quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Análise Setorial: Celulose

Eu sempre procuro investir nas ações de empresas que possuem vantagens competitivas sobre seus concorrentes (todos os grandes mestres do investimento bursátil também o fazem). No caso do Brasil, o segmento de celulose possui uma grande vantagem em produtividade sobre o resto do mundo, para ser mais claro, o Brasil é o melhor país do mundo para o plantio de pinus e eucalipto.

Nas apresentações institucionais da Klabin e Fibria são ressaltadas as vantagens da produção de celulose no  Brasil:

O recorte acima foi obtido da última apresentação institucional da Klabin. Percebe-se a clara vantagem que as empresas de celulose possuem no Brasil. Esta vantagem está tirando do mercado as empresas dos países nórdicos e do Canadá, que não conseguem competir com a celulose brasileira.

A Klabin tem uma produção de celulose menor que as outras empresas de celulose brasileiras, mas consegue uma produtividade maior, pois possui apenas uma planta de celulose, que se localiza no Paraná, estado melhor que a média nacional para o crescimento de pinus e eucalipto. Vale lembrar que a Klabin possui mais receitas provenientes de papel pronto do que de celulose.

O recorte acima foi retirado de uma das últimas apresentações corporativas da Fibria e mostra, claramente, que o custo de produção de celulose no Brasil é menor que no resto do mundo.

A Fibria consegue ter um custo ainda menor que a média nacional, em grande parte por causa do ganho de escala. Seria muita pretensão da Fibria diminuir o custo de 261 para 206 dólares/tonelada de celulose em 2021? Acredito que a meta é possível de ser alcançada, porque a Fibria tem investido bastante em pesquisa e diminuição de custos. Outros projetos da empresa são a monetização dos rejeitos resultantes da produção de celulose e produção de fibra de carbono.

Por fim, retirei mais um recorte de uma apresentação da Fibria. Como demonstrado pelo gráfico, o consumo de papel sanitário cresceu muito nos últimos 20 anos. Não vejo razões para que haja uma mudança de tendência, grande parte da população asiática ainda não tem acesso a condições mínimas de saneamento e isso vem mudando nos últimos anos.

Outra vantagem de investir nesse setor é que, como dizia Peter Lynch, seus produtos nunca saem de moda. Um determinado tipo ou marca de celulares, roupas ou software, por exemplo, podem cair no ostracismo e precisam de constante inovação. Não acredito que o papel higiênico sairá de moda ainda durante esse século.

Nenhum comentário:

Postar um comentário