domingo, 6 de agosto de 2017

Comentários: Engie 2T17

A Engie (EGIE3) continua gerando muito caixa e está conseguindo melhorar ainda mais os resultados em relação ao ano passado. Investidores que observam apenas o P/L e poucos outros indicadores achariam que essa empresa estaria cara, mas, em minha opinião, ela não está, porque é a empresa de ponta do setor de geração de energia: consegue grandes margens operacionais, possui pouca dívida e realiza investimentos lucrativos, mesmo pagando quase 100% de payout médio nos últimos anos.
O conceito da empresa de ponta e das empresas marginais foi abordado por vários autores fundamentalistas como Philip Fisher e Peter Lynch. A conclusão é: geralmente é mais vantajoso investir na empresa de ponta do setor, porque, mesmo pagando um pouco mais caro, elas tendem a crescer mais nos períodos de bonança econômica e, mais importante, são menos afetadas nas crises.
A Engie fechou o segundo trimestre com lucro líquido de 491M, quase 50% de crescimento em relação ao 2T16, que tinha sido prejudicado por fatores hídricos. A empresa gerou muito mais caixa que o lucro, conseguiu pagar dividendos nesse trimestre e ainda realizar vultosos investimentos mantendo a dívida líquida baixa.
O segmento de geração solar distribuída continua engatinhando, parece ser só uma cobaia para a Engie e não influi muito nos resultados, mas por pesquisas minhas, já está vantajoso adquirir painéis solares fotovoltaicos para quem vive em regiões com bastante incidência solar e possui um telhado adequado. O investimento em geração de energia solar residencial está se pagando em 7 anos, daí para a frente é só lucro, e, como a conta de energia tende a continuar subindo, é possível que o investimento se pague ainda mais rápido.

Ainda estou aguardando (desde 2014) a novela da transferência da UHE Jirau da controladora para a Engie acabar, foi contratado o Itaú BBA para realizar uma avaliação e estudo financeiro da tranferência da participação de 40% da UHE Jirau para a Engie. Os outros dois projetos importantes em construção da Engie estão avançando no cronograma, sendo que a Usina Térmica Pampa Sul chegou a 65% da conclusão e Projeto Eólico Campo Largo tem entrada em operação prevista para o 4T18.
Link para o último post sobre resultados da Engie

Engie RI
 

OPA da Unipar IV


No prosseguimento da OPA da Unipar, a CVM marcou a data da OPA para 17 de agosto e, por enquanto, não respondeu ao pedido de cancelamento da OPA do controlador. Como a OPA já está morta, termino aqui minha série sobre essa novela. Fica o lembrete para os acionistas, por precaução, seguirem as recomendações dadas nesse post para o leilão do dia 17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário