sexta-feira, 17 de março de 2017

Casamento como Ascensão Social

Este artigo responderá as perguntas do leitor Porco Capitalista sobre o casamento, portanto é uma opinião pessoal minha. O matrimônio é um tema muito complexo e cada um tem sua opinião própria. Responderei de acordo com o que eu tenho observado na sociedade e por meio de pesquisas:

O que acha de casamento como forma de ascensão social? Veja bem, não importa o quão casamento é ruim, eu casaria com uma australiana para ter cidadania australiana. Veja bem, casamento destrói com indivíduo mas o governo brasileiro é muito pior, mas e você, o que acha?

Primeiramente, acho o casamento uma forma muito rápida de ascensão social, mas é uma"jogada" mais praticada por mulheres, na maioria das vezes o homem é a parte do matrimônio com nível social mais alto. Instintivamente, as mulheres prezam por homens que as façam sentir seguras para constituir uma família, enquanto os homens prezam mais por características genéticas desejáveis, apesar de parecer maquiavélico esta é a verdade. Claro que há exceções, mas, nesses casos, geralmente o homem tem alguma característica que desperta a atenção da mulher.


Há alguns séculos atrás, nas casas da nobreza europeia, quando uma mulher com títulos maiores ou de uma dinastia mais prestigiosa casava com um homem de status inferior, a união era chamada de "casamento matrilinear", nesse caso os filhos herdavam a dinastia da mãe. Atualmente acontece algo parecido, geralmente quando um homem casa com uma mulher de status maior o casamento vira matrilinear, nesse caso quer dizer que é a mulher quem manda. Também é comum a mulher que tem alguma característica indesejável casar com um homem de status menor.

Em suma, usar o casamento como ascensão social para homens é difícil e o homem tem grandes chances de ter os papeis tradicionais do casamento invertidos.

Não acho o casamento ruim em si, ele pode ficar ruim dependendo da forma que as partes o operam. O casamento e o estabelecimento de núcleos familiares são naturais para a espécie humana, mas, antes de tudo, é um contrato, o problema é que a modernidade destruiu as relações tradicionais e tornou mais difícil fechar o contrato.

Nesse momento você deve estar pensando: como esse cara é frio, analisa um casamento como se estivesse contratando um funcionário. E é por aí mesmo, mas o casamento é muito mais complexo que contratar um funcionário pela CLT. Este blog dá dicas underground. Se quiser dicas mainstream, visite sites ou compre livros mainstream.

O casamento é um contrato tão complexo e tão impactante nas vidas dos seres humanos que nas sociedades mais tradicionais ele é contratado pelos pais, é o casamento arranjado. Ao contrário do que acha a sabedoria convencional, o casamento arranjado não é "casamento sem amor", porque na maioria das vezes os esposos já se conhecem desde a juventude e porque o ser humano se adapta com quem vive, desde que seja uma relação harmoniosa, claro. A taxa de sucesso dos casamentos arranjados é muito maior e poucos terminam em divórcio.

As ideologias derivadas do marxismo como o feminismo e o ateísmo militante tornam o casamento impossível com indivíduos totalmente afetados e são mais perigosas em indivíduos parcialmente afetados, porque tornam as ideologias mais difíceis de serem percebidas. Nem tente começar um relacionamento com essa gente, porque só vai perder dinheiro, tempo e cabelo.

Claro que casar com uma australiana seria uma grande vantagem, mas percebo que esse tipo de mulher estrangeira que procura relacionamento com brasileiros é cheia de características indesejáveis, pode não ser uma característica física, mas uma característica comportamental indesejada.
 
Reponderei brevemente a segunda pergunta:
 
Meu irmão disse que tem um amigo parecido esteticamente comigo (logo ele é um horror) que está sendo o garotinho de uma coroa rica, ele vivem bem e a coroa faz mil e um dos seus agrados. O que acha?

Acho que as mulheres que passam dos 35 anos e não conseguem casar têm grandes chances de ter uma característica indesejável e a mente começa a operar de modo diferente do normal. Nesse caso em particular, ela pode estar substituindo as figuras do marido e de um filho nesse cara.

Por fim, não aceite um casamento que não seja por separação total de bens. Motivos óbvios.

Abraços!

15 comentários:

  1. Concordo plenamente Barbarossa,

    Sou casado em separação total de bens. Não existe receita pronta para um casamento dar certo, mas acredito que a relação tem que trazer mais benefícios do que dor de cabeça.

    Fazendo uma analogia grosseira com o buy-and-hold, você deve analisar os resultados de tempos em tempos e se continuar atendendo os seus critérios você seguirá comprado. Entretanto, se em algum momento os resultados obtidos não atendem os seus critérios é a hora de desfazer a posição.

