disso, ocorreram inúmeras fraudes, como um cidadão que votou quatro vezes em quatro urnas diferentes e cujas fotos circulam na internet.

1002 votos em um vilarejo com 470 habitantes
Tanto a ilegalidade do referendo pela constituição espanhola, bem como o resultado do referendo, para mim, não significam nada. A primeira porque não carrego a crença de que a legalidade deve passar por cima da moralidade e segunda porque a democracia é uma ameaça à raça humana.

Como já dizia o Sérgio Moro, basta seguir o caminho do dinheiro e você descobre os personagens. Pois bem, o que dizer de um movimento separatista apoiado por George Soros e pela elite globalista? Certamente é uma armadilha!

Os políticos socialistas catalães querem criar uma república totalmente vassala à União Europeia. A Espanha já é um estado inchado e não cresce por causa de políticas assistencialistas que minam a economia. A ideia da Catalunha é criar um estado com mais Welfare ainda e aumentar ainda mais a recepção de refugiados Wahhabi.

O senso comum libertário defende que toda a secessão é boa, porque reduz o poder de um estado grande e cria estados com menos poder. No caso da Catalunha é exatamente o oposto que acontece, apesar da UE negar e dizer que é contrária à secessão catalã, é extremamente favorável a ela que os países dentro da União se separem cada vez mais, assim cada estado teria menos força para contrariar qualquer decisão da UE.

O povo inglês recentemente desafiou a UE e, passados mais de um ano, continuam sendo enrolados pelos eurocratas que querem prolongar ao máximo a permanência do Reino Unido na União para tentar reverter a decisão do Brexit.
Qual a possibilidade disso dar certo?
A próxima jogada da União Europeia será a criação da Euro Army, o Exército Europeu, mais uma ferramenta para diminuir cada vez mais a soberania dos estados-nação e do indivíduo europeu. A UE já rouba a soberania dos países no campo político, com os eurocratas não eleitos, e no campo econômico, com o Euro e o BCE, e agora tentará dominar também a esfera de poder militar. O poder bélico é o mais perigoso. O que aconteceria com a Espanha se já existisse a Euro Army? A Euro Army poderia intervir contra a Espanha sob a acusação de utilizar força militar contra a própria população?

Paira no ar a dúvida de como sair da OTAN, visto que, até agora, nenhum país conseguiu tal façanha. Será que seria necessário declarar uma guerra de secessão?
Por fim, eu seria o primeiro apoiador da independência da Catalunha se eles propusessem sair da UE e da OTAN, instituir uma monarquia tradicional, acabar com o Welfare State e imigração descontrolada e adotar tarifas e impostos muito baixos para desenvolver a economia interna e atrair investimentos. Se for para que a Catalunha se torne um território totalmente vassalo da UE, prefiro que Barcelona seja bombardeada novamente.

domingo, 1 de outubro de 2017

Grandes Frases de Peter Lynch

Peter Lynch foi um dos maiores investidores de ações da história. Quando geriu o fundo Fidelity Magellan, alcançou excelentes retornos médios de mais de 30% a.a. durante 13 anos. Retirei algumas grandes frases do último capítulo do livro O Jeito Peter Lynch de Investir, onde ele explica sua estratégia na seleção de ações.
Os declínios do mercado são grandes oportunidades para se comprar ações de empresas pelas quais você se interessa. As correções deixam empresas excepcionais a um preço de oferta.

Essa frase nos remete ao final de 2016, onde todos falavam que o mercado de ações era uma furada e que a oportunidade da década estava na renda fixa. Para quem comprou renda fixa, deixou de ganhar  de balde com ações no período.

Tentar prever a direção do mercado ao longo do próximo ano ou mesmo dos próximos 2 anos é impossível.

Valer-se de relatórios milagrosos é péssimo no médio e longo prazo.

Para ter êxito, você não precisa estar certo o tempo todo ou mesmo na maior parte do tempo.

