domingo, 25 de junho de 2017

EUA Não É Exemplo de Capitalismo

Os Estados Unidos não são um exemplo de capitalismo, mas sim de corporativismo. As grandes corporações e grupos econômicos internacionais conseguem exercer tanta influência sobre o governo americano que governam independentemente dos nomes dos políticos eleitos e buscam benefícios para si próprios, enquanto tentam cercear cada vez mais os direitos básicos dos cidadãos.

Alguns leitores poderão me acusar de socialista, anti-americano, etc. O governo americano é quem é cada vez mais socialista, a cada década o aparato estatal americano fica maior, mais dólares são impressos e a carga tributária aumenta. Sou anti-americano no sentido de ser contra o sistema político dos EUA, um sistema político onde não importa quem é o vencedor, porque as políticas importantes permanecem sempre as mesmas.
Comparando o Brasil com os EUA, obviamente estamos em grande desvantagem quando o assunto é liberdade econômica, mas o que quero evidenciar nesse post é como o governo dos EUA tem políticas perversas tanto a nível mundial como doméstico.

A Construção dos EUA


Os EUA foram criados como uma república de repúblicas, onde o governo federal seria responsável somente pelas representações diplomáticas. Não estava previsto nem mesmo um exército nacional. O ideal criação dos EUA era o de um país com grande liberdade econômica, impostos mínimos e direitos individuais.

O espírito cultural da independência americana é iluminista e progressista, esse ideal por si só legitimou a expansão do estado por meio da participação "popular" no processo político. Outro ponto importante é a oposição entre progressismo e tradicionalismo, o progressismo é centrado na razão humana e, por isso, opõe os ideais moralistas e altivos do tradicionalismo que buscam inspiração espiritual.

Desde a independência até o final da Primeira Guerra Mundial, a sociedade americana gerou muita riqueza, o que permitiu que os EUA se tornassem a maior economia do mundo. O estado mínimo dos EUA foi crescendo até que se tonasse o monstro que é hoje, mas com a emissão de dólares mundialmente aceitos controlada pelo FED, além da riqueza e conhecimento acumulados por mais de dois séculos, não é difícil manter o posto de maior economia mundial.

O Sistema Político e Econômico atuais


Depois da última eleição, minha pouca crença na recuperação do sistema político estadunidense acabou totalmente. O candidato Trump fazia discursos inflamados sobre "drenar o pântano político", acabar com os lobistas, acabar com o lobby da Arábia Saudita, acabar com o Lobby das organizações globalistas e parar de financiar terroristas no Oriente Médio.

Aliança "estratégica" com os financiadores do terrorismo
O que ele faz quando eleito? Exatamente o contrário. Não dá para saber qual é o mecanismo que o sistema usa para controlar o presidente, podem ter ameaçado passar um Impeachment contra ele, ameaçado matar a família dele e também não descarto a possibilidade de tudo ter sido armado desde o começo. Nada impede que um agente da CIA, outro da NSA, outro do FBI, outro da FEMA e outro de uma agência que nem sabemos que existe chegou para ele e fez uma "proposta irrecusável".

Depois de tudo isso fica impossível ainda continuar achando que há a mera possibilidade de um presidente eleito conseguir mudar alguma política importante. O Trump até consegue influenciar algumas políticas domésticas, faz parte do jogo, mas depois de 4 anos chega um democrata impondo mais ideais desumanizadoras como ideologia de gênero, impostos sobre grandes fortunas e banimento progressivo do armamento civil.
No campo econômico, o governo americano cresce cada vez mais e toma partes cada vez maiores da geração de riqueza da sociedade.A Heritage Foundation calculou a arrecadação de impostos em 26% sobre o PIB americano, para nível de comparação a do Brasil é de cerca de 37%. Apesar de parecer um grande avanço em relação ao Brasil, 26% é uma já é uma taxa muito abusiva e o outro problema é que o governo americano gasta muito mais que esses 26%, por isso a dívida cresce a cada ano e a impressão de dólares é desenfreada. O FED ainda consegue controlar a inflação porque o dólar é uma moeda de aceitação mundial e porque, em uma negociação obscura, eles obrigaram os banco privados a comprar parte da dívida e deixar esse dinheiro imóvel, não circulando.

