quarta-feira, 17 de maio de 2017

XP Investimentos e Concentração de Mercado

Há alguns dias atrás, o Banco Itaú anunciou que comprará 49,9% da XP Investimentos e sua fatia poderá chegar, segundo o acordo, a até 75% do capital social da XP, porém a gestão da XP permaneceria com o controle do negócio.
Pelo ponto de vista do consumidor, acho essa concentração de mercado de corretoras de bolsa péssima, o cliente fica com um menor número de opções e as corretoras maiores passam a criar um oligopólio e aumentar tarifas.

A XP cresceu com o slogan "desbancarize", sugerindo que o investidor tirasse seus investimentos de bancos e corretoras de grandes bancos e os colocassem na XP. Claro que esse slogan era totalmente racional, os bancos e corretoras de bancos cobram taxas que dilapidam seu patrimônio e tornam muito mais lento o seu crescimento.
Receita Federal, Itaú, XP e Rico
A vinculação da XP ao Itaú, muito provavelmente, piorará as taxas e vantagens para os clientes da XP, digo isso baseado em estatísticas passadas: a Ágora já foi a maior corretora do Brasil, até que ela foi comprada pelo Bradesco, lentamente incorporada e, por fim, acabaram com todas as vantagens sobre o resto do mercado, hoje a Ágora é uma sombra do que já foi. Outro caso mais recente é o da corretora Rico que foi comprada pela própria XP e, logo após isso, as taxas foram elevadas, o que reduziu a competitividade da corretora.

Não acredito na conversa de que "o investimento do Itaú é apenas financeiro", claro que o Itaú ganharia sinergia se juntando a XP, ele poderia oferecer alguns produtos da XP pela rede bancária e a XP, por sua vez, poderia utilizar sua rede de agentes autônomos para oferecer produtos do Itaú.

Por que ocorre a concentração de mercado?


O maior incentivo à concentração de mercado são as regulações governamentais, há alguns anos atrás era muito mais barato abrir uma corretora mobiliária e passar a oferecer seus serviços, mas as regulações governamentais e a existência de um monopólio de bolsa de ações no Brasil acabaram por encarecer a abertura de corretoras no mercado.
É totalmente descabida a ideia de algumas pessoas que defendem que "o governo deveria criar agências reguladoras para impedir os cartéis e monopólios", porque essas estruturas de concentração mercado, quase todas as vezes, só existem porque os empresários metacapitalistas se infiltram no governo e conseguem que as regulações beneficiem os seus negócios, a abertura de mais agências reguladoras só aumentaria os gastos públicos e as possibilidades de regulação por parte dos grupos econômicos metacapitalistas.

Como o Itaú compraria 75% da XP e permaneceria sem controle?


Existem ações ordinárias e preferenciais da XP (embora a empresa não seja negociada em bolsa) em uma proporção de 1 para 1. Pelo acordo proposto, o Itaú compraria a totalidade das ações preferenciais, mas apenas 49,9% das ações ordinárias, dessa forma ele teria quase 75% do capital social, mas, mesmo assim não teria voz majoritária na direção da XP. Obviamente, como eu já disse, na prática o Itaú terá força dentro empresa, embora, na teoria, ele seria minoritário.

O que fazer?


Ainda existem opções muito boas de corretoras que cobram taxas menores que a XP e as corretoras de banco e ainda oferecem os mesmos produtos. A concentração do mercado ainda não chegou ao ponto de reduzir a oferta de corretoras a um oligopólio.

Em investimentos, diferentemente do resto do mercado, quanto menos se paga, mais se tem. O investidor não precisa pagar 20 reais por ordem na semi-falecida Ágora, por exemplo, ele pode pagar apenas 7 reais por ordem na Socopa e ainda ter isenção de custódia e de taxa de corretagem para FIIs.


* Estou devendo o Ranking de Rentabilidade, irei publicá-lo na sexta, como ele demanda bastante tempo para ser produzido fiquei atrasado.

Abraços!

14 comentários:

  1. Olá Marcelo,

    Essa concentração não é boa para os consumidores.

    Espero que apareçam novas corretoras com a mesma vocação da XP.

    Abçs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Internacional! A concentração de mercado é péssima para os consumidores e ótima para as grandes empresas, acho que irá demorar algum tempo até outra corretora independente conseguir formar uma rede de clientes e agentes autônomos tão grande quanto a XP.

      Abraços!

      Excluir
  2. Respostas
    1. De facto. Gostei da referência ao quadro do Infomoney (que também é da XP).

      Excluir
  3. "O maior incentivo à concentração de mercado são as regulações governamentais, há alguns anos atrás era muito mais barato abrir uma corretora mobiliária e passar a oferecer seus serviços, mas as regulações governamentais e a existência de um monopólio de bolsa de ações no Brasil acabaram por encarecer a abertura de corretoras no mercado".

    Qual foi o aumento de regulação que atrapalhou a abertura de novas corretoras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O banco central criou uma série de regulações nas últimas décadas que dificultaram a abertura de empresas financeiras. Não trabalho na área e tenho conhecimentos básicos sobre o assunto, mas sei que há um limite mínimo de capital para qualquer empresa financeira e isso inibe o surgimento de empresas financeiras locais, que são bem comuns nos EUA, por exemplo.