Fazendo sua análise corretamente, você poderá estar errado em certos períodos, porém com paciência, colherá os frutos a longo prazo

Você pode ganhar um bom dinheiro ao reunir uma série de lucros de 20% a 30 % em ações confiáveis.

Vou dar exemplos de uma blue chip que acumulou ganhos em menos de um ano - ITUB4 - final de 2016 até o presente momento - ganho de 39,79 %. 

O simples fato de que uma empresa já possuir um mau desempenho não significa que ela não possa ter um desempenho ainda pior.

Um bom exemplo da governança da Petrobras, péssima gerência e exemplos de corrupção que tornou a empresa mais endividada do mundo.

O simples fato de o preço de uma ação subir não significa que você esteja certo.

Lojas Marisa (AMAR3) chegou a R$ 30,00 em 2013, quando todos os analistas diziam que o varejo seria o novo motor econômico, e amargou R$ 4,50 em 2016 e ainda não voltou a ter lucros.

O simples fato de o preço de uma ação cair não significa que você esteja errado.

Quase todas as ações caíram no ano passado, quando os noticiários faziam projeções apocalípticas, até mesmo as empresas que passavam por momentos muito bons caíram.

Os preços de ações geralmente se movem em direções opostas as dos fundamentos do negócio, mas, no longo prazo, a direção e a sustentabilidade dos lucros prevalecerão.

Olhando a curva de lucros sobre o gráfico de preços, observa-se que sempre há uma correlação quando o prazo é longo.

Comprar uma empresa com perspectivas medíocres apenas porque a ação é barata é uma técnica ruim.

Exemplo da ação da OIBR4 que vale, até o presente momento, R$ 3,58 e vem caindo há anos, acumulando mais dívidas e prejuízos.

Vender uma destacada empresa de crescimento rápido porque suas ações parecerem estar ligeiramente sobrevalorizadas é uma técnica ruim.

Tomamos o exemplo de Magazine Luiza que sua ação subiu mais de 1800%
Uma ação não sabe que você a possui.

Sempre há algo com que se preocupar.

Mantenha a mente aberta para novas ideias.

Abraço a todos!

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Fechamento: Setembro Anno 2017 - Barbarossa

A ação da FORTVNA permitiu que minha carteira completasse o nono mês positiva e com excelente rentabilidade. A minha carteira Brasil foi a locomotiva da minha rentabilidade, a carteira USA teve uma rentabilidade razoável e a carteira de criptomoedas deu uma leve empacada depois de subir mais de 80% em agosto.
Rentabilidade da carteira Brasil: +7,54%
Rentabilidade da carteira USA: +1,63%
Rentabilidade da carteira de Criptomoedas: -11,16%

Rentabilidade Total: +4,69%
Rentabilidade Anual: +53,47%
Dólar mensal: +0,57%
IBOV mensal: +7,46%
IBOV anual: +17,61%

Minha carteira Brasil continuou batendo o IBOV, as minhas balas-de-prata, PQDP11 e UNIP5, continuaram rendendo bem e também merece uma menção honrosa o rendimento da CGRA3 e de PSSA3 em setembro.
Clichê, mas gosto desse gif do astronauta
Resolvi trocar CGRA4 por CGRA3 por causa do preço. Os direitos patrimoniais de ambas as ações são iguais, nesse caso a mais vantajosa é a classe de ação mais barata, a menos que o investidor tenha a intenção de formar uma posição grande o suficiente em ON para entrar para o conselho, mesmo assim, sempre seria opinião irrelevante, visto que os controladores detém mais que 50% do capital votante. Comprei CGRA4 quando esta estava mais barata e realizei a troca nesse mês, que me rendeu alguns trocados que usei para aumentar minha posição em UNIP5.

Aumentei minha posição em Sberbank, acredito que a ação esteja muito barata e vejo um potencial significativo de crescimento nos próximos anos, como eu expliquei no post Investimentos na Rússia.