Todos os impostos são roubos, mas um dos impostos mais canalhas que existem no mundo é o sobre herança, é literalmente roubar os mortos, e em alguns estados americanos ele chega até 16%. Será que políticos como a senhora Hillary Clinton que defendeu um aumento nacional desse imposto planeja pagá-lo quando morrer? Obviamente, eles mandarão grande parte do patrimônio deles para Holdings em Paraísos Fiscais, onde ficarão imunes a esta cobrança, porém o cidadão médio americano não tem poder financeiro para mover o patrimônio para escapar desse imposto.
Eles usam brechas que o cidadão não consegue usar
Outro imposto amplamente defendido políticos e por empresários lobistas, até mesmo por Warren Buffet é o imposto sobre grandes fortunas. A lógica desse imposto é a eliminação da concorrência, as fortunas em paraísos fiscais continuariam isentas, e mesmo se os bilionários a pagassem, o dano maior seria para os negócios de quem não é tão rico. Dessa forma, os lobistas atuais diminuiriam o risco de surgimentos de novos concorrentes.
Já ia esquecendo do plano de desregulamentações do Trump, por motivos obscuros, ele foi forçado a abandoná-lo, as grandes corporações amam as regulações e fazem tudo para defendê-las, é um método muito eficiente para encarecer os produtos para o consumidor e criar inúmeras barreiras de entrada para novos concorrentes. Como resultado final, as regulamentações criam produtos semelhantes, caros e de má qualidade. Os EUA possuem muitas regulações, ainda não estão no nível da União Europeia, mas são suficientes para encarecer os produtos em geral.

Políticas de "Segurança"


"Partner Forces" financiadas e treinadas pelos EUA

As supostas políticas de segurança são a parte mais perversa do Deep State americano e nenhum presidente americano pode pensar em mudá-las. Elas são perversas tanto do ponto de vista doméstico como internacional. Na área doméstica podemos citar o controle cada vez maior sobre cada aspecto da vida dos cidadãos e as operações clandestinas das agências de segurança em território americano.

"Partner Forces"
Na área internacional o impacto negativo é muito maior. Os EUA financiaram a Al-Qaeda já no final da década de 1980 para ser utilizada contra a União Soviética, entraram em uma guerra inútil no Afeganistão, na qual o Talibã continua controlando um terço do território quinze anos depois, destruiu o Iraque e favoreceu a criação de grupos terroristas, destruiu a Líbia criando uma crise de refugiados e guerra civil sem fim e agora tenta destruir a Síria financiando curdos separatistas e terroristas de grupos ligados a Al-Qaeda.

Ao contrário da sabedoria convencional, as políticas externas estadunidenses não tem como objetivo melhorar o mundo, exportar democracia e nem mesmo melhorar a vida dos cidadãos americanos, mas sim satisfazer os interesses de dominação global dos grupos globalistas. Isso já aconteceu quando a OTAN se aliou aos bósnios e albaneses muçulmanos para destruir o nacionalismo sérvio e ocorre novamente quando a OTAN se alia a grupos terroristas salafistas para destruir o nacionalismo árabe-sírio.

Conclusão


Daria para escrever uma série de livros e ficar anos pesquisando sobre esse assunto, sempre surgiriam fatos novos ou que passaram despercebidos. Apesar do post ter ficado bastante grande é apenas uma gota em um oceano de assunto.

O intuito do meu post é confrontar a ideia de que os EUA são o país do capitalismo, confrontar a ideia clichê "vou no Mc'Donalds comer um Mc Lanche opressor capitalista". Lanche capitalista é o do comércio que dá desconto no dinheiro para sonegar imposto, e não o de uma rede como Mc'Donalds que faz lobby nos EUA para diminuir a competitividade dos pequenos empresários.

