segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Comentários: Ferbasa 2T17

A Ferbasa (FESA4) conseguiu reportar ótimos resultados nos dois últimos trimestres. Lucrou cerca de 63M no último trimestre e conseguiu aumentar o caixa líquido para quase 409M. A companhia foi muito beneficiada pela elevação dos preços do ferrocromo e ferrossilício, o real valorizado prejudica a companhia a longo prazo, mas a curto prazo foi responsável por um ganho de Hedge de 19M no último trimestre. Somente o preço da eletricidade que continua sendo um grande empecilho para a companhia.
A Ferbasa possui 2% das reservas de ferrocromo do mundo, um metal utilizado para produzir ligas inoxidáveis de aço, porém as reservas de ferrocromo são altamente concentradas na África do Sul e na Ásia Central, então a Ferbasa possui quase a totalidade das reservas das Américas. O Ferrossilício, apesar de uma commodity mais barata, tem alto potencial de crescimento da demanda por causa da sua aplicação em motores elétricos e algumas baterias e eletrônicos.
Nos últimos trimestres o volume vendido foi apenas razoável, mas o preço maior dos produtos garantiu um lucro maior à Ferbasa. Vale ressaltar que em 2016 a Ferbasa utilizou uma estratégia de liquidação de estoques que garantiu maiores vendas externas. O mercado interno de ligas de ferro continua recessivo, mas a Ferbasa está conseguindo complementar a receita com vendas externas.
Eu disse no meu último post sobre a Ferbasa que seria extremamente vantajoso a empresa adquirir alguma geradora de energia para suprir parte de suas necessidades, por se tratar de uma empresa eletro-intensiva. No resultado do último trimestre e em alguns comunicados nos últimos meses, a Ferbasa informou que está em processo de negociação para adquirir participações em projetos de energia eólica.
Caixa líquido é propício para a aquisição de participações em geradoras
Em qualquer empresa de commodities, é fundamental a redução máxima dos custos de produção para conseguir produzir um produto mais competitivo. Nesse sentido, a Ferbasa está avançando com a compra de máquinas mais modernas de mineração e também na modernização dos fornos de biorredução.
Eu considero a Ferbasa a única empresa do setor de siderurgia e metalurgia favorável ao investimento, inclusive gosto bastante das peculiaridades dos seus produtos. A administração é muito conservadora, a empresa opera com uma saúde financeira muito boa e está pronta para adquirir alguma participação em geradora de energia que poderá melhorar mais a rentabilidade da Ferbasa. A Ferbasa permaneceu de 2010 até 2014 praticamente empacada, por isso alguns investidores não gostam da empresa, mas vale lembrar que enquanto a Ferbasa estava empacada, as grandes siderúrgicas estavam (e ainda estão) em um pesadelo sem fim por causa da alta alavancagem. Ainda não sou sócio, mas permaneço monitorando, acho que, apesar das altas recentes, o preço atual ainda pode estar vantajoso para o início de posição.

13 comentários:

  1. Gosto bastante da ferbasa! considero a melhor no setor listada em bolsa.

    A empresa esta na mão Fundação José Carvalho que possui 98,80% das ações ordinárias e 29.90 das PN totalizando um total de 52,46% do capital social, mas como todo empresa de commodities sofreu muito com a queda do preço do minério ferro cromo.

    Assim como vale fez no passado a ferbasa precisa reduzir urgentemente o custo operacional para ganhar produtividade ao reduzir custos operacionais aumentando significativamente a rentabilidade.

    Cabe ressaltar que das principais características em relação as demais do setor é que esta companhia trabalha em cima do crescimento orgânico, ou seja trabalhar com caixa próprio, isso é de suma importância num setor de receitas voláteis. Tomemos como exemplo como excesso de alavancagem destruiu com as concorrentes do setor.

    Como contra ponto acrescentaria que o valuation atual se encontra na média frente ao lucros apresentando até este exato momento.

    Não considero uma empresa 100% barata , mas também não esta cara! Este tipo de empresa é bom comprar no ciclo de queda do minério e posteriormente realizar vendas parciais do ciclo de alta, ou se preferir ficar recebendo gordo dividendos.