As Criptomoedas finalmente deram uma empacada e pararam de alavancar a rentabilidade da minha carteira, por ora. Nada muda na minha visão do investimento, continuo achando que minhas três moedas possuem potencial de valorização por causa das características únicas como valor financeiro.

Por fim, o blog teve um pico de visualizações no dia que o esquema Kriptacoin quebrou. Obviamente, esse esquema fraudulento iria ter fim e, contrariando as expectativas dos deslumbrados, a Kriptacoin caiu. Depois que a Alcateia cair vou tentar não tocar mais nesse assunto no blog, apesar da construção do Hall of Fame com os comentários dos deslumbrados, eles acabam sendo inconvenientes e tenho que ficar dando exemplos de matemática financeira básica enquanto poderia estar abordando um assunto mais útil.
As mudanças na carteira foram:

-Aumento de posição em Unipar -UNIP5
-Aumento de posição em Sberbank - SBRCY
-Troca de CGRA4 por CGRA3
-Compra de DASH

Abraços!

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Comentários: Ferbasa 2T17

A Ferbasa (FESA4) conseguiu reportar ótimos resultados nos dois últimos trimestres. Lucrou cerca de 63M no último trimestre e conseguiu aumentar o caixa líquido para quase 409M. A companhia foi muito beneficiada pela elevação dos preços do ferrocromo e ferrossilício, o real valorizado prejudica a companhia a longo prazo, mas a curto prazo foi responsável por um ganho de Hedge de 19M no último trimestre. Somente o preço da eletricidade que continua sendo um grande empecilho para a companhia.
A Ferbasa possui 2% das reservas de ferrocromo do mundo, um metal utilizado para produzir ligas inoxidáveis de aço, porém as reservas de ferrocromo são altamente concentradas na África do Sul e na Ásia Central, então a Ferbasa possui quase a totalidade das reservas das Américas. O Ferrossilício, apesar de uma commodity mais barata, tem alto potencial de crescimento da demanda por causa da sua aplicação em motores elétricos e algumas baterias e eletrônicos.
Nos últimos trimestres o volume vendido foi apenas razoável, mas o preço maior dos produtos garantiu um lucro maior à Ferbasa. Vale ressaltar que em 2016 a Ferbasa utilizou uma estratégia de liquidação de estoques que garantiu maiores vendas externas. O mercado interno de ligas de ferro continua recessivo, mas a Ferbasa está conseguindo complementar a receita com vendas externas.
Eu disse no meu último post sobre a Ferbasa que seria extremamente vantajoso a empresa adquirir alguma geradora de energia para suprir parte de suas necessidades, por se tratar de uma empresa eletro-intensiva. No resultado do último trimestre e em alguns comunicados nos últimos meses, a Ferbasa informou que está em processo de negociação para adquirir participações em projetos de energia eólica.
Caixa líquido é propício para a aquisição de participações em geradoras
Em qualquer empresa de commodities, é fundamental a redução máxima dos custos de produção para conseguir produzir um produto mais competitivo. Nesse sentido, a Ferbasa está avançando com a compra de máquinas mais modernas de mineração e também na modernização dos fornos de biorredução.
Eu considero a Ferbasa a única empresa do setor de siderurgia e metalurgia favorável ao investimento, inclusive gosto bastante das peculiaridades dos seus produtos. A administração é muito conservadora, a empresa opera com uma saúde financeira muito boa e está pronta para adquirir alguma participação em geradora de energia que poderá melhorar mais a rentabilidade da Ferbasa. A Ferbasa permaneceu de 2010 até 2014 praticamente empacada, por isso alguns investidores não gostam da empresa, mas vale lembrar que enquanto a Ferbasa estava empacada, as grandes siderúrgicas estavam (e ainda estão) em um pesadelo sem fim por causa da alta alavancagem. Ainda não sou sócio, mas permaneço monitorando, acho que, apesar das altas recentes, o preço atual ainda pode estar vantajoso para o início de posição.

domingo, 24 de setembro de 2017

Ranking de Rentabilidade - Agosto 2017

Mais um mês de excelentes rentabilidades para todos os competidores do ranking, ninguém ficou com a rentabilidade negativa. Atrasei bastante para a publicação do ranking neste mês, é um post que dá bastante trabalho para elaborar e estava sem tempo/criatividade para publicá-lo antes. Antes tarde do que nunca, está no ar a Edição B3 Aces High do Ranking!

Série A: Masters of the World


A minha rentabilidade em agosto foi de estratosféricos 11,88%, grande parte disso foi devido ao fato de ser o único integrante do grupo com posição significativa em criptomoedas, que valorizaram estupendos 86,88% no mês! Teria um rendimento de cerca de 5% no mês caso não tivesse posição em criptomoedas, ainda assim, seria um número nada mal.
Meu quarto após 47,33% no ano - SQN
Para não dizer que sou o Ás Absoluto da finansfera, o confrade KB Investimentos conseguiu uma rentabilidade ainda melhor que a minha no acumulado do ano, 62,9% apenas com ações seletivamente peneiradas na B3.
Em segundo lugar ficou o Economicamente Incorreto que realizou uma ultrapassagem devido a sua excelente rentabilidade mensal de 6,02% na sua carteira 100% alocada em ações brasileiras. O ultrapassado Pretenso Milionário terminou em terceiro lugar com sua carteira de ações peneiradas que rendeu 24,82% no acumulado do ano. O Longe do Limite conseguiu passar para a Série A após ter surfado parte da onda de valorização do IBOV com as big caps que compõem sua carteira.

Série B: Not Bad


O Investidor Defensivo também conseguiu um excelente desempenho mensal de 4,80% e sua carteira alocada em 25 ações diferentes também conseguiu surfar parte da valorização do IBOV. Quem não anda surfando tão bem como antes é o confrade Surfista Calhorda, o cavalo paraguaio do Ranking, que passou da primeira posição para a sexta durante a disputa. As manobras do Surfista ultimamente não o têm ajudado muito, a Cemig, que saiu em disparada no começo do ano, agora está empacada, ainda assim, a rentabilidade acumulada de 19,71% no ano ainda é de causar inveja em muitos profissionais do mercado.
O atrasadinho Noob Investidor tomou uma NOTA CENSORIA por não publicar sua rentabilidade mensal, aliás, descobri uma forma de inibir o Cheat de aumento patrimonial por retirada no Ranking. Existe uma planilha de rentabilidade atualizada que considera o valor da cota como base para o valor da rentabilidade, dessa forma, os aportes e retiradas são irrelevantes para a determinação da rentabilidade. Acho essa forma de cálculo mais coerente e é inclusive a metodologia que os fundos utilizam. Vou adotá-la para mim a partir do próximo ano e é a forma de cálculo que o confrade Carnegie está utilizando desde já.
O Zé Ninguém permaneceu na oitava posição com sua carteira 100% focada em RV, alcançando a rentabilidade acumulada de 18,61%.

Série C: Pé-de-chinelo


O Investidor Convicto estava empacado no Ranking desde maio, quando sua rentabilidade era de 5,09% e acumulou 15,12% no fechamento de agosto, graças a valorização de suas BOVA11, bem como dos títulos prefixados que se apreciaram com a queda da Selic. Continuando assim, ele poderá passar para a disputada Série B.
Convicto Preparando para decolar
Carnegie permaneceu na décima colocação do Ranking, ele aumentou sua alocação em RV e também foi beneficiado pela valorização de títulos prefixados, a rentabilidade acumulada ficou em 12,68%. O Idiota realizou uma ultrapassagem e terminou em décimo primeiro, acumulando 10,61%. Logo na cola segue O Aportador, com uma rentabilidade de 10,33%, oriunda de sua carteira altamente diversificada.

