domingo, 30 de abril de 2017

O Sentimento da Frustração


Fala, galera! Hoje vou procurar desenvolver uma ideia mais filosófica, baseado no que acontece com nossos próprios sentimentos quando encaramos a frustração. Tantas vezes estamos num determinada situação esperando que algo aconteça, fazendo diversas previsões pensamentos positivos e, no exato momento, não acontece nada daquilo que havíamos imaginado. Surge um sensação que nos deixa com sentimentos e pensamentos negativos, e, principalmente, nessa hora duvidamos de nós mesmos.

Esse sentimento de dúvida da nossa própria capacidade é o mais prejudicial ao nosso próprio bem estar. Toda dúvida gera conflito. Você estava fazendo algo durante muitos anos, e, numa determinada semana, tudo acaba dando errado, você duvida de si mesmo, das suas técnicas e do seu potencial. É um efeito destrutivo para o psicológico.

Nossa mente procura antever certos acontecimentos, buscando as melhores situações possíveis com aquela esperança de que nada pode dar errado. Ou naquele determinado momento nossas previsões acabam sendo concretizadas (gerando um sentimento bom) ou tudo aquilo que imaginamos dá errado (aí que surge o problema). Nesse momento, surgem sentimentos frustrantes e infelizes.

Não é fácil, porém, acreditarmos na filosofia de que tudo vai dar errado, pois vejo que pensar sempre assim não seja benéfico para nossa saúde mental. Uma expectativa do erro, por si só, já nos causa mudanças em nossos pensamentos e comportamentos. Imagina se eu pensar que toda semana vou pegar um resfriado em detrimento da saúde plena. Seria terrível!

Na minha concepção, devemos olhar as situações por uma ótica diferente. O mundo por si só é caótico e, viver nele não é fácil, pois não conseguimos antever o próximo movimento ou acontecimento. Já imaginou um trânsito robótico, onde todos os carros andam de forma perfeita? Agora observamos o trânsito das cidades e vemos que os motoristas são seres humanos e eles podem cometer erros que nos aborrecem por "quebrarem" nosso pensamento de que tudo é perfeito.

O que acham de vermos o mundo pela ótica do caos e, não da perfeição? Talvez pudéssemos ser mais tolerantes com as pessoas que estão a nossa volta, com nossos vizinhos, com nossos conhecidos e familiares. Ao encarar uma situação, é crucial entendermos que tudo é um aprendizado, já que procuramos continuamente melhorar. Se você já tem alguma coisa, você normalmente quer manter ou ter mais daquilo (um carro melhor, uma casa melhor, mais amigos, etc.).

Ao encararmos o mundo de forma caótica, não existe o medo da rejeição ou do desgosto por não termos conseguido aquilo que gostaríamos. Faça algo sem programar sua mente de que tudo vai sair perfeitamente como planejou. Podemos pensar que a concepção inicial pode ter um caminho traçado, porém as nuances ou os detalhes não podemos prever. Estar preparado para absorver e rebater momentos desconfortáveis é inevitável, porque você já entrou preparado, pensando que algumas coisas poderiam sair da ideia inicial.

Sem esta pressão sobre nós mesmos, tiramos lições dos momentos desconfortáveis e, também, compreendemos que nós não temos o poder para controlar o mundo ou as vontades das outras pessoas.

Essa foi minha reflexão ao término deste mês,


Abraço a todos.                           

7 comentários:

  1. Muito bom, principalmente em rrlaçao a trabalho o que vejo e muita gente fazendo dele sua vida enquanto ao mer ver deveria apenas aonde ele vai para ganhar recursos para viber sua vida e nada mais... O que mais gostam de fazer e romantizar o trabalho. Nao?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Anon, essa questão que você levantou também enxergo no dia a dia. Algumas pessoas utilizam o trabalho como o principal motivo de suas vidas, e acabam deixando de lado coisas importantes como as proprias pessoas que estão em volta (familia, amigos, conhecidos). Acabam se tornando pessoas transtornadas por trabalhar demais e nunca sabem o motivo da sua propria infelicidade.

      Acredito que o essencial é termos equilibrio, trabalhando dentro do nosso cronograma de trabalho e tendo tempo para o lazer não como fim, mas como meio para a qualidade de vida
      Abraço!

      Excluir
  2. O que me deixa profundamente frustrado é a imagem que as pessoas possuem de nós inclusive nossos próprios familiares. Ser poupador e ter a visão de futuro é visto pela maioria como um grande erro e com o sentido de esnobar os outros. Hoje, que sou bem sucedido, não sofro tanto com isso mas já sofri muito com comentários do tipo: Vou guardar dinheiro para quê? Se trabalha tem que gastar tudo com a vida. Quem junta dinheiro nunca será feliz entre outros. Cresci com esse tipo de comentário numa família muito pobre e era muito difícil conviver com isso. Hoje em dia dou risadas de quem vem com essas estorinhas para cima de mim. Sucesso nos investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse tudo, complementado pelo que o Heavy Metal falou abaixo, tem que ter muita força de vontade para aguentar esses tipos de comentários. Algo que nao acrescenta nada e ainda pior, atrapalha quem está querendo uma condição melhor no futuro.

      Excluir
  3. A velhice chega, as doenças também. Quem te perguntou "guardar dinheiro para quê?", serão os primeiros a pedir dinheiro emprestado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ehehehe Heavy Metal sempre jogando a verdade na nossa cara sem dó !! rs

      Excluir
  4. Depois que comecei a utilizar a ótica do caos para enxergar o mundo ficou muito mais fácil lidar com as frustações, elas sempre existiram, mas devemos nos planejar para que os resultados bons superem as frustações e, se mesmo assim nada der certo, ter perseverança para começar novamente.

    ResponderExcluir