19 comentários:

  1. Capitalismus team,sou um exímio investidor sem arrogância,previ o crescimento do setor agropecuário,ascensão da dash e da ethereum,a explosão do bitcoin,a queda da taxa selic. Estudo investimentos há anos e sempre tenhos bons resultados.Mas infelizmente,apesar da
    boa rentabilidade,eu lucro pouco pois não tenho um capital relevante muito menos aporto montanhas de dinheiro.Então,que saída você me indica para resolver este problema?Peço um empréstimos?embarco como consulto financeiro de investimentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Anon! Sugiro ficar longe de empréstimos, se você errar poderia quebrar. Comece a se especializar para conseguir rentabilizar melhor o seu trabalho e aumentar os aportes. A carreira oficial de consultor de investimentos é meio arriscada, precisa tirar várias certificações e conseguir uma base de clientes boa, você iria precisar de bastante tempo e trabalho para desenvolver essa atividade.

      Desejo boa sorte na jornada! Abraços!

      Excluir
    2. Marcelo,já fiz as contas e mesmo que eu aportasse 100% do meu salario,ainda não seria algo relevante.Outra,se especializar em uma carreira exige dinheiro para pagar estudos,sim estudos para concurso ou faculdade exige apostilas e cursos,além disso,poucas profissões me daria um bom salario,somado também o tempo de montar um capital de relevância.Portanto,te pergunto onde um investidor como eu conseguiria um capital para investir?E existe alguma forma de utilizar meus conhecimentos para ganhar dinheiro.

      Excluir
    3. Crie um blog post suas análises , se for certeiro crie um curso e venda , escreva um livro sobre sua técnica . E com essa arrecadação invista mais e feche o circulo...com assessoria particular , venda coach opções é o que não falta ..

      Excluir
    4. Dá também para se especializar na área de Hedge Funds, mas você precisaria de uma formação superior em administração, economia, ou na área de exatas e uma certificação como a CFA.

      As sugestões do Soldado do Milhão também são boas, mas são trabalhosas e podem não dar certo.

      Qualquer caminho que optar vai dar muito trabalho e consumir tempo, só saber investir, geralmente, não basta.

      Abraços!

      Excluir
    5. Marcelo, posso ser seu consultor financeiro, não vou te cobrar nada,irei da conselhos semanais para ti se minhas informações forem úteis você me compensa,o que acha?

      Excluir
    6. Agradeço, mas não tenho interesse em contratar serviço de consultoria financeira. De qualquer jeito, não seria totalmente grátis, porque você espera ser recompensado de alguma forma.

      Cuidado ao oferecer assessoria financeira na Internet. A CVM sai caçando quem faz isso sem suas certificaçõe$.

      Abraços!

      Excluir
  2. Finalmente um tópico de qualidade na blogosfera!

    - Pensei em escrever algo neste sentido, felizmente você me poupou trabalho.

    OBS: Tenho posse de dados e diversos estudos aportando para mesma direção!

    Existe no mundo moderno pelo menos cinco tipos de socialismo:


    - Socialismo Estatizante
    - Socialismo Anarquista
    - Socialismo Fabiano
    - Socialismo Gramsciano
    - Socialismo científico.


    A comunidade intelectual vive rodando em círculos quando se trata deste assunto complexo, constantemente tenho observado um debate pobres na blogosfera que giram apenas na refutação do socialismo clássico mais conhecido como ( Socialismo estatizante).

    Falecido Professor José Nasser ainda em 2004 fez uma profecia tão precisa sobre situação da economia Brasileira& mundial que fica difícil alguém discordar, segue anexo do vídeo

    https://www.youtube.com/watch?v=1hC_Cqu5gZc


    Após entendimento dos cinco tipos de socialismo podemos prosseguir no raciocínio sobre EUA,adiante descreverei duas categorias de socialismo em voga no mundo moderno.

    - Socialismo Fabiano
    - Socialismo Gramsciano

    Estratégias usada pelos Fabianos:

    - No socialismo Fabiano umas das estratégias usadas com maestria é a ( tributação excessiva sobre faturamento) sobre empresas em vez da tributação excessiva sobre ( lucro presumido do exercício).