Série D: Jênios das Finanças


Mesmo o pessoal da Série D está com uma rentabilidade boa nos investimentos, variando de cerca de 10% até 6,26% no acumulado do ano, o que já é maior que 100% da Selic. O Pobre Japa ingressou na Série D por causa do foco de sua carteira em RF, não conseguiu aproveitar grande parte da valorização das ações brasileiras no mês.
Japonês se rebaixando
O Buscando o Primeiro Milhão também está focado em RF e ficou em décimo quarto lugar com uma rentabilidade acumulada de 7,99%. O Heavy Metal também está bastante alocado em RF e também previdência privada, portanto as rentabilidades dele tendem a ser positivas, mas sem grandes saltos. Permanece na décima quinta posição, acumulando 7,70%. Em último, o eterno lanterna Investidor das Exatas que está alocado em RF e em um fundo multimercado.
Link para o Ranking de Julho

Abraços!

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Kriptacoin: a Queda

Apesar dos infinitos chiliques dos espertalhões que se autoproclamavam os magos do investimentos no meu primeiro post sobre o golpe da Kriptacoin, a realidade veio à tona e acabou com todas as ilusões de vaidade e ganância. A Kriptacoin oficialmente caiu, a polícia civil do DF acordou cedo no dia de ontem e fez uma visita inesperada às residências dos chefes do esquema e às instalações da empresa.
Eu gosto muito da Teoria da Casca de Cebola, explicada detalhadamente no primeiro post sobre esse golpe, ela diz que a informação financeira é análoga a uma cebola, os membros das cascas interiores são os mais bem informados e os membros das cascas externas não conseguem informação financeira de qualidade. A informação vale dinheiro desde que a teoria econômica impera sobre as relações de troca na humanidade, portanto é virtualmente nula  a chance de que alguém com pouca informação consiga encontrar um investimento melhor do que o pessoal do centro da cebola. Essa história do balconista à milionário (que atualmente está com paradeiro desconhecido) é uma prova da validade da teoria da casca de cebola: a menos que o balconista fosse um mago das finanças, uma pessoa que estudasse muito sobre investimentos, tivesse lido todos os clássicos e fizesse pesquisas próprias, é impossível que ele ache um investimento muito melhor que o pessoal do centro. Trata-se, portanto de um golpe.
Inspiração para o nome Kripta
As outras duas características que eu elenquei no primeiro post também aparecem em todos os esquemas de pirâmide brasileiros atuais: site malfeito e enorme incentivo em chamar novos participantes.

Pois bem, eu já não tinha dúvidas que se tratava de um esquema de pirâmide só por causa dessas três características, nem precisei ficar levantando dados sobre os fundadores do esquema ou sobre binário de pirâmides que eu "não sei, não quero saber e tenho raiva de quem sabe o que é". Era só questão de tempo até que os pagamentos cessassem e a pirâmide desmoronasse (assim como é questão de tempo para a Alcateia quebrar).

Da Glória até a Lama


Como eu disse, um esquema Ponzi sempre começa com sorrisos e risadas e termina com choro e ranger de dentes.

A Kriptacoin começou no final do ano passado com a promessa de lançar uma moeda digital brasileira e impulsioná-la através de um sistema de MMN. Eram oferecidas "franquias de mineração" que prometiam tirar leite de pedra, rendendo 1% ao dia, e ainda com a possibilidade de aumentar muito os rendimentos ao chamar mais gente para o esquema.

