segunda-feira, 7 de agosto de 2017

A Farsa dos EUA lutando contra o ISIS

No dia de hoje, 7 de agosto de 2017, milícias iraquianas que compõem a PMU (unidades de mobilização popular) e lutam contra o Estado Islâmico, foram covardemente atacadas pela artilharia de longo alcance dos EUA. Obviamente, muito dificilmente qualquer brasileiro e americano ficaria sabendo disso por meio da mídia convencional (mais um motivo porque eu não assisto TV).
Após o post EUA Não é um Exemplo de Capitalismo, alguns companheiros da finansfera questionaram meu posicionamento em relação à influência americana no mundo. De jeito nenhum vejo esses questionamentos como ofensas, muito pelo contrário, acho que eles são importantes para que eu consiga encontrar algum erro que eu possa ter deixado passar no meu raciocínio. O fato que ocorreu no dia de hoje corrobora com a minha tese da atividade criminosa mundial dos EUA e do bloco globalista.

A história começa quando os EUA resolvem estabelecer uma base em Al-Tanf, no sul da Síria, para treinar forças "anti-ISIS". Obviamente que as ditas forças anti-ISIS eram outros grupos terroristas, o objetivo dos EUA com essa ação era dividir o sul da Síria e impedir a conexão entre os territórios do governo sírio e governo iraquiano. Para impedir que o Exército Sírio avançasse próximo de sua base, os EUA colocaram uma bateria de HIMARS (equipamento cujo fabricante eu tenho a desonra de ser sócio).

A estratégia dos EUA falhou miseravelmente, porque rapidamente os sírios avançaram, inesperadamente, dezenas de quilômetros no deserto em uma única noite e contornaram a base de Al-Tanf, cortando o contato com o ISIS das "forças anti-ISIS". Após realizar o contorno, foi construída a melhor fortificação contra bombardeios americanos, a bandeira da Rússia. Centenas de bandeiras foram colocadas, impedindo bombardeios, porque eles se tornariam incidentes diplomáticos.
Vermelho: Síria; Roxo: Iraque; Verde: terroristas; Cinza: ISIS
Avançando na linha de acontecimentos até o dia de hoje, o HIMARS foi utilizado para bombardear as tropas da PMU em território iraquiano. Não foi um erro, como os documentos oficiais dizem, o HIMARS é um sistema de grande precisão e esse tipo de tiro não é desencadeado a esmo, porque os mísseis são caríssimos. A PMU faz parte do Exército Iraquiano e o Iraque é um aliado oficial dos EUA! Por causa de ações criminosas como essa que os EUA são odiados por quase todos no Oriente Médio, foram mortos mais de 30 membros da PMU e 40 ficaram feridos, depois do bombardeio o ISIS conseguiu avançar e fez vídeos mostrando o armamento apreendido.
Como já disse aqui, perdi minhas esperanças no sistema político americano depois que o Trump ganhou e continuou as mesmas políticas internacionais do Obama:
A política do Estados Unidos como polícia mundial, com certeza, é a mais criminosa das ações elencadas acima. Gastaram trilhões de dólares em guerras inúteis e pagas com dólares impressos pelo FED, possuem quase nada de aprovação popular em cada país que sofre intervenção, destroem o país e não conseguem colocar o governo que pretendiam.

Não acho a política internacional russa-eurasiana perfeita, mas em comparação com a política americano-globalista, ela é muito mais humana. Os russos salvaram a maior parte da Síria e gastaram uma fração ínfima do que os americanos gastaram para tentar destruir a Síria. Ao contrário dos americanos, eles têm apoio popular na Síria, principalmente entre as minorias cristãs e xiitas que estavam sofrendo ameaças de extermínio pelos terroristas financiados pelos EUA, mas também na maioria sunita que abomina as atividades terroristas.
A Guerra Civil na Síria está caminhando para a derrota total dos grupos terroristas nos próximos dois anos. A situação mais complexa será a situação dos curdos que foram apoiados pelos EUA para dividir a Síria, apesar de eles só comporem 9% da população, querem separar uma área enorme do território. Mais uma consequência da "America World Police". Estou cada vez mais convencido que os EUA são a cada dia menos capitalistas e mais estatistas.

3 comentários:

  1. Notícia sobre o fato: https://www.almasdarnews.com/article/breaking-upwards-40-iraqi-soldiers-killed-us-friendly-fire/

    A fonte primária é a declaração da PMU, inclusive com a lista de alguns mortos pelo bombardeio (em árabe).

    ResponderExcluir
  2. Rapaz.

    Que legal essas informações que vocÊ nos revela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Vidinho. É importante que sempre tentemos conhecer ao máximo a realidade que nos cerca.

      Abraços!

      Excluir