    - ( Excesso de regulações ) acarreta em custos elevados para se abrir uma empresa = ( Fortalecimento da barreira de entrada ) expulsando pequenos empresários do mercado cativo. Ai vem a seguinte pergunta: com qual objetivo e qual propositivo? Simples propósito de criar uma ( Reserva de Mercado) ou Feudo particular do governo.

    - ( Tributação fakes) estilo vale do rio doce ( Tributações feita apenas no aparato jurídico societário ) OBS: Estado continua sendo acionista majoritário da empresa por meio de fundos de pensões.


    - Estimulo aos campeões nacionais com crédito subsidiado via bancos estatais ( BNDES) . Todo este aparato acaba tirando concorrência do mercado e criando ( Monopólios&Oligopólios de mercado).

    Warrer buffet, Jorge soros etc são raposas espertas! Como sócios das maiores empresas do mercado, estes por sua vez tem objetivos delineados ao se aliar com tais empresas:

    Vou delinear alguns objetivos a seguir: Vantagens conseguidas por meio de intervenção estatal: ( Barreira de entrada) + ( Reserva de mercado ) + ( Vantagens competitivas) + ( Subsídios Estatal )


    Quando observamos supostos capitalistas defendendo Zona do EURO, Tributação etc Pode ter certeza que se trata de socialistas fabianos. Inclusive venho usando mesma estratégia do velho Buffet ao ter grande participações nos oligopólio bancários tupiniquins, Cartéis do setor de energia etc. Não custa lembrar que despesas sobre faturamento pesam nas margens de lucros da empresas, uma receita que independente da empresa obter lucro consta como despesas corrente fixa.

    EX

    - Faturamento = 100
    - IR com funcionário = 10
    - IR com produtos = 30
    - IR municipais, federais e estaduais = 5
    - Outros = 5

    - Tributação total sobre faturamento = 50

    - Despesas adm livre de impostos = 25
    - Ir sobre lucro presumindo 10

    - Receita líquida = 15

    - Margem líquido = 15% do faturamento

    O que esta se propondo por Jorge soros, warren buffet "bundão" e outros globalista é que se tribute 15% de margem líquida, quando na verdade o estado já fica com mais de 30% da receitas sobre faturamento.

    Quem acredita que estou falando besteira recomendo que faça seguinte reflexão: Porque não se isenta os pequenos, médio e micro empresário? Porque não tributar apenas os grandões? Porque a tributação sobre faturamento afeta todos empresário na mesma proporção? Fica reflexão.


    EX: No Brasil pelo menos 40 a 60% do faturamento das empresas se da como forma de impostos diretos e indiretos, devo salientar que EUA vem seguindo esta cartilha Fabiana há muito tempo.

    Para quem não entendeu nada do que estou falar recomendo que assista o vídeo que postei acima.

    Abraço













    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Mestre dos Dividendos! Tenho muito mais repulsa em relação ao socialismo fabiano do que ao socialismo bolchevique, pelo menos o socialismo bolchevique/estatizante é honesto (fala na cara que vai te roubar), enquanto o socialismo fabiano tenta lhe enganar.

      Muito bom o vídeo, estou ouvindo agora. Demorou alguns anos até eu entender que neoliberalismo é um codinome para socialismo fabiano, nesse vídeo isso já é dito em 2004.

      Abraços!