Em agosto desse ano a empresa passou a pagar os "clientes" de forma seletiva, alguns recebiam e outros não, e mudou os termos do contrato original, obrigando os "clientes" a receber o pagamento em Kriptas e não em reais. Ainda havia como converter as Kriptas em reais em um "caixa eletrônico" localizado na sede da empresa ou vender no site por um preço menor do que a empresa dizia que a Kriptacoin valia.
Somente depois de queixas sobre o não recebimento de dinheiro é que a justiça resolveu tomar alguma atitude contra a Kriptacoin. Poderia ter sido interrompido logo no começo um esquema fraudulento que movimentou cerca de 250 milhões de reais, mas como a justiça brasileira é quase sempre ineficiente e demorada, somente após o esquema naturalmente ruir é que foi tomada alguma atitude.
Líderes do esquema presos e bens adquiridos de forma ilegal apreendidos desde ontem, ostentação através do dinheiro roubado de pessoas alheias interrompida, por ora.

A "Engenharia" do Esquema


Obviamente, um esquema Ponzi é um sistema de transferência de dinheiro de deslumbrados que acreditam em promessas de enriquecimento rápido para os idealizadores do esquema, às vezes sobra algum residual e quem entrou no começo e chamou bastante gente também consegue ganho financeiro às custas do prejuízo alheio.

Nos últimos dias, os chefes do esquema ainda organizaram um festival de música eletrônica do esquema, penso que foi uma tentativa de lavar um pouco do dinheiro ilícito. Parece que os chefões achavam que ainda demoraria algumas semanas até que a Polícia lhes fizesse uma visita inesperada, por isso eles adiaram a fuga, que é a última etapa do esquema.
Aliás, os fundadores dos maiores esquemas de pirâmides financeiras poucas vezes conseguem fugir, parece que eles mesmos ficam deslumbrados com a ganância e vaidade e, por isso, sempre acham que vai dar para tirar um pouco mais de dinheiro antes da fonte secar. Aconteceu o mesmo com os chefões da Telexfree e com o próprio Charles Ponzi.

Fui Enganado e Perdi Dinheiro


Infelizmente, será muito difícil reaver alguma parte do dinheiro perdido. Após um longo processo judicial, os bens apreendidos serão liquidados e se sobrar alguma coisa depois de do fim do processo, o dinheiro poderá ser utilizado para indenizar os investidores que tiverem entrado na justiça, porém será bem difícil reaver algo. Se você tiver colocado alguém no esquema, reze para que a justiça não lhe descubra, porque você poderia até ser considerado cúmplice. Se você falou para suas vítimas seus amigos que era a moeda do futuro e 100% segura, o mais honesto a fazer é indenizar as perdas deles. De qualquer jeito, acho que convencer um piramideiro a indenizar uma vítima é ter muita fé na humanidade.

Hall of Dishonour

Parece que meu post dito "caluniador" estava certo no final
Não, Jhow! Você não vai combater o governo entrando para um esquema Ponzi



Não quero saber o que é binário. Saques em dinheiro nunca voltarão.


quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Primeira Impressão do Curso B3 (Bovespa)

Olá blogosfera! Hoje irei falar um pouco da minha opinião sobre o curso que realizei na B3 (Bovespa) que fiz no início do ano e levantar alguns aspectos sobre a realização do curso.

Desde já afirmo que toda absorção de conhecimento é válida. Por mais que perdemos um tempo vendo determinado assunto, ainda acho mais válido do que, simplesmente, deixar de lado qualquer esforço para se buscar o conhecimento. Afirmo isso de forma genérica, obviamente, pois muitos cursos são oferecidos somente para pegar seu dinheiro e, ao final, entregar um pedaço de papel com seu nome completo dizendo que realizou o curso (diploma).

Como sempre tive vontade de realizar um curso na antiga Bovespa, agora B3, este ano tive a disponibilidade de me deslocar para realizar o curso, pagando cerca de R$ 600 para fazer a inscrição. 

Conceitos de análise fundamentalista, ROE, indicador P/L, P/VPA, fluxo de caixa são alguns dos indicadores abordados em sala.

As turmas são compostas por inúmeras áreas pelo que pude observar e conversar com algumas pessoas. Muitos estão ali para "aprender a investir". Acredito que a grande maioria pensa desta forma, que irá ganhar uma fórmula mágica do conhecimento fazendo um curso de algumas dezenas de horas.

Essa ideia foi reafirmada. No curso, o conhecimento é padronizado, seguindo-se um cronograma rígido do conhecimento que deve ser passado. A princípio, não foi dada abertura a discussões fora do que é estipulado. Algumas perguntas feitas para o professor do tipo " qual o melhor investimento do momento, qual área é a mais promissora tendo o em vista o panorama atual, qual a visão da referida empresa "A" ou "B" ou"C", dentre outras, obviamente não são respondidas. Além disso, outras perguntas que "fogem" do que deve ser passado em aula não foram atendidas.
Com conversas com alguns alunos, vi que é padrão não fugir do que deve ser passado, tanto na questão do tempo, tanto de não realizar indicações que possam prejudicar a B3. De fato fiquei com essa sensação, porém vejo que deveriam ter deixado bem claro, inicialmente, que qualquer informação que fuja do cronograma não é respondida. Acredito que para alguns não ficarem com a sensação do professor querer "esconder" algumas informações (ou talvez não saiba mesmo). 

Pensando mais a fundo, vemos que o mercado modifica-se a qualquer momento e, as informações podem variar de uma hora para outra (não há formulas mágicas). Em suma, acho válido a experiência, além de conversar com pessoas de outras áreas que estejam interessadas na área econômica, é uma forma boa de fazer networking e troca de experiências. No curso, aprende-se o rumo, porém a profundidade de cada questão deve ser buscada individualmente com muito estudo.

Por fim, afirmo que todos nós temos condições de sermos auto ditadas, buscando o conhecimento por conta própria. Não devemos confiar todas nossas fichas em "gurus" do sistema financeiro. Muitas vezes podemos ficar desanimados. 

Como última palavra, há muito material bacana na internet, por vezes grátis, muitos fóruns e discussões na web e, principalmente, muitas pessoas altruístas dispostas a passar conhecimentos sem pedir nada em troca. Além disso é claro, os blogs disponíveis.

Grande abraço!

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Um ano de Blog - 334 anos da Batalha de Viena

O Blog Capitalismus completou um ano de existência, simbolicamente, no dia 12 de setembro de 2017, há exatamente 334 anos desse dia, homens valorosos se uniram para impedir que o Império Turco-Otomano dominasse a Europa. Viena estava há meses cercada pelos turcos e somente com ajuda dos poloneses foi possível vencer a batalha e romper o cerco.
Coloquei o vídeo abaixo em meu canal no Youtube há um anos atrás, mas, por causa de restrições da trilha sonora da banda Sabaton, ele ficou sem som por um tempo. São algumas cenas do filme "11 de setembro de 1683 - O cerco de Viena" que retratam a batalha por Viena.
 
Precisamos da mesma bravura dos austríacos e poloneses que se uniram para derrotar um inimigo em comum que ameaçava suas sociedades, suas famílias e tudo o que tinha valor para eles. A Europa está lamentavelmente sendo invadida por agentes que têm o único objetivo de destruir algumas das culturas que edificaram a humanidade e poucos conseguem se levantar contra as imposições da União Europeia que, planejadamente, determina as políticas que lentamente destroem a cultura europeia.

Falando sobre cercos, há nove dias atrás, em 5 de setembro de 2017, acabou o mais longo cerco da história desde a Idade Média. "Curiosamente", essa informação passou despercebida pela mídia convencional. A cidade síria de Deir ez-Zor, que fica nas margens do Eufrates, estava cercada há mais de três anos pelo Estado Islâmico (Daesh) e os combatentes do Exército Sírio conseguiram resistir por mais de três anos contando apenas com suprimentos aéreos.
Comemoração em Deir ez-Zor após o fim do cerco
O Daesh se enfraqueceu depois que foram cortados os apoios financeiros e bélicos internacionais (EUA, Israel, Arábia Saudita, Turquia, Qatar) e com a intervenção russa na Síria. Foi uma vitória não só contra o Daesh, mas contra as forças internacionais globalistas que ainda tentam dividir a Síria.