    Um ponto positivo é a que empresa paga pelo 50% de payout, muito para quem visa fluxo.

    Como ponto negativo cito a liquidez nas on já que nas pn não existe tag along.
    Porém não acredito em mudança do controlador por se tratar de uma instituição filantrópica que visa fluxo de caixa é de interesse da instituição que a ferbasa continue provendo fluxo de caixa constante.



    No próximo post recomendo fazer uma analise dos prognósticos para grazziotin e unipar.

    Estou esperando ótimos balanços nestas empresas para os próximos exercícios e ainda considero relativamente baratas.




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Mestre! Eu estou otimista com a aquisição do projeto gerador de energia, acho que a Ferbasa poderá crescer com isso. Curiosamente, em economias menos reguladas, as empresas tendem a se especializar em somente uma atividade, mas no Brasil há um custo enorme para fazer qualquer transação, então é mais vantajoso verticalizar a empresa e tentar fabricar todos os insumos possíveis para reduzir os custos.

      A Ferbasa nem sempre pagou 50% de payout e não há nenhuma garantia que continue pagando. Eu sempre prefiro que a empresa reduza dividendos a aumentar o endividamento, então, se a empresa pagar pouco dividendo, mas aumentar o crescimento de lucros é indiferente o resultado final.

      Não vejo a ausência de tag along como uma desvantagem, visto que o tag along sempre pode ser driblado. De qualquer jeito, mesmo sem dribles, não acho que o "direito de venda conjunta" seja tão importante para definir minha seleção de ações. Expliquei meu ponto de vista sobre o tag along em um dos primeiros posts do blog: http://capitalismus.blogspot.com.br/2016/09/tag-along.html

      Escrevi sobre a Unipar no mês passado e você, aliás, comentou lá. Vou escrever sobre a Grazziotin em breve.

      Abraços!

      Excluir
    2. A questão do tag along é controversa , embora você tenha explicado bem estes termos, mas de qualquer modo foi perdido valor econômico na venda e quem teve on levou vantagem econômica.
      Alias você tem de analisar casos passados e recentes para ter um opinião mais ampla:
      Ambev anos 2000
      Aracruz 2008

      Recentemente
      Usiminas&Alpargatas


      Usiminas:http://www.infomoney.com.br/usiminas/noticia/3850725/csn-faz-nova-ofensiva-para-provar-troca-controle-usiminas

      https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN0TC1MB20151123

      Em ambos os casos que tinha on ficou mais favorecido já que se trata de ações com direito a voto, isso não implica que não da para burlar o tag alon, como bem sabes no Brasil temos leis escrita por analfabetos em mercado de capitais.

      Mas em todo caso nada impede de ocorrer uma perda de valor considerável como foi no caso da ambev e aracruz aonde acionista perderam uma grana considerável por não ter tag along.

      Entendi seu argumento , mas faz as contas ai perdeu ou não perdeu dinheiro se tive-se tag along?

      Sim da para burlar , mas você viu contorcionismo que é para burlar o sistema.


      Ao meu ver nada impede a compra, mas se você pode comprar uma empresa pelo mesmo valor econômico dou preferência sempre para on com ta along, mas isso não me impede de comprar PN sem tag long desde que premio considerável para on com tag along.




      Excluir
    3. No caso das ações da aracruz foi grana a beça, quase 3 vezes mais do que ação valia no mercado.

      Excluir
    4. Salve, Mestre! Na Aracruz perdeu mesmo, porque a empresa quebrou e o controle da empresa é passou a ter mais valor que o resto da empresa.

      Na Usiminas o valor das duas classes voltou a convergir depois que a discussão foi terminada e na Alpargatas ambas as classes de ações passaram o preço da OPA.

      É muito difícil o investidor se beneficiar de Tag Along em uma empresa que todas as ações tenham 100% de Tag Along, porque nesse caso as trocas de controle tendem a ser por aumento de capital ou por ofertas próximas do preço de mercado. O investidor só tem chances plausíveis de se beneficiar do Tag Along sendo acionista ordinário em uma empresa com 0% de Tag Along para PN, mesmo assim as chances são poucas.

