domingo, 27 de novembro de 2016

Discussão de Resultados: Taesa 3T16

TAESA - TAEE11
O último resultado da Taesa foi excelente para o que se espera de uma transmissora de energia no Brasil. A empresa manteve a alta rentabilidade, bem como manteve os excelentes indicadores operacionais. O lucro líquido no terceiro trimestre foi de 218M e a dívida líquida permaneceu em um valor adequado para o porte da empresa.

O segmento de concessões de transmissão de energia é o mais estável dentro do setor de energia elétrica. As empresas transmissoras são remuneradas de acordo com a receita anual permitida (RAP) da concessão, que independe da quantidade de energia transmitida. A Taesa é a maior transmissora privada, com cerca de 10 mil km de linhas operadas e, no mês de outubro, venceu a concessão de mais 1,3 mil km de linhas a serem construídas.
Há três tipos de concessões de transmissão no Brasil:

Categoria I: concessões anteriores a 1999 que foram renovadas em 2012 por mais 30 anos;

Categoria II: concessões leiloadas entre 1999 e 2006, com RAP fixa ajustada pelo IGP-M, mas com redução de 50% na RAP no décimo sexto ano de operação;

Categoria III: concessões leiloadas após 2006, com RAP fixa ajustada pelo IPCA, mas sujeitas a revisão tarifária.

A maior parte das concessões da Taesa faz parte da Categoria II e terão a diminuição da RAP entre 2016 e 2021, portanto não se deve esperar um grande crescimento de lucros reportados pela empresa nos próximos anos, embora a empresa ainda possa crescer caso arremate mais concessões nos próximos leilões. A Taesa também possui concessões da Categoria III, mas não possui nenhuma concessão da Categoria I.
A Taesa é um investimento extremamente conservador, possui receitas mais estáveis e previsíveis que muitos dos FIIs disponíveis no mercado. O P/L atual é de apenas 6,6 e o pagamento de dividendos é bastante elevado, o que, em minha opinião, justifica um investimento, mesmo que o lucro da empresa não cresça nos próximos anos.

NOTA: E

Taesa RI

9 comentários:

  1. "A maior parte das concessões da Taesa faz parte da Categoria II e terão a diminuição da RAP entre 2016 e 2021, ....."
    E depois de 2021, o que acontece?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, gbmelog! Depois da diminuição da RAP as concessões continuarão por mais 15 anos, mas apenas com o recebimento de 50% da receita anual permitida.

      Abraços!

      Excluir
  2. Parece ser uma empresa muito boa, só não gosto de UNITs... fazer oq né?

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Acumular Ativos! Nada é perfeito, não é? Eu sou indiferente às Units, não acho que mude alguma coisa, a não ser que o investidor tenha a pretensão de entrar parao conselho de administração da companhia.

      Abraços!

      Abraços!

      Excluir
  3. Capitalismus,
    Concordo em gênero, número e grau!
    Apesar não ter tanto potencial de valorização, ela é negociada a preços bem interessantes e paga altos dividendos.
    Inclusive escrevi sobre a empresa mês passado também:
    Aproveitando, adicionei seu blog à minha lista.
    Agradeço se puder fazer o mesmo.

    Abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações, KB! Já está adicionado. O objetivo de investimento para as ações da Taesa é bater a renda fixa, mas não dá para esperar valorizações muito vultosas.

      Abraços!

      Excluir
  4. nao to entendendo as notas que estao no final. Poderia explicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Anon. É uma classificação de menções, conforme o que eu acho que a empresa deveria entregar. E: excelente. MB: muito bom. B: bom. R: regular. L: lixo.

      Abraços!

      Excluir