domingo, 6 de agosto de 2017

Comentários: Embraer 2T17

A Embraer sempre foi uma empresa que eu mantive distância, primeiramente porque empresas de setores mais complexos e tecnológicos são mais difíceis de estudar e depois porque esse tipo de empresa precisa continuamente investir no aperfeiçoamento de seus produtos para se manter competitiva. Resolvi estudar a Embraer após olhar por alto seus resultados e perceber que uma valorização do dólar poderia impulsionar seu resultado, que foi bom mesmo com o câmbio brasileiro bastante valorizado.
A Embraer está desenvolvendo duas linhas de produtos que podem render bons lucros nos próximos anos: a linha E-2 de jatos comerciais e o avião de transporte militar KC-390. 

A linha E-2 de jatos comerciais pequenos e médios consegue uma economia de cerca de 20% em relação aos jatos comerciais atuais da Embraer, como o combustível é um dos principais custos de um voo, a compra de aviões mais econômicos é sempre uma prioridade para as empresas de aviação. A Embraer tem vários clientes importantes na Europa e na Ásia que têm a intenção de adquirir esse avião nos próximos anos. O principal concorrente da Embraer nesse segmento é a empresa canadense Bombardier.
KC-390 e E195 E-2
O KC-390 é um avião de transporte militar que rivaliza com o C-130J Super Hercules, a versão mais moderna do icônico Hercules produzido pela Lockheed (falei mais sobre ela aqui). O KC-390 tem maior velocidade, porque é um cargueiro a jato; maior capacidade de carga e ainda custa mais barato. A única vantagem operacional do Super Hercules é o pouso em pistas de terra, apesar do KC-390 também poder pousar, a ausência de turbinas no Super Hercules o torna mais adequado para o pouso em pistas precárias. Um ponto importantíssimo na aviação militar é a confiança do equipamento, ainda vai demorar alguns anos de testes e uso para que o KC-390 seja totalmente aceito no mercado internacional.
KC-390 (acima) e C-130H (abaixo)
Cada KC-390 tem projeção de custo de cerca de 50M de dólares e a Embraer já possui 35 vendas fechadas: 30 para o Brasil e 5 para Portugal. Na cotação atual só as unidades já vendidas dariam cerca de 5,5 bilhões de reais em receita. Há, ainda, mais 33 unidades em intenção de compra de diferentes países. O KC-390 poderá ser um projeto muito acertado para a Embraer e acho que ele caminha para isso, esse avião tem características únicas que o fazem desejado por várias forças aéreas do mundo. Ainda há a possibilidade de comercialização do KC-390 para empresas pesadas, como mineradoras, como avião de reabastecimento e como avião de combate a incêndios florestais.
A Embraer fechou o trimestre com um lucro líquido ajustado de 398M reais, um número muito bom para a empresa, mas que foi impulsionado pela receita do pagamento de parte do Satélite Geoestacionário que foi lançado no trimestre. O endividamento da Embraer permanece baixo e, embora pague poucos dividendos, a geração de caixa tem sido boa. Não acho que seria difícil a Embraer conseguir um lucro líquido anual de 1,6B nos próximos anos, quando já estiver recebendo uma receita maior dos projetos E-2 e KC-390. Dessa forma, acho que a aquisição de ações da Embraer pode vir a ser vantajosa, visto que a empresa inteira está avaliada em 11,9B.

8 comentários:

  1. KC-390 realmente é um avião fenomenal!

    Mas, eu não fico muito empolgado com essas 30 unidades encomendadas pelo Brasil. Sabemos muito bem do histórico de encomendas e unidades efetivamente entregues quando é o BR que está do lado comprador...

    Também vislumbro um futuro bastante otimista pra Embraer. Estão indo pelo caminho certo, criando produtos de muito valor agregado e investindo em tecnologia própria.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Wannabe! Nos últimos anos, os comtratos de compra do odioso governo federal têm sido cumpridos, acho que, apesar dos cortes orçamentários, esses aviões seram mesmo comprados.

      Vou acompanhar qual será o futuro da Embraer. Abraços!

      Excluir
  2. Olá Marcelo!

    Bela analise! Até criou uma curiosidade para conhecer mais sobre a empresa. Como citado no texto, essa é uma área que demanda mais estudos para investir. De longe, sempre vi bons números da Embraer, pode ser uma opção interessante para diversificar a carteira.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Inglês! É mais complicado mesmo entender esse tipo de empresa, é preciso estudar os mercados de atuação, somente ler os números da DRE não é tudo.

      Abraços!

      Excluir
  3. Interessante que de uns anos p cá caiu muito, vale a tacada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Henry! Somente as variações do preço da ação nos últimos anos não significam muita coisa para o estudo de uma empresa.

      Abraços!

      Excluir
  4. Assim como Suzano, Klabin e Fibria, Embraer é uma boa opção para o momento em que o dólar está um pouco desvalorizado como agora. Vale a pena encarteirar algumas ações com o objetivo de ter um bom upside pra quando o dólar voltar aos 3,40 ou 3,50, ou alguém tem dúvidas que ele voltará a estes patamares até as eleições do ano que vem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Buscando Primeiro Milhão! Concordo que o dólar tem grandes chances de subir no próximo ano e que essas empresas seriam as grandes beneficiadas. Coloco nessa cesta, também, a infame JBS.

      Abraços!

      Excluir