sábado, 25 de março de 2017

Debêntures

Salve, confrades! Nesse post comentarei as vantagens e desvantagens das debêntures de infraestrutura com isenção fiscal no Brasil, bem como darei detalhes sobre minha compra de debêntures.

Debêntures no Brasil


A debênture é um título de crédito privado em que o investidor empresta dinheiro diretamente para a empresa, sem intermediários bancários. Por ser um título privado sem necessidade de intermediários e por não ter garantia do FGC, as debêntures oferecem uma das melhores rentabilidades ao investidor no mercado de renda fixa. O fato de não possuir garantia do FGC faz com que o investidor tenha que avaliar a situação financeira da empresa para calcular o risco de inadimplência, porém os debenturistas têm prioridade sobre os acionistas em falências ou recuperações judiciais, logo podemos dizer que, entre uma debênture e uma ação da mesma empresa, as debêntures possuem risco menor.

A grande vantagem de adquirir debêntures brasileiras é a isenção fiscal para pessoas físicas em debêntures de infraestrutura, além do investidor ter certeza de qual será seu ganho real no vencimento da debênture, seu dinheiro não será utilizado para pagar os salário da Gilma e seus funcionários.

A maioria das debêntures com isenção fiscal pagam IPCA + taxa fixa, ou seja, são semelhantes à NTN-B, porém nos títulos públicos 15% do rendimento do investidor (incluindo a inflação!) é tomado de volta pelo governo, portanto o investidor não sabe qual será sua rentabilidade real quando compra o título. Nas debêntures de infraestrutura isso não ocorre, quando você compra uma debênture que paga IPCA + 5,5% ao ano, você já sabe que seu rendimento real será sempre 5,5% desde que a empresa honre os pagamentos.

Desvantagens das Debêntures


As principais desvantagens das debêntures com isenção fiscal são, ao meu ver, o longo prazo para o vencimento, a liquidez reduzida no mercado secundário e a possibilidade de insolvência da empresa. O longo prazo para o vencimento faz com que seu dinheiro fique preso na debênture por pelo menos mais de 5 anos, claro que você poderia vender a debênture no mercado secundário, mas aí você perderia uma porcentagem do seu investimento no spread de compra e venda. Quanto maior a possibilidade de insolvência da empresa, maior é a rentabilidade da debênture, porém seu valor de mercado também cai. Caso o investidor compre uma empresa com bons resultados que passe a reportar resultados ruins, sua debênture desvalorizará, se os resultados melhorarem a debênture irá valorizar.

Minha Compra de Debêntures


Eu tinha em carteira alguns títulos Tesouro Selic que venceram no começo de março, inicialmente minha ideia era comprar algumas LCI ou LCA, mas como a disponibilidade estava muito escassa no mercado, achei que a melhor opção no momento seria entrar no mercado de debêntures.

Comprei debêntures da Celpa, Companhia Elétrica do Pará, e da TCP, Terminal de Contêineres de Paranaguá, após a análise da situação financeira de cada empresa. A Celpa está com saúde financeira muito boa, seu rating é A e o rendimento das debêntures foi de IPCA + 5,20%. A TCP está com saúde financeira mais fraca, teve prejuízo no primeiro semestre de 2016, mas o histórico de resultados, bem como o setor de atuação são bons, como o rating da TCP é B, consegui uma taxa um pouco melhor: IPCA + 5,8% a.a.

Esta semana foi muito corrida e não consegui cumprir o calendário de posts, faltaram os posts de quarta-feira e sexta-feira, mas vou compensá-los com posts hoje e na próxima terça-feira.

Abraços e AVE CAPITALISMUS!

18 comentários:

  1. Texto enriquecedor. Vai fundo irmão.

    ResponderExcluir
  2. Qual vai ser o assunto do próximo post?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou decidindo ainda, mas acho que meu próximo post será sobre automação ou comentários sobre o balanço de alguma empresa.

      Abraços!

      Excluir
  3. Cara comprei rodovias do tiete a 9 mais IPCA. Todo dia acendo uma vela para Nossa Senhora dos Rentitas. Taxa muita alta. Não existe almoço grátis. Risco elevadíssimo.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí tem coragem! Analisei as condições financeiras da Rodovias do Tietê quando estava escolhendo debêntures, desisti quando vi que ela só deu prejuízo nos últimos anos.

      Abraços!

      Excluir
  4. Quando analiso a dívida das empresas que vivem emitir debêntures no mercado secundário, quase sempre fico abismado! como existe baixa qualidade no papéis oferecidos ao público.

    Tem de fazer uma boa analise da empresas , caso contrario é ripa!



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Mestre! Acho que existe bastante variedade de qualidade nos papéis oferecidos ao público. As empresas com rating A geralmente possuem uma excelente saúde financeira, mas pagam próximo à NTN-B, se quiser taxas mais altas tem que peneirar o rating B para baixo. Já há bastante variedade nas debêntures incentivadas, até a Engie já emitiu esse tipo de título.

      Abraços!

      Excluir
  5. Venceu uma LC minha ontem, mas só vi de noite. Vou comprar uma debênture que paga IPCA + 6,5%.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heavy Metal, salve! Taxas muito boas, qual é o rating dessa debênture?

      Abraços!

      Excluir
  6. Prezado amigo blogueiro,

    Achei que apenas uma edição em inglês iria deixar de receber muitas pessoas no Brasil que não conseguem ou não querem ler em inglês. Como eu disse por lá o foco é publicar em inglês, mas para não deixar muitas pessoas na mão e dependendo do Google Translate achei por bem deixar as cópias em português brasileiro também.

    A cópia em português ficará no Blogger, com a url http://frugalsimples.blogspot.com.br Veja que na versão em português temos um “S” a mais para deixar a URL também em português.

    As futuras atualizações do frugalsimple.net também estarão disponíveis em português via blogspot.com.br

    A versão em português será um pouco mais enxuta e com menos fotos para otimizar para celular e conexões mais lentas e economizar dados do leitor, mas o conteúdo escrito será o mesmo. Sinta-se a vontade para comentar em qualquer um dos dois. Seu blog consta em ambos os blogrolls.

    Se preferir fique a vontade para add o http://frugalsimples.blogspot.com.br no seu blogroll também.

    Grande abraço!

    Frugal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Frugal! Adicionei ao meu blogroll a página em português também.

      Excluir
  7. Comprei da CEMIG a 9,5% + ipca.
    Se a cemig quebrar não sei o que aconteceria com o estado de MG.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conseguiu uma taxa excelente. Se a Cemig quebrar o estado de MG já teria ido à bancarrota.

      Abraços!

      Excluir
  8. Tem q lembrar q as da cemig n são incentivadas. Incide IR nesse papel. Por isso as taxas tendem a ser maiores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá explicado então, desconfiei dessa taxa tão alta.

      Abraços!

      Excluir
  9. O principal problema das debentures é o péssimo mercado secundário, isso porque não é permitido fazer compra/venda direto no home broker, somente as corretoras podem operar, aí elas abusam do spread.

    Só para ter um exemplo, comprei essas mesmas TCP na oferta primária fim do ano passado, peguei a IPCA + 7,8, olha a diferença!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Renerio! O spread é realmente muito grande, facilitaria muito se existisse um HB de debêntures. O spread é muito grande, mas a maior parte da diferença entre a sua taxa e a minha foi causada pela queda dos juros.

      Abraços!

      Excluir