    Eu sei que tem outros favores em jogo, a analogia é bem grosseira, mas às vezes precisamos ser práticos na vida. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Aportador. É uma analogia grosseira, mas eu também concordo com ela. Coloco um adendo, assim como Warren Buffet diz que o prazo ideal para ficar com uma ação é por toda a vida, o prazo ideal de duração de um casamento é por toda a vida.

      Abraços!

      Excluir
  2. No meu serviço todas as mulheres ganham mais do que seus maridos. Nenhum deles exigiu separação total de bens.
    kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Anon! Nesse caso as mulheres que deveriam ter exigido.

      Excluir
  3. Olha, observar certas características que lhe beneficiem em aspectos variados diferentes do puro amor é perfeitamente normal e natural em quem não for tão burro.

    É melhor casar com uma mulher trabalhadora e poupadora, ou uma baladeira carpe diem? Só um exemplo.

    Vou fazer um artigo demonstrando que o casamento é um fator observado pela vasta maioria dos ricos, enquanto os pobres não dão importância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, CF! Muito boa iniciativa. Estou na espera para ler seu artigo.

      Abraços!

      Excluir
  4. Sou muito a favor da liberdade. Portanto, não vejo problema em um relacionamento sem firmar o 'contrato' do casamento. O problema é que pela legislação um relacionamento é equiparado em muitos aspectos ao casamento (o que acho correto em muitas situações) aí é melhor firmar logo o contrato pra definir bem os termos (principalmente da transmissão de bens em caso de separação ou morte). Logo vem os filhos também e é mais desejável criar um sistema mais estável para criação deles.

    Acho muito melhor esta visão contratual do que a tradicional do casamento, porque na tradicional a pessoa tem sua individualidade suprimida nesta instituição...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Furioso! Discordo que a visão contratual moderna seja melhor que a visão tradicional, de qualquer forma, o casamento tradicional também não deixa de ser um contrato. No casamento tradicional há obrigações e deveres muito mais fortes do que no casamento moderno/contratual, pode haver menos liberdade, mas nem toda liberdade é boa. Liberdade para trair o esposo é um exemplo de uma liberdade ruim, porque acaba com a relação de lealdade no casamento.

      Acho que a justiça presta um desserviço nesses casos de união estável definida pela justiça, portanto deve-se tomar muito cuidado para não acabar o relacionamento e ainda receber um processinho e ter que pagar pensão.

      Abraços!

      Excluir
  5. "Acho que as mulheres que passam dos 35 anos e não conseguem casar têm grandes chances de ter uma característica indesejável e a mente começa a operar de modo diferente do normal. Nesse caso em particular, ela pode estar substituindo as figuras do marido e de um filho nesse cara."

    Provavelmente esta serei eu aos 35, mas o motivo não seria por substituir a imagem de um marido/filho, seria pelo prazer de pegar um garotão mesmo, ora bolas! Hahaha
    No mais, o texto faz todo sentido mesmo. Nunca que acharia justo bancar um marido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Jacqueline! Você não precisa bancar um marido, é só se casar com um homem que consiga pagar seus próprios gastos.

      Abraços!

      Excluir
  6. Não sei o motivo mas morro de rir quando você substitui algumas palavras da minha frase é hilario,não me pergunte porque.
    Cara,você esqueceu que existem viúvas,tipo já conheci muitas viuvas ricas com 30-40 com muitos bens valiosos em buscar de um cara handsome ou mesmo mediano.Outra,a ideia de casa com uma gringa é para obter cidadania em pais de primeiro mundo em que investir e trabalhar é muito mais fácil e melhor,ela não precisa ser rica ou bonita só precisa ser gringa e se dar bem com o cara.Além disso,obrigado pela atenção e sucesso companheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ass:Porco Capitalista

      Excluir
    2. Salve! Esqueci mesmo das viúvas, a ideia da maioria delas é essa mesma. Eu entendi a ideia de ganhar o visto pelo casamento, só acho que esse tipo de mulher gringa que procura relacionamento com brasileiro tem grandes chances de ter alguma característica indesejável.

      Abraços!

      Excluir
  7. Casamento e IF não combinam. Após a minha IF talvez eu me case (desde que a minha parceria também tenha $$$).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Einstein! Isso depende de cada caso, se você conseguisse encontrar uma mulher que não desse nenhuma despesa, o casamento seria neutro para a IF. Isso tudo hipoteticamente, sei que em mais de 90% dos casos o casamento atrapalha.

      Abraços!

      Excluir