Mais uma vez, dois povos tiveram que se unir para derrotar um inimigo em comum.
Em um ano de existência, colocamos no ar 177 posts e recebemos 1434 comentários e 115 mil visualizações. Agradecemos a todos os leitores por terem contribuído com sugestões e comentários que ajudaram a construir esse espaço. Agradeço, também, aos blogueiros da Finansfera pela construção de uma comunidade sadia que permite trocar conhecimentos e crescer como pessoa.

Abraços!

domingo, 10 de setembro de 2017

Review: Cartão Trigg

A Trigger foi pioneira no Brasil ao anunciar um cartão de crédito com Cashback e gerenciamento por aplicativo de celular. O cartão da Omni Financeira permite receber em desconto até 1,3% do valor pago na próxima fatura, um benefício muito melhor do que o sistema de pontos da maioria dos cartões que é feito para que eles vençam sem que o cliente possa utilizá-los.
O processo de pedido do cartão é muito simples e sem burocracia, é necessário enviar poucos documentos e tirar uma foto de si mesmo. É importante ressaltar que a Trigger está selecionando clientes e é direito natural da empresa selecionar o perfil de cliente que mais se configura nas suas atividades, portanto a Trigger só aceita clientes que tenham bom histórico de crédito e rendas mensais e patrimônio relativamente altos. Acho, inclusive, que a Trigger está avaliando o endereço que é colocado no cadastro para selecionar os clientes.

O Trigg é um cartão de crédito feito para quem tem um gasto mensal considerável, ele não é vantajoso para pessoas que gastam menos de 1,5K reais por mês no crédito.
No exemplo acima, um cliente que consome 1500,00 reais por mês no crédito, receberia de volta em desconto 10,50 reais, que seriam suficientes para pagar a mensalidade de 9,90 reais e ainda sobrariam 0,60 centavos para comprar um chiclete Bubaloo.
As faixas de cashback são: a) 0,55% de 0 até 1K reais, b) 0,7% de 1K até 2K reais; c) 0,9% de 2K reais até 3K reais; d) 1% de 3K reais até 5K reais; e) 1,3% para fatura mensal acima de 5K reais.
Verifica-se que, se o seu caso for o da imagem acima, você conseguiria comprar uma caixa de Montecristo # 2 a cada 3 meses somente com o Cashback.

A interface do aplicativo é bem amigável ao cliente e é possível ter controle total da fatura e dos bloqueios de segurança do cartão, também é possível contatar o suporte diretamente pelo aplicativo. Falando em suporte, ele atende rápido e não é necessário ficar esperando no telefone como nos grandes bancos.

O processo de abertura de conta está levando cerca de três dias úteis para a análise das informações e perfil do cliente. A partir da aceitação do perfil, o cliente já recebe um cartão virtual que pode ser utilizado em compras online. O recebimento do cartão físico está levando em torno de duas semanas e ele é necessário para que seja desbloqueado todo o limite de crédito do cliente.

A utilização do crédito para pagar compras é a que mais favorece o consumidor (e mais desfavorece o vendedor) quando não há desconto para pagamento a vista. Como explicado no post sobre cartão de crédito, tempo é dinheiro e no crédito é possível contratar um empréstimo gratuito por até 30 dias.

Apesar das funcionalidades do cartão e descontos, é sempre importante lembrar uma frase do Julius:
Não deixem que o desconto do cartão domine a mente e faça com que você aumente os gastos desnecessários, tornando o cartão um agente da Matrix Financeira e não uma ferramenta para a Independência Financeira.