      Meu tio, que na época já era macaco velho de mercado, comprou Aracruz depois que os derivativos quase quebraram a empresa, justamente porque as PN tinham 0% de Tag Along e ele acredita que seria pago um prêmio pela alienação de controle. Em poucos meses ele multiplicou o capital dele por quatro nessa operação, justamente por conhecer as regras do mercado.

      Igualmente, também podemos calcular que em várias empresas estáveis os acionistas PN tiveram rendimentos maiores, porque receberam 10% a mais de dividendos que os ordinaristas por vários anos seguidos.

      Abraços!

      Excluir
  2. Ferbasa é interessante mesmo e tem uma gestão boa. Gostei muito da sua análise, Marcelo.

    A única coisa que me impede de entrar é esse FF ridículo nas ON. Não compro PN nem a pau. Posso mudar de ideia no futuro, mas no momento é isso que penso.

    Você compra PN e financia empresa que não compartilha o patrimônio com você. Sem falar no Tag Along de 80%. 20% já é suficiente pra fazer muito investidor arrancar os cabelos.

    Vejo muitos colegas na blogosfera falando em investir em ativos reais, com a carteira cheia de PN.

    Enfim, essa é minha filosofia de investimento. Posso estar errado...

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Wannabe! Ação PN não funciona desse jeito que você acha, o pessoal confunde as ações PN brasileiras, que tem plenos direitos, com as PN dos EUA, que são uma espécie de debênture com direito a participação nos lucros.

      Quando você compra PN, você só está financiando a contraparte que vendeu a ação, a empresa não ganha nada das negociações no mercado secundário.

      O Tag Along é o direito de venda conjunta. Você não é obrigado a entregar suas ações de graça ou por 80% do preço, a única coisa que acontece é que a oferta de alienação de controle é estendida aos minoritários ou não dependendo do Tag Along. De qualquer maneira, a maioria das trocas de controle em empresas com 100% de Tag Along está sendo feita por aumento de capital para boicotar o Tag Along. Escrevi sobre isso em um dos primeiros posts do meu blog, coloquei o link na resposta ao Mestre acima.

      Eu sou um dos que dizem em investir em ativos reais e está cheio de PN na carteira, porque PN é, obviamente, um ativo real. O detentor da PN tem direitos totais sobre o patrimônio da empresa e, nas ações sem Tag Along para PN, ainda pode ter dividendo 10% maior que as ON.

      Abraços!

      Excluir
    2. Este lance de ter mais direitos esta mais associado ao estatuto da empresa, porém é evidente que on sempre vai levar vantagem juridicamente pois este tipo de classe lhe da muitas vantagens dentro do estatuto social de diversas empresas, como direito a voto, conselho etc.

      Além disso controlador quando quer diluir ações da preferência sempre pode emitir mais PN assim não perde o controle da empresa ao diluir seu próprio controle com mais ações, além disso consegue financiamento na faixa.

      Todos os blocos de controle tem aversão a deixar on para o mercado. respeito sua opinião.

      Mas juridicamente on é superior a PN sim, contabilmente controlador prefere fazer cambalacho com PN por ser mais fácil do que com ON.


      Este lance de receber dividendo a mais é outra lenda alimentando no mercado, sabemos por experiência e observação que na prática a empresa não é obrigada distribuir mais para PN .

      A mesma discussão antiga de 25% mínimo de distribuição, esta mais atrelado ao estatuto social da empresa.

      Por exemplo Itaú , Itausa, taesa, grazziotin, distribuem a mesma quantidade de dividendos independente da classe de ação.

      A questão do payout esta mais associado ao estatuto social da empresa, portante é passível de varias interpretações, cada empresa é um caso a ser estudado separadamente.

      A desculpa de ser minoritário e não influenciar nas decisões não serve mais para os dias atuais, porque hoje você pode participar das decisões das empresas via procuração ou com voto on line, sendo assim massa de minoritários pode se unir facilmente para derrubar o interesse do controlador.


      Por exemplo cito como ex caso unip:
      Se Barsi, fundo verde não foste detentor de grande parte das ações on, muito provavelmente controlador teria deitado e rolado em alguns decisões da empresa.