      Excluir
  3. O cidadão que vive na Coréia do Norte e que monta um carrinho de madeira com rodas de rolimã e presta serviço de transporte de forma rudimentar é um capitalista.
    Eu acho equivocado classificar um país como capitalista ou não. O capitalismo é humano. Todo ser humano é um potencial capitalista.
    Há países onde esse potencial pode ser desenvolvido com maior ou menor facilidade.
    Na Coréia do Norte, onde não há propriedade privada e respeito a livre iniciativa, o potencial capitalista do ser humano é tolhido e a riqueza e bem estar deixam de ser gerados, vivendo todos de esmolas do governo que vive da esmola de outros governos.
    Em cuba, outro lugar que limita o potencial capitalista do ser humano. Mesmo assim há inúmeras iniciativas. Prestadores de serviços,comércio ilegal, mercado negro.
    Países como a Dinamarca tem uma altíssima carga tributária, no entanto permitem que o ser humano desenvolvam seu potencial capitalista e a criação de riqueza supera a pilhagem estatal.
    Eu realmente acho que os eua regrediram em termos de liberdade econômica. Mas ainda é um pais que permite que o ser humano desenvolva seu potencial capitalista. Basta ver a quantidade de imigrantes que chegam aos eua sem nada e enriquecem. Muitos milionários americanos eram pobres ou de classe média. São um país que o trabalho é valorizado.
    Claro que há um elite globalistas e corporativistas que querem engessar o mundo.
    Eu acho que o que trouxe os eua a situação atual foi a mudança no eleitorado. Foram os proprios americanos, sua organizações, e sindicatos que deixaram o governo crescer tanto. Eu acredito que com as redes sociais e reorganização da direita liberal, a tendência é surgirem forças contra a expansão do governo.
    A eleição do Trump e o movimento anti globalismo europeu mostra que há esperança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Anon! O título é que os EUA não são um exemplo de capitalismo e não quer dizer que não exista capitalismo nele. Como eu disse, os EUA ainda estão muito a frente do Brasil.

      Eu vejo a Dinamarca como um paísque construiu sua riqueza no passado e agora está estagnado, não acho nada positiva a política de cobrar quase 50% de impostos sobre o PIB.

      Eu acho que a democracia sempre vai levar a um crescimento da máquina estatal, ganham políticos demagogos que prometem mais benesses e assim começa um ciclo de crescimento do estado.

      Eu não sou tão otimista quanto você, acho que independentemente de quem ganhe, as políticas principais continuarão sendo dominadas pelo Deep State. Quanto a Europa, acho difícil que movimentos de direita anti-globalistas consigam muito sucesso porque é a eleição do tostão contra o milhão. A esquerda globalista financiada por inúmeras ONGs e com apoio da mídia e sistema de ensino e o movimento anti globalista com apoio financeiro nenhum.

      Abraços!

      Excluir
  4. Marcelo, bom texto. Defende fortemente seu ponto de vista, e traz de forma robusta alguns aspectos geopolíticos e econômicos. Parabéns

    ResponderExcluir
  5. Ótimo texto. Poucas pessoas percebem essas nuances.

    Proibir publicidade, e aumentar impostos de empresas de cigarro, foi a melhor coisa que "aconteceu" pra Philip Morris.

    Aumentar impostos das bebidas? Quanto mais imposto, melhor para a Inbev.

    Essa é a realidade, a verdadeira matrix, às vezes pensamos que somos livres, mas a matrix está impregnada, não tem escapatória.

    Essa é a verdadeira guerra das classes.

    O ser humano sempre luta pelo poder, e sempre vai lutar.

    Parabéns pelo texto!


    Att,

    Pretorian

    ResponderExcluir
  6. Marcelo,

    EUA = maior economia do mundo!

    Se a América não é exemplo do Capitalismo, nada mais será. Viajou nesse post my friend...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Livr3! Ser a maior economia do mundo não significa que os EUA são exemplo de capitalismo, como eu expus no tópico "A Construção dos EUA", o fato dos EUA serem a maior economia do mundo se deve, em grande parte, às riquezas geradas quando a economia era bem mais livre e pelo fato do FED controlar a impressora de dólares.

      Singapura, por exemplo, é um exemplo muito melhor de capitalismo do que os EUA na atualidade.

      Abraços!

      Excluir
  7. Rapaz!

    Que texto reflexivo. Parabéns, me deixou a pensar aqui, porém não tenho bagagem para argumentar sobre o texto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Vidinho. vou tentar manter um ritmo de produção de textos reflexivos como este.

      Abraços!

      Excluir