domingo, 23 de abril de 2017

Adam Smith


Adam Smith (1723-1790) foi um economista e filósofo do século XVIII que desenvolveu, na época do Iluminismo, uma das principais teorias do liberalismo econômico. Segundo ele, deveria se ter total liberdade econômica da iniciativa privada, sem que houvesse intervenção do Estado. 

Por si só, a livre concorrência iria regular o mercado, ou seja, a própria demanda e oferta iriam se igualar e, desta forma, iria surgir um preço ideal. Além disso, um mercado sem intervenção estatal provocaria uma queda nos preços e fomentaria inovações tecnológicas para se melhorar o ritmo de produção.

Essas ideias, promoveriam um contraponto ao governo absolutista dos reis europeus, pois contestava o regime dos direitos feudais e privilégios que persistia em muitas regiões da Europa.

Frase célebre

O mercado funciona como uma “mão invisível” que conduz os agentes econômicos para uma situação ótima do ponte de vista da eficiência.

Sua teoria foi de suma importância ao desenvolvimento do capitalismo nos séculos posteriores.

Lembra?

A Riqueza das Nações foi sua principal obra, escrita no ano de 1776. Segundo a obra, o bem estar de uma nação advêm do crescimento econômico e da divisão do trabalho, além da livre concorrência e acumulação de capital para o desenvolvimento econômico

Em suas próprias palavras, "não é da benevolência do padeiro, do açougueiro ou do cervejeiro que eu espero que saia o meu jantar, mas sim do empenho deles em promover seu próprio 'auto-interesse'"



5 comentários:

  1. Não faz muito sucesso hoje em dia, pois fala em trabalhar, e não em dominar outros grupos da sociedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon, é verdade, vemos hoje que o trabalho e o aperfeiçoamento acabam, em algumas situações, serem relegados a 2º plano. Alguns grupos sociais defendem o intervencionismo estatal somente para defender os próprios direitos.

      Excluir
  2. Riqueza se xonstroi com trabalho, no brasil ja e fudido a historia de que saude educacao e de graça, o que encomoda mais e pobre pagar faculdade do rico, uma sociedade ao meu ver totalmente elitista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa e uma questão bastante polêmica. Acabamos vendo as coisas como deveriam ser e não como realmente são. O Brasil deveria ter acesso universal para que os estudantes possam entrar na faculdade sem custo ( já que nossos impostos estão sendo pagos para isso).

      O que vemos é um sistema ineficiente que utiliza artifícios como as cotas para tentar minizar as consequências dessa falta de eficiência do ensino. O problema não e solucionado e ainda gera muitos debates quanto ao correto uso dessas ferramentas. No final vemos que o sistema de ensino fica relegado a 2 plano e com problemas crônicos como o que você colocou.

      Excluir
    2. A melhor solução seria não existir sistema de ensino público e dar a liberdade para que a sociedade educasse os jovens por meio de homeschooling, escolas privadas ou paroquiais. Claro que isso não pode ser implantado de uma hora para a outra, seria um longo caminho até que esse estágio fosse alcançado.

      O sistema de ensino brasileiro (inclusive o privado) tem um enorme problema crônico que é: ele não é feito para ensinar, mas sim para doutrinar. Eu lembro que quando ia para a escola perdia muito tempo em atividades inúteis, poderia estar em casa realizando atividades úteis, mas estava tendo que conviver com um bando de desmiolados e tentando ser doutrinado.

      Excluir