      O limite mínimo de capital é só uma das regras, o Banco Central criou várias regras que não existiam há 30 anos e que inibem o surgimento de negócios financeiros regionais, outra consequência disso é o surgimento de negócios clandestinos de agiotagem.

      Abraços!

      Excluir
    2. http://www3.bcb.gov.br/sisorf_externo/manual/04-03-030-150.htm:

      "Título: 4. Instituições financeiras e demais instituições regidas pela Lei nº 4.595, de 1964 (exceto cooperativas de crédito)
      Capítulo: 3. Constituição e autorização para funcionamento (exceto de sociedades de crédito ao microempreendedor e à empresa de pequeno porte)
      Seção: 30. Disposições específicas
      Subseção: 150. Capital mínimo

      1. As instituições de que trata este capítulo devem observar, permanentemente, os seguintes limites mínimos de capital realizado e patrimônio líquido (Res. 2.099/1994, Regulamento anexo II, art. 1º, com a redação dada pelas Res. 2.607/1999 e 3.334/2005; Res. 2.828/2001, art. 5º; Res. 3.334/2005, art. 9º; Res. 3.426/2006, art. 5º):

      a) R$17,5 milhões: banco comercial e carteira comercial de banco múltiplo;
      b) R$12,5 milhões: banco de investimento, banco de desenvolvimento, correspondentes carteiras de banco múltiplo e caixa econômica;
      c) R$7 milhões: banco de câmbio, sociedade de crédito, financiamento e investimento, sociedade de crédito imobiliário, sociedade de arrendamento mercantil, bem como as seguintes carteiras de banco múltiplo: crédito, financiamento e investimento, crédito imobiliário e arrendamento mercantil;
      d) R$4 milhões: agência de fomento;
      e) R$3 milhões: companhia hipotecária;
      f) R$1,5 milhão: sociedade corretora de títulos e valores mobiliários e sociedade distribuidora de títulos e valores mobiliários que sejam habilitadas à realização de operações compromissadas, bem como realizem operações de garantia firme de subscrição de valores mobiliários para revenda, de conta margem ou de swap em que haja assunção de quaisquer direitos ou obrigações com as contrapartes;
      g) R$550 mil: sociedade corretora de títulos e valores mobiliários e sociedade distribuidora de títulos e valores mobiliários que exerçam atividades não incluídas na alínea anterior;
      h) R$350 mil: sociedade corretora de câmbio.

      2. Com exceção de agência de fomento, os valores mencionados no item anterior devem ser reduzidos em 30% (trinta por cento) caso a instituição tenha a agência-sede ou a matriz e, no mínimo, 90% (noventa por cento) de suas dependências em funcionamento fora dos estados do Rio de Janeiro e/ou de São Paulo (Res. 2.099/1994, Regulamento anexo II, art. 1º, § 1º, com a redação dada pela Res. 2.607/1999, art. 1º)."


      Acho que as regulações governamentais não têm tanta influência na compra da XP pelo Itaú. Temos que parar com isso de querer culpar o governo poro tudo.

      Excluir
    3. Salve, Anon! Agradeço por ter pesquisado, sabia que existiam os limites de capital mínimo, mas não sabia que eles eram tão baixos. Você está certo, não dá para culpar o governo por tudo, porém a dificuldade de abrir qualquer empresa financeira é muito grande no Brasil, concorda?

      O monopólio de bolsa também restringe a oferta de corretoras, há várias décadas atrás já existiram três bolsas no Brasil, agora temos apenas uma. Mesmo com o advento das comunicações eletrônicas e crescimento econômico, o número de bolsas diminuiu. A culpa é toda do governo? Não, mas o governo dificulta o surgimento de novos negócios quando impõe regulações.

      Abraços!

      Excluir
  4. Olha esse artigo https://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2017/05/12/para-especialistas-compra-da-xp-pelo-itau-nao-e-positiva-para-o-investidor.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Stifler! Essa redatora tem uma opinião bastante parecida com a minha, que é racional e usa a lógica para deduzir quais os reais interesses do Itaú pela compra da XP e reflexo dessa compra no resto do mercado. Muito bom o artigo.

      Abraços!

      Excluir
  5. Tem muitas outras corretoras. Se a XP ficar muito cara pra operar, nada impede que algumas pessoas migrem pra corretoras menores e mais baratas.

    O Itaú quis estancar a sangria do Personalittè onde os clientes estava indo para a XP.

    Tem uma corretora muito boa, a Spinelli, eu já fui cliente dela, e as taxas lá são ótimas, home broker bom. Se a Rico ficar ruim eu volto pra Spinelli.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Frugal! Ainda existem muitas corretoras boas, mas percebo que as opções começaram a diminuir.

      Não sabia da sangria de clientes do Personalitté, obrigado pela informação.

      Abraços!

      Excluir
  6. A XP age como banco e já é cara. A situação tende a piorar. O foco é empurrar fundos multimercado com taxas de administração nas alturas, taxa de performance e come cotas. Fico estarrecido com as estratégias propostas por eles, ao conversar com amigos clientes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, cabecadebogle! O foco da XP é mesmo o investidor que não entende de mercado, por isso seus agentes empurram os produtos mais lucrativos, dessa forma, agindo como banco.

      Adicionei seu blog à blogroll. Abraços!

      Excluir