      Quanto mais direitos ação confere para o sócio melhor, obviamente os direitos estão sempre ao lado da on.

      Basta ler o estatuto social da empresa e entender um pouco de lei de sociedades anônimas brasileiras.

      Se foste assim o controlador só teria PN, isso não anula fato que pn não é bom negocio e que você nunca deve comprar PN como alega seita bastteriana.

      Aposto você provar juridicamente que boa parte das PN confere mais direitos que on.

      Outro ponto negativo além da diluição é que PN mais fácil se financeira sem compartilhar o controle da empresa, cagar a empresa e mesmo assim manter o controle, no caso da unip se foste tudo on controlador estaria fodido .

      Evidente que se perde no quesito governança quando se tem muita PN e concentração das on pelo controlador , inúmeros casos que estudo tem demonstrado superioridade das on em todos os quesitos.

      Até mesmo nestes casos que você citou as on saíram com vantagem econômica latente.

      Se on tiver uma liquidez aceitável e o mesmo preço das PN não pense duas vezes on vale mais apena.

      Vamos ser sincero PN é uma forma de se financiar sem diluir o controle da empresa, isso é matemática pura.


















      Excluir
    3. Posso cita inúmeros casos recentes de conflito de interesse aonde quem tinha PN só se fodeu.

      Gerdau,Saraiva,usiminas etc

      https://www.amecbrasil.org.br/portfolio/amec-videos/

      Excluir
    4. A empresa é obrigada a distribuir mais dividendo para as PN no caso do Tag Along ser menor que o Tag Along das ordinárias. As empresas que você citou têm 100% de Tag Along para todas as ações, nesse caso não é obrigatório o dividendo 10% maior para as preferenciais. Vi isso na lei das S/A, mas agora estou sem meu código civil aqui para poder consultar melhor.

      Qualquer empresa que emitir PN para se financiar também está diluindo o controlador no tocante aos direitos patrimoniais, só não dilui no tocante aos direitos de voto.

      O Fundo Verde nem se pronuncia a tempos na Unipar, mas, de qualquer jeito, o voto dele seria sempre vencido, porque o grupo controlador tem mais que 50% das ONs, porém, mesmo com a maioria das ONs o Frank não consegue fazer tudo o que ele quer na Unipar, visto que ele foi derrotado na OPA.

      Sim, a ON é juridicamente superior à PN. A ON é a ação sênior e a PN é a ação júnior. Mesmo assim, é possível fazer excelentes negócios com as PNs, porque frequentemente elas são ignoradas por investidores institucionais e estrangeiros.

      Abraços!

      Excluir
  3. Ótimo estudo Marcelo!

    Quanto à questão do tag along, tive a oportunidade de entrevistar pessoalmente o gerente de Relações com Investidores da Ferbasa, Carlos Henrique Temporal.
    Fiz uma pergunta especificamente sobre isso. A resposta dele foi:
    A Ferbasa é um caso único na Bovespa em que uma fundação é sócia majoritária de uma empresa. A Fundação José Carvalho possui sete escolas e um colégio técnico, localizados na Bahia, que atendem gratuitamente 4 mil alunos. Como a fundação depende dos dividendos recebidos para se manter, não há a mínima intenção de perder o controle acionário."

    Eu posso dizer sinceramente que me convenceu. Considero que ao preço atual ainda é uma boa oportunidade de ação numa carteira diversificada. Sigo posicionado.

    Lembrando que semana passada saiu o preço de referência para o ferrocromo no quarto trimestre: aumentou para US$c 154/lb.Cr. Ou seja, quase voltou para o preços históricos do primeiro trimestre.

    Segue a entrevista toda:
    https://kbinvestimentos.com.br/kb-investimentos-entrevista-ferbasa/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, KB! Também acho que é quase impossível acontecer uma mudança de controle na Ferbasa, mas mesmo se acontecesse seria possível manter as ações, só seria extremamente desvantajoso se a Ferbasa quebrasse (em qualquer empresa é).

      Não estou acompanhando os preços das commodities tão de perto, obrigado pelo lembrete.

      Abraços!

      Excluir